fbpx
Conecte-se conosco

Utilidades Públicas

Ações de combate ao furto de energia recupera o equivalente ao consumo de um mês

Publicado

em

Em 2020, Energisa evitou desvio de 61 Gigawatt que eram consumidos de forma irregular, nos “gatos”, e prejudicavam a qualidade da energia. Quantidade de energia é equivalente ao consumo de 280 mil residências populares

Cerca de 61 Gigawatt de energia foram recuperados durante o ano de 2020 em Rondônia, após serem desviados ou não registrados pela concessionária por causa de irregularidades no sistema de medição por intervenção de terceiros e ligações ilegais, o famoso gato. A quantidade chama atenção, pois seria suficiente para abastecer 280 mil casas populares pelo mensalmente, o que equivale ao consumo de energia do município Porto Velho em um mês.

A notificação e regularização de fraudes e furtos de energia é uma obrigação da concessionária, determinada pelo órgão regulador do setor – Aneel – e fundamental para a qualidade no fornecimento de energia elétrica para todos os clientes.  A prática inclusive é crime previsto no Código Penal Brasileiro, com pena que varia de um a quatro anos de reclusão. 

“Ao contrário do que muitos imaginam, a motivação para esse tipo de prática não é econômica, não está ligada à falta de dinheiro. Infrações ligadas ao abastecimento de energia ocorrem tanto nas periferias quanto nos condomínios de luxo, desde pequenos comércios a grandes indústrias”, explica o gerente de Perdas, Alécio Almeida. 

Ele explica que a rede elétrica é planejada para atender os clientes regulares e cadastrados nos sistemas da companhia, considerando a carga declarada por eles. O furto prejudica a qualidade e segurança do fornecimento da energia elétrica, porque impacta diretamente na qualidade de energia para o cliente regular. “É como, por exemplo, você preparar uma festa para 20 pessoas e, de repente, aparecem 40. Com certeza, vai faltar comida para alguém”, disse.

Outro fator de atenção para a concessionária é o risco à segurança da população, isso porque, as ligações clandestinas irregulares são feitas por pessoas que não tem conhecimento técnico, utilizam materiais inadequados e, muitas vezes, encostam na rede energizada acarretando acidente. Além da probabilidade de acidente (choque elétrico), pode acarretar a falta de energia, causando prejuízos para os clientes regulares.

“Infelizmente, no Brasil todo, temos relatos de acidentes envolvendo pessoas que faziam gato. Por isso, orientamos que os clientes sempre busquem a Energisa para regularizar a situação. Há outras formas de economizar, como mudando hábitos de consumo, substituindo equipamentos antigos por novos com menor consumo e até se inscrevendo na tarifa social, se preencher os requisitos do governo”, afirma.

De acordo com o gerente da Energisa, quando a fraude é identificada, além da regularização e abertura do Boletim de Ocorrência, a concessionária tem como cobrar os valores retroativos, referentes ao período da irregularidade, ou seja, em que a pessoa usou energia, mas não pagou. Os procedimentos para efetuar esta cobrança estão previstos na Resolução 414/2010 da Aneel. O fornecimento de energia também é interrompido como medida de segurança até que a situação seja regularizada, já que caracteriza risco iminente de danos a pessoas, bens ou ao funcionamento do sistema elétrico. “Temos o compromisso de distribuir energia com qualidade e segurança para os nossos clientes e isso também passa pela redução das irregularidades. A população notou que o combate ao furto de energia é um dever de todos, pois além de criar a concorrência desleal entre comerciantes, uma parcela desse furto é repassada na tarifa de energia elétrica, por esse motivo denuncie as irregularidades em nossos canais de atendimento da Energisa Rondonia.”, concluiu Almeida.

Clique para comentar

Deixe seu comentário

Utilidades Públicas

Demanda por energia no Norte cresce acima do resto do país

Publicado

em

Por

Em Rondônia, agronegócio e residencial urbano, com regularização de unidades clandestinas, puxam a demanda, segundo a Energisa

Dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) mostram que entre 2018 e 2020, o consumo de energia em Rondônia cresceu 6%, muito acima do consumo nacional, que avançou apenas 0,6% no mesmo período. E a tendência é continuar aumentando acima da média. Em abril, o incremento da região Norte do país no Sistema Interligado Nacional (SIN) deverá ser 20,9% maior, segundo o boletim do Programa Mensal de Operação (PMO) do órgão.

Segundo o setor de Planejamento e Orçamento da Energisa, este crescimento é percebido principalmente no aumento do consumo residencial urbano, rural e também na indústria do agronegócio, frigoríficos, laticínios, beneficiamento e armazenamento de grãos. O planejamento dos investimentos da empresa visa atender essa demanda com qualidade.  “A Energisa vem investindo na melhoria e ampliação da capacidade do sistema em Rondônia. Até o fim de 2021, a concessionária terá duplicado a extensão de linhas de alta tensão desde a sua chegada. São mais 1 mil quilômetros desde a sua chegada. Também vai ampliar a capacidade do sistema em 400 MW, que abastecem 150 mil famílias de maneira permanente, além da construção e melhoria em subestações. Esse índice equivale a mais duas Porto Velhos”, disse Ítalo Martins, gerente de Planejamento e Orçamento da Energisa em Rondônia.

Para 2021, segundo a previsão do ONS, da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o consumo de energia no país crescerá 3,4% em relação a 2020. A equipe de planejamento de mercado e estudos elétricos da Energisa Rondônia prevê um crescimento de 7% no estado no mesmo período, quase o dobro da estimativa nacional.

Para o professor da Universidade Federal de Rondônia (UNIR) e economista, Otacílio Moreira, o crescimento da oferta de energia elétrica é essencial para uma forte retomada da economia pós-Covid. “Rondônia possui forte potencial de atração de novos negócios, sobretudo de novas indústrias, mas para todas as atividades, do agronegócio ao setor de serviços, é extremamente importante o setor de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica”, afirmou Moreira.

Planejamento

Pensando justamente nessa retomada da economia pós-pandemia e chegada de novas empresas em Rondônia, a Energisa se preparou e vai investir R$ 747,5 milhões de reais em 2021. A quantia se somará aos mais de R$ 1 bilhão aplicados nos anos de 2019 e 2020 e faz parte de um plano para transformar a infraestrutura elétrica do estado. Depois de entregar 10 novas subestações no eixo da rodovia BR-429 em 2020, a empresa prevê inaugurar outras 20 unidades esse ano, sendo 13 totalmente novas e sete ampliações.

Fonte: Assessoria Tamiris

Continue lendo

Utilidades Públicas

Com investimentos de R$ 7,8 milhões, segunda subestação móvel energia chega a Ji-Paraná

Publicado

em

Tecnologia mantém fornecimento de eletricidade aos clientes enquanto subestação é desligada para manutenção

A segunda subestação móvel da Energisa em Rondônia chegou à Ji-Paraná nesta segunda-feira (12), após percorrer quase 3 mil km desde a fábrica em Jaraguá do Sul – SC. A potência de 12,5 MVA tem capacidade para fornecer energia para 20 mil casas populares por tempo indeterminado. O equipamento de quase R$ 7,8 milhões pode ser deslocado para atender diferentes regiões e vai manter o fornecimento de energia aos clientes quando for necessário desligar a subestação fixa para manutenção.

Gerente do departamento de Alta Tensão da concessionária, Filipe de Oliveira, explica que os componentes das subestações passam por deterioração, como qualquer equipamento, e precisam de reparos antecipados. “Assim como o motorista faz a revisão do seu veículo para mantê-lo em bom funcionamento, a concessionária de energia aposta em manutenção preventiva para evitar falta de energia”, disse. O equipamento moderno também reduz o tempo de interrupção emergenciais. 

Possui sistema de automação completo para comando e supervisão local e remota interligado ao Centro de Operações Integrada em Porto Velho, proporcionando praticidade e segurança. “A estrutura da subestação móvel é complexa e requer operação de profissionais especializados. Optamos por uma estrutura menor fisicamente e articulada para facilitar o acesso às localidades e tráfego no trânsito”, esclareceu.

A aquisição da segunda subestação móvel faz parte do investimento de R$ 747 milhões do Grupo Energisa em Rondônia para transformar a infraestrutura elétrica da região. O equipamento contribuirá para alavancar a ampliação e construção de 20 subestações neste ano e que já estão em execução.

Fonte: Tamiris

Continue lendo

Utilidades Públicas

Energisa realiza audiência pública online sobre Programa de Eficiência Energética

Publicado

em

Por

Interessados têm oportunidade de conhecer melhor a iniciativa e apontar caminhos e sugestões para o seu aprimoramento

O Grupo Energisa realiza nesta terça-feira (30), às 10h30, uma audiência pública online sobre o seu Programa de Eficiência Energética (PEE), que tem como principal objetivo promover o uso eficiente da energia elétrica por meio de projetos inovadores nas localidades onde a companhia está presente. O evento, transmitido no por meio deste link, é aberto a empreendedores do setor, estudantes, pesquisadores, gestores públicos e quem mais tem interesse em ações relacionadas ao tema. Na audiência, a empresa irá apresentar resultados de 2020, compartilhar estratégias para 2021 e, principalmente, ouvir a sociedade sobre os rumos do PEE. Somente no ano passado, o Grupo investiu cerca de R$ 62,5 milhões em 137 projetos.

“Desenvolvemos o nosso Programa de Eficiência Energética junto com a sociedade. Somos o maior grupo privado nacional do setor e também o maior na Amazônia Legal. Sabemos da nossa responsabilidade e, por isso, a audiência pública é tão importante. Em parceria com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), financiamos projetos que melhoram a vida das pessoas e trazem benefícios para as comunidades, mas, principalmente, que fazem com que a energia elétrica seja utilizada de maneira consciente e eficiente” afirma Thiago Peres de Oliveira, coordenador de Eficiência Energética do Grupo Energisa. Iluminação mais moderna em vias públicas, troca de equipamentos, lâmpadas e até instalação de placas solares em instituições sociais e prédios públicos são alguns exemplos de projetos que já foram desenvolvidos pela Energisa nos 11 estados onde atua na distribuição de energia elétrica. “Nosso outro objetivo é sensibilizar a população a respeito do uso racional da energia elétrica. É um papel educacional e de estímulo à mudança de comportamento”, completa Oliveira.

No ano passado, o projeto Nossa Energia da Energisa viabilizou a economia de 14.970,16 MWh/ano, energia suficiente para atender 6.238 residências com consumo de 200 kWh/mês. A iniciativa estimula boas práticas de consumo nas residências e combate ao desperdício de energia elétrica, principalmente, em comunidades de baixa renda. O projeto também promove ações educacionais e substituição de aparelhos elétricos antigos por itens mais novos e eficientes, como lâmpadas LED e geladeiras. Em 2020, foram substituídas 317.425 lâmpadas e 2.746 refrigeradores.

O coordenador considera que o programa é uma oportunidade para cidadãos, empreendedores e órgãos públicos desenvolverem projetos com energia limpa, eficiente e de qualidade. “A transição para uma economia de baixo carbono também representa um passo importante para o futuro do setor e demanda uma nova relação com a energia. Nesse sentido, a Energisa é uma aliada de seus clientes nessa travessia e está aberta à participação de todos para promover um programa cada vez melhor”, conta Oliveira.

O Programa de Eficiência Energética é regulado pela Aneel e tem como objetivo promover o uso eficiente da energia elétrica por meio de projetos que gerem a economia deste insumo para diversos setores da sociedade com a adoção de novas tecnologias, processos e usos.

Sobre a Energisa

Com 116 anos de história, o Grupo Energisa é o maior privado do setor elétrico com capital nacional e o também o maior na Amazônia Legal. Uma das primeiras empresas a abrir capital no Brasil, a companhia controla 11 distribuidoras em Minas Gerais, Paraíba, Rio de Janeiro, Sergipe, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, São Paulo, Paraná, Rondônia e Acre. Com receita líquida anual de R$ 18 bilhões (2020), o Grupo atende a 8 milhões de clientes (o que representa uma população atendida de mais de 20 milhões de pessoas) em 862 municípios de todas as regiões do Brasil, além de gerar cerca de 20 mil empregos diretos e indiretos.

Com a missão de transformar energia em conforto, desenvolvimento e oportunidades de forma sustentável, responsável e ética, a Energisa atua com um portfólio diversificado que engloba distribuição, geração, transmissão, serviços para o setor elétrico (Energisa Soluções), serviços especializados de call center (Multi Energisa), comercialização de energia (Energisa Comercializadora), soluções em energias renováveis (Alsol) e agora a fintech Voltz, que entra no mercado de contas digitais.


Tamiris Barcellos Ribeiro Garcia
Anl Comunicacao I – COMUNICACAO INSTITUCIONAL

Continue lendo
--Publicidade--

Ultimas Notícias

--Publicidade--

Publicidades

Agronegócio

Policial

Internacional

Tendências

Copyright © 2020 Portal de Notícias Floresta Notícias. Todos Direitos Reservados.

%d blogueiros gostam disto: