fbpx
Conecte-se conosco

Meio Ambiente

Dados mostram que agosto foi mês com maior registro de incêndios

Publicado

em

Em 2021, o 4º Grupamento do Corpo de Bombeiros já atendeu 120 ocorrências de incêndio em Cacoal

Desde o início do período de seca em Rondônia, conhecido como Verão Amazônico, os municípios da região de Cacoal têm enfrentado semanas difíceis por causa das queimadas que se alastram pelo estado. A fumaça tem coberto as cidades e incomodado os cidadãos, trazendo inclusive prejuízos para a saúde. Em Cacoal, por exemplo, o Governo do Estado, por meio do 4º Grupamento do Corpo de Bombeiros Militar (CBMRO), registram focos de incêndio tanto na área rural quanto no perímetro urbano da cidade.

Um relatório divulgado pelo CBMRO, no dia 30 de agosto, mostra que, desde janeiro deste ano, 120 focos de incêndio foram registrados na “Capital do Café”. Mais da metade dos atendimentos realizados pelos bombeiros foram direcionados à área rural. Apenas neste mês de agosto, foram 35 incêndios florestais e 13 no perímetro urbano contabilizados em Cacoal.

Os dados apontam que os casos cresceram de forma acelerada, principalmente a partir de junho, quando houve o registro de 19 incêndios. Em julho, o número chegou a 32 focos e em agosto a 48, entre incêndios urbanos e florestais.

“Esse é um período bem crítico, pois é quando chegamos ao ápice das queimadas. O que a gente tem agora não é mais preventivo, é operacional, é técnico e é combate. Mas os conselhos que a gente pode direcionar a população são os mesmos: ter cuidado com a sua propriedade, fazer os aceiros, terem muito cuidado com o manuseio do fogo. O certo, na realidade, é não usar o fogo, porque muitos incidentes acontecem porque o cidadão perde o controle quando usa fogo”, destacou o comandante do 4º Grupamento do Corpo de Bombeiros em Cacoal, Major BM Moacir de Paula.

Queimadas em Cacoal atingem tanto área urbana quanto a rural

Os aceiros são faixas de segurança ao longo das cercas e também de imóveis, onde a vegetação é completamente eliminada da superfície do solo. A finalidade é prevenir a passagem do fogo para a área de vegetação, evitando-se assim as queimadas ou incêndios.

Atualmente, o 4º Grupamento do Corpo de Bombeiros conta com 104 bombeiros divididos entre a sede do 4ºGBM em Cacoal e os subgrupamentos de Pimenta Bueno, Rolim de Moura e Espigão do Oeste.

Além disso, neste ano, o Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), realizou um Processo Seletivo para a contratação de bombeiros civis voluntários que irão atuar no combate aos incêndios florestais em todo o Estado.

No âmbito do 4º Grupamento, 10 profissionais, com Curso de Formação de Bombeiro Civil, foram contratados.

PREVENÇÃO

Como tentativa de conscientizar e alertar os cidadãos quanto aos riscos e os diversos problemas acarretados pelos incêndios florestais e urbanos, tanto para humanos, como para os animais e o meio ambiente, o Escritório Regional da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) tem realizado ações pontuais desde abril deste ano na região de Cacoal.

“São diversos pit stops. Também fazemos reuniões e promovemos encontros com grupos e associações do município e da região. Além disso, em agosto, intensificamos ainda mais as ações, com a realização do Acampamento Verde, um projeto do Governo de Rondônia que levou muitos servidores à campo para trabalhar a conscientização da população. Mostrando o quanto os incêndios prejudicam tanto na questão econômica, ambiental e também a saúde, com os dados causados pela fumaça, especialmente para quem já tem algum problema respiratório”, pontuou a gerente da Sedam em Cacoal, Thalitta Costa.

Equipe do Escritório regional da Sedam preparando material para o Acampamento Verde em Cacoal

Fonte
Texto: Giliane Perin
Fotos: Sargento BM Roberto Elias
Secom – Governo de Rondônia

Clique para comentar

Deixe seu comentário

Meio Ambiente

Sedam intensifica fiscalização para evitar degradação da floresta nativa

Publicado

em

Sedam e Polícia Ambiental flagram equipamentos ilegais no Parque Serra dos Reis, em Costa Marques

Com a proposta de intensificar o combate ao corte de árvores nativas e extração ilegal de madeiras dentro das Unidades de Conservação (UC) do Estado, o Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), realizou na última semana uma ação de fiscalização no Parque Estadual Serra dos Reis, localizado no Município de Costa Marques.

Em parceria com o Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), a equipe de fiscalização ambiental, composta por técnicos da Coordenadoria de Unidades de Conservação (CUC) da Sedam e gestores do Parque Estadual Serra dos Reis, deflagrou uma operação, resultando na apreensão e retirada de equipamentos e uma máquina, usados para o corte de árvores nativas, arraste e carregamento ilegal de madeiras em toras dentro do Parque.

Caminhão carregado de toras de árvores nativas na ação

As equipes de fiscalização conseguiram retirar um trator que estava sendo utilizado para arrastar arvores derrubadas e carregar madeiras já traçadas em toras, causando assim, um grande impacto de destruição da floresta nativa dentro do Parque. A proposta da Sedam é fortalecer a proteção local e apoiar as ações rotineiras, tendo como parâmetro as áreas protegidas.

O coordenador da CUC, Fábio França, acredita que a parceria entre a Sedam e a Polícia Ambiental vem trazendo grandes resultados nas ações de monitoramento e fiscalização nas unidades de conservação de Rondônia. Para o secretário da Sedam, Marcílio Leite Lopes, é necessário que a fiscalização ambiental seja intensificada nas UCs, para que diminua as ações de destruição e impactos ambientais causados por invasões e extração ilegal de madeiras.

O Parque Estadual Serra dos Reis é uma UC de proteção integral, na qual fica proibida qualquer atividade de extrativismo e extração de madeiras, sob a administração da Sedam. A unidade foi criada pelo Decreto nº 7.027, de 8 de agosto de 1995, abrangendo uma área de 36.442 hectares. Está localizada ao sudoeste de Rondônia, entre os municípios de Costa Marques e São Francisco do Guaporé, na região do Vale do Guaporé, distante, cerca de 700 quilômetros de Porto Velho.


Fonte
Texto: Jaqueline Damaceno
Fotos: Dione Subtil
Secom – Governo de Rondônia

Continue lendo

Executivo

Governo reforça compromisso com desenvolvimento e com visita de ministro

Publicado

em

Ministro do Meio Ambiente verifica ações ambientais desenvolvidas e recebe homenagem do Governo de Rondônia

O Governo de Rondônia recebeu na manhã desta quarta-feira (15) a visita institucional do ministro do Meio Ambiente (MMA), Joaquim Leite, acompanhado de comitiva. Essa é primeira vez que o titular da pasta ambiental do Governo Federal visita Rondônia, após ser nomeado em junho deste ano. O ministro foi recepcionado pelo governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, no salão nobre do Palácio Rio Madeira, sede do Governo do Estado.

‘‘O Ministério do Meio Ambiente assim como todo Governo Federal tem sido um grande parceiro do Governo de Rondônia, e nós temos trabalhado com a missão de fomentar o desenvolvimento do Estado com a preservação do meio ambiente, fazendo com que ocorra o desenvolvimento sustentável’’, enfatizou o chefe do Executivo Estadual.

O ministro avaliou como positiva a condução das políticas públicas ambientais no Estado. Joaquim Leite está em missão na Amazônia para acompanhar a ação integrada do Ministério da Justiça com o Ministério do Meio Ambiente no combate ao desmatamento. ”É um programa  chamado Guardiões do Bioma” onde a Força Nacional, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) atuam no combate ao desmatamento, e especialmente no enfrentamento a incêndios florestais”.

Para o ministro, Rondônia tem conseguido aplicar ações efetivas em prol do meio ambiente. ‘‘Estamos verificando as ações do Governo de Rondônia em relação ao meio ambiente, e estão de parabéns por valorizar a preservação ambiental baseados no Floresta +’’ afirma o ministro.

O Programa Floresta+ do MMA visa remunerar aqueles que desenvolvem atividades de proteção e conservação de recursos naturais.

ECONOMIA EQUILIBRADA

Joaquim Leite fez questão de ver o Estado da sacada do prédio, onde pôde contemplar o Rio Madeira, principal via fluvial de escoamento da produção agrícola de Rondônia. Na ocasião, o governador pontuou que Rondônia tem avançado com uma economia equilibrada e aproveitamento inteligente dos recursos naturais.

O gestor da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), Marcílio Leite, ressaltou que o Governo de Rondônia e o Governo Federal têm uma relação estreita no desenvolvimento de ações ambientais, entre as políticas públicas citando o Floresta+. ‘‘É um pagamento por serviços ambientais, e isso é importante pois estimula a preservação. É um dos programas mais brilhantes que já vi, pois valoriza quem realmente cuida da floresta”, conta. O secretário  pontuou ainda que até o fim deste ano a estimativa é que 400 pequenas propriedades estejam aptas para o Floresta+.

Também esteve presente à reunião o diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagens e Transporte (DER), Elias Rezende, responsável pelo programa do Poder Executivo de asfaltamento urbano nos 52 municípios, o “Tchau Poeira”. Rezende tratou com o ministro sobre os impactos positivos de estradas bem planejadas, onde as mesmas são feitas com respeito à flora e a fauna. Por fim, o ministro destacou as projeções positivas para avançar com o desenvolvimento ambiental em todo o país por meio de ações integradas.

Ministro foi recepcionado pelo governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha

Fonte
Texto: Vanessa Moura
Fotos: Ésio Mendes
Secom – Governo de Rondônia

Continue lendo

Meio Ambiente

Rio Madeira pode ter seca histórica nos próximos meses

Publicado

em

Foto: Roni Carvalho

O nível do rio Madeira marcou 2,27 na tarde desta quarta-feira, segundo dados da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA). De acordo com a Defesa Civil Municipal, caso a cota continue diminuindo consideravelmente, este ano poderemos ter uma seca histórica.

Segundo o coordenador Edmilson Hobold Machado, no dia 26 de outubro de 2020, o rio Madeira chegou a medir 1,51metros, cota histórica já registrada pelos órgãos de monitoramento. Na última sexta-feira (3), o nível do rio chegou a 2,08 metros, mas voltou a subir, chegando a 2,26, nesta terça-feira (7).

“Esse aumento do rio, foi por conta da chuva registrada no rio Beni, na Bolívia. Nos próximos dias, o rio Madeira começa baixar novamente porque ainda estamos no início de setembro. Não temos como saber a cota que o rio pode chegar, mas pode ocorrer uma seca histórica, caso continue diminuindo”, explicou Edmilson Hobold Machado.

Fonte: rondoniagora

Continue lendo
--Publicidade--

Ultimas Notícias

--Publicidade--

Publicidades

Agronegócio

Policial

Internacional

Tendências

%d blogueiros gostam disto: