Conecte-se conosco

Economia

Brasil é o 22º país que mais atrai investimentos estrangeiros

Publicado

em

País voltou a ficar entre os mais bem avaliados em ranking global

Foto: © Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Brasil voltou a figurar na lista dos 25 países mais confiáveis para o investimento estrangeiro direto (IED), segundo indicador produzido pela consultoria norte-americana A.T. Kearney, divulgado nesta terça-feira (16).

Após ficar de fora da lista no ano passado, o país é a única nação da América Latina a compor a lista no ranking de 2020. Pelo oitavo ano consecutivo, os Estados Unidos lideram como país mais atrativo para investimentos estrangeiros, seguido por Canadá, Alemanha, Japão e França. Completam a lista dos dez primeiros colocados, pela ordem: Reino Unido (6º), Austrália (7º), China (8º), Itália (9º) e Suíça (10º). 

O Índice de Confiança do Investimento Estrangeiro Direto (IED) da Kearney é uma pesquisa anual feita com executivos das 500 maiores empresas do mundo, desde 1998. As classificações são calculadas com base em perguntas sobre a probabilidade de as empresas dos entrevistados fazerem um investimento direto em um mercado nos próximos três anos. A pontuação varia em uma escala de 1 a 3. No caso do Brasil, a pontuação apurada foi de 1,65. 

“Depois de sair do ranking de 2019, o Brasil retoma uma posição este ano, ficando em 22º lugar. Entre os fatores que impulsionaram o sentimento de investimento estão a aprovação da reforma da previdência e os esforços do governo para ampliar as privatizações, o que devem estimular o crescimento da economia”, diz o relatório da Kearney sobre o desempenho do Brasil.

A consultoria define investimento estrangeiro direto como aplicação de capital por uma empresa estrangeira em uma empresa em um país diferente. É o mesmo conceito definido pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad), de que se trata de “um investimento que envolve um relacionamento de longo prazo e reflete um interesse e controle duradouros por uma entidade residente em uma economia (investidor direto estrangeiro ou empresa-mãe) de uma empresa residente em outra economia (IDE) empresa ou afiliada empresa ou afiliada estrangeira)”

Consulte a lista completa do Índice de Confiança do Investimento Estrangeiro Direto (IED) de 2020.

Efeitos da pandemia

O levantamento da Kearney foi feito entre 27 de janeiro e 3 de março, antes da eclosão da pandemia do novo coronavírus, e os efeitos da crise global só foram captados de forma parcial, no final das entrevistas.

“No início do período da pesquisa, antes da disseminação do vírus, os líderes empresariais eram razoavelmente otimistas sobre a economia global e o futuro do investimento direto. A covid-19 parecia estar contida na Ásia. De fato, mais investidores disseram estar mais otimistas sobre o próximo ano do que no ano passado. No entanto, quando os investidores perceberam que estavam ‘entrando na tempestade’ nas últimas duas semanas da pesquisa, a confiança dos investidores diminuiu de maneira previsível em todos os setores – para mercados desenvolvidos, emergentes e de fronteira, refletindo o rápido surto da pandemia”, diz a Kearney em seu relatório.

Segundo a consultoria, os investidores passaram a priorizar a indicação de mercados grandes e estáveis, com estruturas políticas e regulatórias mais previsíveis. Para a Kearney, o cenário favorece a reorientação de investimentos para as economias mais desenvolvidas, uma tendência que já vinha sendo verificada nos últimos anos. 

Clique para comentar

Deixe seu comentário

Destaques

Preços da gasolina, diesel e gás de cozinha terão aumento a partir desta quinta-feira

Publicado

em

Por

Os cearenses irão sentir no bolso o aumento dos preços da gasolina, óleo diesel e gás de cozinha. A Petrobras anunciou que vai reajustar os valores em suas refinarias a partir desta quinta-feira. De acordo com a companhia, o aumento na gasolina será de 4%, enquanto o óleo diesel terá um aumento médio de 2%. Já os preços do gás usado nas residências em botijões de 13 quilos, terá um aumento médio de 5%.

Este é o quinto reajuste de preços do produto nas refinarias da Petrobras, válido também para o produto consumido nas indústrias e comércio. O último reajuste, no dia 23 de julho, foi de 6% em média nas refinarias.

Na prática, com o aumento a gasolina que custa, em média, R$ 4,15 o litro, deve passar para R$ 4,31. Já o gás de cozinha, encontrado pelo valor médio de R$ 75, passa a custar R$ 78,75.

Fonte: O Globo

Continue lendo

Economia

Caixa vai abrir 770 agências neste sábado (8) para saques do Auxílio Emergencial e do FGTS Emergencial

Publicado

em

Por

Para atender beneficiários do Auxílio Emergencial e  do Saque Emergencial do FGTS, a Caixa Econômica vai manter abertas 770 agências neste sábado (8), das 8h às 12h. O atendimento é voltado para que pessoas nascidas de janeiro a abril possam fazer o saque em espécie do Auxílio Emergencial. Já o saque do FGTS Emergencial é para trabalhadores nascidos em janeiro e fevereiro.

A lista de agências que estarão abertas pode ser conferida no site do banco. 

Serão atendidos mais de 300 mil beneficiários do Auxílio Emergencial nascidos antes de abril e 3,8 milhões de nascidos em abril. O saque pode ser feito caixas eletrônicos, lotéricas e correspondentes Caixa Aqui. O beneficiário também pode transferir valores para contas da Caixa ou de outros bancos.

Fonte: Brasil 61

Continue lendo

Economia

Governo de Rondônia economiza mais de R$ 3 milhões em gastos administrativos durante pandemia

Publicado

em

Por

Água, luz, manutenção da frota única, combustível e passagens resultaram na economia de mais de R$ 3 milhões

No fechamento do Relatório de Redução de Gastos do Primeiro semestre de 2020, a Superintendência de Gestão dos Gastos Públicos Administrativos (Sugesp) constatou uma economia de mais de R$ 3 milhões, em comparação ao mesmo período de 2019, com as despesas de água, luz, manutenção da frota única, combustível e passagens.

De acordo com o superintendente da Sugesp, coronel Carlos Lopes, já no primeiro trimestre deste ano, houve uma redução de 20% em relação ao mesmo período do ano anterior, chegando ao montante que supera a economia feita em 2019, resultado de um controle aplicado, ainda mais rígido desde o início de 2020.

Lopes ainda destaca que a chegada do Decreto N° 25.108, de 02 de Junho de 2020, que Instituiu o Plano de Contingenciamento de Gastos para o Enfrentamento da Pandemia de Covid-19, no âmbito do Poder Executivo do Estado de Rondônia, veio ao encontro do trabalho que já vinha sendo executado pela Sugesp. “A finalidade da Sugesp é gerir os gastos públicos, e gerir bem. Por isso, logo no início de 2020, aprimoramos a mesma política de controle que implantamos em 2019 e que trouxe ótimos resultados, a exemplo da redução que obtivemos com diárias, onde houve uma diminuição de 30% se comparado ao ano de 2018”, disse.

Lopes concluiu esclarecendo que essa foi uma das determinações do governador Marcos Rocha, quando lhes foi dada a missão de estar à frente da Sugesp. “A premissa é reduzir para entregar mais, de forma eficiente”.

O valor da economia será destinado a ações prioritárias estabelecida pelo governo.

Fonte
Texto: Marina Espíndola e Marcela Alves
Fotos: Ésio Mendes
Secom – Governo de Rondônia

Continue lendo
--Publicidade--
--Publicidade--

Publicidades

--Publicidade--
--Publicidade--

Tendências

%d blogueiros gostam disto: