Conecte-se conosco

Politica

Recuperação de trecho da RO 383 em Alta Floresta depende da conclusão das obras na RO 490

Publicado

em

Fotos: Ricardo Barros

Durante a entrega de um veículo para atender o escritório da Emater em Alta Floresta D’oeste, o vice-governador do Estado de Rondônia, Zé Jodan, comentou a respeito dos trabalhos do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem e Transportes (DER), na região da zona da mata.

Falou das obras de recuperação da Rodovia 490, entre a Rodovia Edmar Boldt (popularmente conhecida como RO-383) e o município de Alto Alegre dos Parecis, e da previsão de início da recuperação dos 15 quilômetros de pavimentação asfáltica no trecho entre Alta Floresta D’Oeste e Santa Luzia, também na RO 383.

De acordo com Zé Jodan, a recuperação de aproximadamente 15 quilômetros de asfalto do trecho entre Alta Floresta D’Oeste e Santa Luzia, inicia com a conclusão das obras do DER na 490. “Restam menos de nove quilômetros na 490. Os trabalhos devem durar mais uma semana. Terminando lá, iniciamos aqui em Alta Floresta”, garantiu.

O trecho a ser recuperado vem sendo alvo de reclamações dos condutores de veículos da região.
Através de um ofício enviado no dia 17 de setembro ao Departamento de Estradas de Rodagem, a Associação Comercial e Industrial de Alta Floresta D’Oeste, a ACIAF, solicitou a manutenção da rodovia.

O trecho pavimentado da RO 135, mais conhecida como Linha P-50, também vem sendo cobrado pelos moradores de Alta Floresta D’Oeste.

Quanto a esta cobrança, o vice-governador citou uma questão contratual que impede o Governo do Estado de realizar a recuperação do trecho já pavimentado. “Cabe a empresa que fez a pavimentação, realizar a recuperação do trecho”, disse.

Redação: Leandro Pereira

Fonte: Florestanoticias.com

--Publicidade--
Clique para comentar

Deixe seu comentário

Politica

Comissão de Infraestrutura realiza diligência sobre reajuste de energia em Rondônia

Publicado

em

Por

A Comissão de Infraestrutura do Senado Federal realizou nesta quinta-feira, 22 de outubro, diligência em Rondônia para debater a aplicação da Medida Provisória 998/2020 em relação ao reajuste tarifário da Energisa. A MP altera uma série de leis no setor elétrico e irá permitir a redução da tarifa de energia em Rondônia.

O presidente da Comissão, senador Marcos Rogério, conduziu a audiência pública, que foi realizada na Câmara Municipal de Ji-Paraná. O evento contou com a participação de representantes da Aneel, entre eles os diretores, André Pepitone, Efrain Pereira e Sandoval Araújo, o presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, deputado Laerte Gomes e o prefeito de Ji-Paraná, Affonso Candido, além de diversos parlamentares estaduais e federais.

Durante a audiência pública, Marcos Rogério explicou os três principais pontos da MP 998/2020 que irão permitir a redução na conta de luz dos rondonienses. São eles: o não pagamento de empréstimos contraídos junto a Reserva Global de Reversão entre 2015 e 2018. O dinheiro foi utilizado para manter as operações até a desestatização da Ceron e essa dívida seria paga pelos consumidores rondonienses, a partir do quinto ano de privatização; o segundo ponto é a mudança de classificação das quotas da CDE – Conta de Desenvolvimento Energético. A medida visa corrigir a falta de isonomia entre os consumidores localizados nos estados do Acre e Rondônia e os demais estados da Região Norte; o último ponto a destacar trata do cálculo dos subsídios aos sistemas isolados de energia elétrica, isso impedirá a cobrança em duplicidade de certos encargos às distribuidoras com sistemas isolados, evitando que consumidores desses locais paguem alguns encargos duas vezes.

Vale ressaltar que grande parte da MP 998/2020 foi baseada no PLS 232/2016, projeto relatado pelo senador Marcos Rogério, que prevê a modernização do setor elétrico brasileiro como um todo. “Desde que assumi o mandato, venho batalhado para garantir uma energia farta, de qualidade e a um preço justo para Rondônia. E agora em 2020, a partir de todo um trabalho técnico desenvolvido junto ao Governo Federal na elaboração da MP 998 estou convicto de que demos um importante passo nesse sentido”, ressaltou Marcos Rogério.

De acordo com o diretor da Aneel, André Pepitone, apesar da solicitação de Revisão Tarifária Extraordinária (RTE) feita pela Energisa Rondônia, os efeitos da Medida Provisória irão proporcionar amortecimento dos índices de reajuste a serem percebidos nas contas dos consumidores. “Com a aplicação da MP 998/2020 na RTE o reajuste deve ser no sentido de reduzir o valor da tarifa de energia. Portanto, o impacto será negativo, o que implica em redução em torno de 3% na conta de luz dos rondonienses. Mas os índices definitivos a serem aplicados só serão definidos após a consulta pública que termina no dia 3 de novembro”, explicou Pepitone.

“Laerte Gomes, presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, falou sobre a grande insatisfação da população com a Energisa”.

“Somos um estado que produz energia e pagamos uma das tarifas mais caras do país. Estamos concluindo nosso relatório da CPI da Energisa, que investigou diversas irregularidades cometidas pela empresa. Em breve, iremos enviar o documento à Aneel para as devidas providências. Mas, a MP é fundamental para que tenhamos uma resposta rápida quanto a redução da conta de luz aqui em Rondônia”, disse Laerte.

O prefeito de Ji-Paraná, Affonso Cândido, elogiou o trabalho que o senador Marcos Rogério vem fazendo à frente da presidência da Comissão de Infraestrutura, em relação ao setor elétrico em Rondônia. “Parabenizo o senador pelo trabalho em busca de alternativas para reduzir a tarifa de energia aqui no estado. Essa é uma questão de justiça para os rondonienses, castigados com os altos preços ao longo de décadas”, concluiu o prefeito.

Fonte: Folha de Rondônia

Continue lendo

Politica

Governo de Rondônia libera o uso de áreas de lazer em condomínios, mas com restrições

Publicado

em

Por

O Decreto n. 25.470, de 21 de outubro de 2020, publicado no Diário Oficial do Estado de Rondônia desta quinta-feira (22), liberou o uso de áreas de lazer em condomínios com a condição de que sejam respeitadas uma série de medidas sanitárias previstas no art. 11 do mesmo Decreto, bem como a ocupação máxima de 50% da capacidade permitida e manutenção de um distanciamento mínimo de 120 cm entre as pessoas.

A nova norma governamental institui o Sistema de Distanciamento Social Controlado para fins de prevenção e de enfrentamento à epidemia causada pelo novo coronavírus, no âmbito do estado de Rondônia, e reitera a declaração de estado de calamidade pública em todo o território estadual. Além disso, revoga o Decreto n. 25.049, de 14 de maio de 2020, que regulamentava o assunto até então.

Sobre o assunto, a advogada Letícia Eller do Escritório de Advocacia Oliveira & Tomasete, reforçou os cuidados e medidas que os condomínios devem continuar a ter mesmo com a liberação das áreas de lazer. “O uso de máscara e o distanciamento mínimo é obrigatório em qualquer local, como também é recomendado o uso de álcool para higienização das mãos e objetos. Além disso, o decreto proíbe a circulação desnecessária, especialmente às pessoas pertencentes ao Grupo de Risco”, explicou.

Para a Valorize Administradora de Condomínios, empresa que atua há mais de 10 anos em Porto Velho/RO, a orientação e precaução continuam sendo essenciais. “Temos orientado os síndicos a criar mecanismos para gerar mais segurança aos condôminos, a exemplo de horários reservados para cada família, em relação a determinadas áreas, como a piscina”, explica a gerente do SAC, Sara Daniele.

Confira aqui o Decreto n. 25.470 na íntegra.

(Luiz Alexandre)

PressArt Comunicação

A informação com conteúdo

Continue lendo

Legislativo

Vereador Valvique faz indicação cobrando patrolamento na área rural de Alta Floresta

Publicado

em

Continue lendo
--Publicidade--

Publicidades

--Publicidade--

Tendências

Copyright © 2020 Portal de Notícias Floresta Notícias. Todos Direitos Reservados.

%d blogueiros gostam disto: