Conecte-se conosco

Geral

Batman? morcego gigante pode chegar até dois metros de envergadura

Publicado

em

O Pteropus vampyrus, Conhecido como raposa-gigante-voadora, é, na verdade, uma espécie de morcego gigante da família Pteropodidae.

Eles são conhecidos também como morcegos-das-frutas ou megamorcegos. Apesar do tamanho e do visual assustadores, esses animais são considerados inofensivos. As informações são do IG.

O nome cientifico da Raposa Gigante Voadora foi inspirado nos vampiros.

Por conta do tamanho avantajado de suas asas, os pesquisadores relacionaram a figura do animal com a do ser mitológico, cuja lenda, por sua vez, foi inspirada no comportamento de morcegos menores da Europa.

Já o nome popular de raposa-voadora foi dado por ingleses no século XVIII, pela semelhança física do rosto do animal com o da raposa vermelha.

imagem06 05 2019 21 05 29 - Batman? morcego gigante pode chegar até dois metros de envergadura
Reprodução

Entre todas as espécies de megamorcegos, o  Pteropus vampyrus  é a maior. Esse tipo de  morcego gigante pode passar de um metro de altura e de dois metros de envergadura quando está com as asas abertas.

Eles vivem nas regiões tropicais do sudeste da Ásia e podem ser encontrados em países como Filipinas, Indonésia, Malásia, entre outros.

Eles se alimentam exclusivamente de frutas e néctar de flores e vivem em florestas.

Ao contrário das espécies mais conhecidas de morcegos, eles não utilizam ecolocalização para se locomoverem, e possuem a visão e o olfato muito apurados.

imagem06 05 2019 21 05 32 - Batman? morcego gigante pode chegar até dois metros de envergadura
Reprodução/Stock Photos

Espécie ameaçada

O Pteropus vampyrus  foi colocado na Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) como “quase ameaçada”.

De acordo com a organização, as mudanças climáticas e os caçadores estão diminuindo a população da espécie.

Os animais são caçados exclusivamente por seu tamanho e por conta de lendas locais que dizem que a espécie atacaria e chuparia o sangue de humanos, o que não é verdade.

Por se alimentar de néctar, o morcego gigante é um tipo de animal considerado muito importante para o ecossistema local, uma vez que eles auxiliam na polinização.

Fonte: jornalbastidoresdanoticia

--Publicidade--
Clique para comentar

Deixe seu comentário

Geral

Grupo Energisa está entre as melhores empresas inovadoras do setor de energia

Publicado

em

Por

Conquista do Prêmio Valor Inovação Brasil 2020 destaca as práticas mais relevantes realizadas pela Energisa

O Grupo Energisa está entre as empresas mais inovadoras do setor de energia brasileiro. A empresa conquistou o 3º lugar do Prêmio Valor Inovação Brasil 2020, em cerimônia especial realizada nesta quinta-feira (17/09/2020). Neste ano, 150 companhias foram avaliadas e divididas em grupos de diferentes setores, de acordo com seus investimentos em inovação, melhores práticas, novos produtos e soluções, estratégias, entre outros indicadores.

A premiação é a mais relevante sobre inovação no país. A seleção foi feita a partir de metodologia própria e critérios estabelecidos para refletir a realidade brasileira. “Nossos investimentos em inovação são contínuos desde o início de nossa história. Por isso, somos muito comprometidos com estimular práticas criativas para que os colaboradores gerem valor, seja para produzir algo 100% novo ou para trazer melhoria ao que já existe.  Acreditamos que, mesmo em setores regulados, a possibilidade de se diferenciar está na inovação colocada a serviço do cliente”, afirma Ricardo Botelho, presidente do Grupo Energisa.

Um dos destaques da Energisa em inovação é o apoio ao Energy Future, a maior chamada de projetos de inovação do setor elétrico. Este mês, o hub de inovação anunciou os seis projetos vencedores que já receberam mentoria e, agora, terão suas ideias apresentadas às empresas parceiras, inclusive à Energisa. A iniciativa tem o objetivo de conectar o meio acadêmico, centros de pesquisas e startups ao mercado. “O Energy Future é um marco. É a representação da capacidade do setor elétrico para investimento em inovação e da tendência das concessionárias em juntar forças e se aproximar do universo empreendedor”, diz Ricardo Botelho.

Além disso, a Alsol carrega o DNA de inovação no Grupo Energisa e está reinventando os rumos da energia renovável no Brasil. Em 2020, a Alsol já investiu R$ 70 milhões em quatro novas usinas de geração solar distribuída em Minas Gerais. As unidades têm capacidade de geração de cerca de 20,3 MWp (megawatt pico) – energia suficiente para abastecer 20 mil residências. Além de recarregarem os veículos elétricos do projeto de P&D MoovAlsol, as plantas também atendem a pequenas e médias empresas, levando energia limpa e a custo mais competitivo. Atualmente, a empresa está investindo outros R$ 20 milhões no estado, em mais duas usinas solares nas cidades de Iraí de Minas e Piumhi.

A inovação também foi um grande diferencial para a Energisa vencer os desafios impostos pela pandemia de Covid-19. A empresa acelerou os processos de digitalização com investimentos em inovação para ampliar o uso da tecnologia em diversas frentes. O atendimento ao cliente foi reforçado nos canais digitais (Gisa/WhatsApp, aplicativo Energisa On e o site energisa.com.br) e o 0800. O volume de interações no Gisa foi cinco vezes maior durante o período de isolamento social.

O Grupo Energisa também possui forte atuação em ecossistemas de inovação, brasileiros e internacionais. Por aqui, a empresa atua em parceria com diversos HUBs, como Inovabra, ACATE, Porto Digital, Brain, KPMG e FIEMG. Em 2019, foram aprovados 22 projetos de experimentação (PoCs), com investimento de aproximadamente R$ 5 milhões, além de terem sido realizados 50 pitches com startups. A empresa ainda prospectou ativamente soluções em Israel, Canadá, Reino Unido, EUA e China e, atualmente, tem 15 PoCs executadas do exterior.

Internamente, a inovação aberta também é fomentada com projetos como o Enova, programa que abrange todo o Grupo que incentiva os colaboradores a contribuírem com a melhoria contínua nos processos. As ideias escolhidas são financiadas e aplicadas à rotina. Somente em 2019, mais de mil ideias foram cadastradas, de 900 colaboradores. O investimento chegou a cerca de R$ 300 mil nos projetos vencedores.

O Grupo ainda mantém comitês de experimentação para o financiamento de projetos mais complexos, testando tecnologias e soluções ou validando premissas de negócios. No último ano, 40 projetos foram aprovados no escopo do programa, com ticket médio de investimento de R$ 300 mil.

Sobre a Energisa

Com 115 anos de história, o Grupo Energisa é o 5º maior em distribuição de energia elétrica. Uma das primeiras empresas a abrir capital no Brasil, a companhia controla 11 distribuidoras em Minas Gerais, Paraíba, Rio de Janeiro, Sergipe, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, São Paulo, Paraná, Rondônia e Acre. Com receita líquida anual de R$ 16,9 bilhões (ano 2019), o Grupo atende a 7,8 milhões de clientes (o que representa uma população atendida de aproximadamente 20 milhões de pessoas) em 862 municípios de todas as regiões do Brasil, além de gerar cerca de 20,5 mil empregos diretos e indiretos.

Com a missão de transformar energia em conforto, desenvolvimento e oportunidades de forma sustentável, responsável e ética, a Energisa atua com um portfólio diversificado que engloba distribuição, geração, transmissão, serviços para o setor elétrico (Energisa Soluções), serviços especializados de Call Center (Multi Energisa), comercialização de energia (Energisa Comercializadora) e soluções em energias renováveis (Alsol).


Tamiris Barcellos Ribeiro Garcia

Continue lendo

Geral

ACIAF cobra a recuperação da RO 383 Alta Floresta D´oeste Ro

Publicado

em

Por

Na manhã desta quinta feira dia 17 de setembro de 2020 a ACIAF enviou ofício ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER) solicitando a manutenção da RO-383, no trecho entre Alta Floresta e Santa Luzia do Oeste em especial os primeiros 12 km a contar da cidade de Alta Floresta.

Fonte: Assessoria Aciaf

Continue lendo

Coronavirus

Nenhum município fica na fase mais restritiva do Governo no combate ao Coronavírus

Publicado

em

Por

A Portaria Conjunta nº 21, publicada na noite de terça-feira (16), traz a nova classificação dos municípios de Rondônia no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. Diferente das anteriores, atualmente, nenhum município está na fase mais restritiva do distanciamento social controlado. No total, dos 52, 49 estão na fase 3 e apenas Cacoal, Colorado do Oeste e Vilhena na fase II. Para a Associação Rondoniense de Municípios (AROM), a conquista é vitória do Municipalismo e da população que está mantendo as medidas sanitárias necessárias.

A reclassificação dos municípios é divulgada a cada 14 dias, levando em consideração o período anterior de aumento ou redução de casos da covid-1, tendo como base a matriz de risco consolidada pelo Decreto 25.220, que definiu os critérios de enquadramento dos municípios nas fases de isolamento social controlado.

Confira a nova classificação:

Fase II

Cacoal
Colorado do Oeste
Vilhena

Fase III

Alta Floresta d’Oeste
Alto Alegre do Parecis
Alto Paraíso
Alvorada d’Oeste
Ariquemes
Buritis
Cabixi
Cacaulândia
Campo Novo de Rondônia
Candeias do Jamari
Castanheiras
Cerejeiras
Chupinguaia
Corumbiara
Costa Marques
Cujubim
Espigão d’Oeste
Governador Jorge Teixeira
Guajará-Mirim
Itapuã do Oeste
Jaru
Ji-Paraná
Machadinho d’Oeste
Ministro Andreazza
Mirante da Serra
Monte Negro
Nova Brasilândia d’Oeste
Nova Mamoré
Nova União
Novo Horizonte do Oeste
Ouro Preto do Oeste
Parecis
Pimenta Bueno
Pimenteiras do Oeste
Porto Velho
Presidente Médici
Primavera de Rondônia
Rio Crespo
Rolim de Moura

Santa Luzia d’Oeste

São Felipe d’Oeste

São Francisco do Guaporé

São Miguel do Guaporé

Seringueiras

Teixeirópolis

Theobroma

Urupá

Vale do Anari

Vale do Paraíso

Fonte: Rondoniagora

Continue lendo
--Publicidade--

Publicidades

--Publicidade--
--Publicidade--

Tendências

Copyright © 2020 Portal de Notícias Floresta Notícias. Todos Direitos Reservados.

%d blogueiros gostam disto: