conecte-se conosco

Geral

Pai cria aplicativo para bloquear celular do filho até que ele responda

Publicado

em

App criado por britânico Nick Herbert consegue travar tela do celular, além de emitir aviso sonoro e interromper o que usuário está fazendo.

O britânico Nick Herbert estava cansado de ser ignorado por seu filho quando ligava ou mandava mensagens para ele. Um dia, resolveu agir de forma criativa: criou um aplicativo que obriga o menino a respondê-lo.

“Aos 13 anos, Ben já tem seu próprio celular. Usa o aparelho principalmente para brincar, mas o deixa no modo silencioso. Então, ficava muito difícil entrar em contato com ele”, diz Herbert à BBC Mundo, o serviço em espanhol da BBC, por telefone.

“Percebi que o alarme do celular funciona mesmo se o telefone estiver no silencioso. Pensei em criar algo que aproveitasse essa função”, conta.

Foi assim que nasceu o ReplyASAP (algo como “resposta imediata”, em tradução livre). O aplicativo consegue travar a tela do celular, além de emitir um aviso sonoro irritante e interromper o que o usuário está fazendo.

Só é possível retomar o controle do aparelho se responder à mensagem recebida ou atender à ligação. Para que funcione, o pai precisa instalar o programa em seu próprio celular e também no dispositivo do filho.

O aplicativo permite entrar em contato com o usuário para mandar mensagens urgentes e também envia notificações quando elas forem lidas. “Não é possível ignorar a mensagem e ainda consigo saber quando ele a visualizou”, afirma o britânico.

Para coisas importantes

“Esse aplicativo é para a pessoa que se sente frustrada quando suas mensagens de texto são ignoradas porque o celular do outro fica no modo silencioso o tempo todo” – esse é o resumo da ferramenta em uma loja de online.

O aplicativo custa US$1 (R$ 3,15). A versão gratuita oferece a possibilidade de conectar um aparelho ─ o modo pago permite a instalação em até 20 celulares.

“A princípio, meu filho não gostou do que eu fiz”, diz Herbert, que vive em Londres e tem 45 anos. “Mas depois ele entendeu a situação e até achou útil”, acrescenta. Ele explica que não usa a ferramenta “todo o tempo”, e sim “apenas para coisas importantes”.

Além do controle dos pais

Herbert nunca havia se envolvido no desenvolvimento de um aplicativo antes do ReplyASAP. Segundo ele, foram “vários meses” da ideia ao lançamento.

A primeira versão do app foi lançada em agosto para Android – a versão para iOS (sistema operacional dos celulares Apple) ainda está em desenvolvimento. “Estou aprendendo muito sobre como melhorar o aplicativo. Muita gente me escreveu para dar opinião”, diz Herbert.

O aplicativo já tem 36 mil usuários e por enquanto só está disponível em inglês – outras línguas devem ser adicionadas em breve. Além disso, Herbert está pensando em outros usos para o app, além do controle dos pais sobre os celulares dos filhos.

“A princípio, pensei apenas em pais e filhos, mas já me ocorreram outras aplicações, como famílias com pessoas mais velhas e também para empresas, especialmente para quem trabalha de forma remota”, diz.

Mas não existe o risco de pessoas usarem o aplicativo para outros fins, como em caso de assédio ou contatos invasivos?

“Pensei nisso quando criei [a ferramenta]. Mas o sistema necessita que as duas pessoas tenham o aplicativo instalado. Você pode rejeitar o convite para fazer o download ou mesmo desinstalar”, responde Herbert.

“Meu filho e eu usamos de forma prudente, apenas quando é realmente necessário”, conclui.

Fonte: G1

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe seu comentário

Destaques

Promoção Fecha Mês do Comercial Tradição Venha Aproveirtar

Publicado

em

Por

Continue lendo

Destaques

EUA avisam população para se preparar para o coronavírus

Publicado

em

Por

‘Estamos pedindo para os americanos se prepararem para a expectativa de que pode ser ruim’, disse autoridade do Centro de Controle e Prevenção de Doenças.

Novo coronavírus: Trump pede ao Congresso fundo bilionário contra doença

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos informou nesta terça-feira (25) que os americanos devem se preparar para a chegada do novo coronavírus ao país. “Estamos pedindo para os americanos se prepararem para a expectativa de que pode ser ruim”, disse um oficial do CDC.

“A questão não é se o coronavírus vai chegar aos Estados Unidos, mas quando”, declarou a diretora do Centro Nacional de Imunização e Doenças Respiratórias do CDC, Nancy Messonnier.

Ela disse que as autoridades de saúde pública não têm ideia se a propagação da doença nos Estados Unidos é leve ou grave, mas que os americanos devem estar prontos para uma perturbação significativa em suas vidas diárias.

O secretário de Saúde Alex M. Azar disse ao Senado que “é um desafio mundial à saúde sem precedentes e potencialmente grave”.

Segundo ele, os departamentos de saúde federais e locais precisarão de até 300 milhões de máscaras para profissionais de saúde e ventiladores adicionais para hospitais se prepararem para um grande surto de coronavírus.

“Não podemos hermeticamente isolar os Estados Unidos de um vírus”, disse Azar. “E precisamos ser realistas sobre isso.”

O presidente norte-americano Donald Trump disse nesta terça-feira em entrevista coletiva na Índia que os Estados Unidos são capazes de se proteger contra a propagação do coronavírus. “Acho que toda a situação começará a dar certo”, disse.

Na segunda-feira, o governo Trump solicitou a liberação de US$ 2,5 bilhões ao Congresso para impedir a propagação do vírus – US$ 1,25 bilhão para novos fundos de emergência e desvio de outros US$ 1,25 bilhão de outros programas federais.

Casos nos EUA e no mundo

Os últimos números oficiais mostram que existem 53 casos confirmados de Covid-19 nos EUA, dos quais 36 correspondem a passageiros do cruzeiro Diamond Princess, que foi ancorado no Japão e repatriado na semana passada.

Enquanto isso, a China, o epicentro da doença, tem agora mais de 77 mil casos e mais de 2,6 mil mortes, enquanto o número de infecções e mortes continua subindo em outros países, com destaque para as situações de Coreia do Sul, Irã e Itália.

O Brasil ainda não teve casos confirmados. Até a última atualização do Ministério da Saúde, na segunda-feira (24), quatro casos estavam sendo monitorados como suspeitos para o novo coronavírus: três em São Paulo e um no Rio de Janeiro

OMC descarta pandemia

Os mais de 80 mil casos a nível mundial levaram a Organização Mundial de Saúde (OMS) a classificar o surto de Covid-19 como “emergência internacional”, descartando pandemia. O CDC diz que a doença está se espalhando e evoluindo rapidamente, tornando inevitável que ela se espalhe pelo território americano.

Além disso, o centro recomendou que seja feito um planejamento porque a esperada propagação por todo o país culminará com perturbações significativas na vida cotidiana devido, por exemplo, ao fechamento de escolas e creches.

Nancy Messonnier afirmou aos repórteres que ela própria se sentou com a sua família hoje cedo para discutir medidas de prevenção e como estar preparada caso as escolas não funcionem.

Em uma tentativa de aliviar a situação, o Centro Médico da Universidade de Nebraska (UNMC) iniciou testes clínicos para avaliar a segurança e eficácia de um antiviral em adultos hospitalizados após terem sido diagnosticado com Covid-19, informou terça-feira o Instituto Nacional de Saúde.

O primeiro paciente neste primeiro teste é um homem que foi repatriado após ser colocado em quarentena no Diamond Princess e se voluntariou para participar do estudo.

Do número total de casos de coronavírus nos EUA, além dos 36 que estavam a bordo do cruzeiro, outros três também foram repatriados, mas neste caso da província chinesa de Wuhan, o epicentro da epidemia.

Os 14 casos restantes correspondem a pessoas diagnosticadas em solo americano, oito dos quais foram identificados na Califórnia e duas em Illinois. Massachusetts, Arizona, Wisconsin e Washington State têm, cada um, um caso.

Entre todos esses relatos houve dois casos de infecção local, um na Califórnia e outro em Illinois.

Fonte: G1

Continue lendo

Geral

Chuvas Interditam ponte do travessão da Linha 118 em Alta Floresta Ro

Publicado

em

Por

Moradores do travessão da Linha 118, na área rural do Município de Alta Floresta D’Oeste, entraram em contato com a redação do site Florestanotícias.com e comunicaram que as fortes chuvas que atingiram a região no sábado (22), causaram prejuízos a uma ponte que fica na estrada vicinal, deixando o trecho praticamente intransitável.

O travessão da Linha 118 fica depois do Distrito de Nova Gease, na região da Terra Indígena Rio Branco.
O vereador Reinaldo do Idaron informou que vai entrar em contato com a Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura (SEMIE) para solicitar os serviços de recuperação.De acordo com os moradores da região, as cabeceiras da ponte foram prejudicas.

FONTE: Florestanotícias.com

Continue lendo

Publicidades

Tendências

tradição-largo4
%d blogueiros gostam disto: