Home / Educação / Papel da criança em ações no trânsito em Rondônia é significativo

Papel da criança em ações no trânsito em Rondônia é significativo

Oficina de pilotagem do Detran no Espaço Alternativa

No encerramento da Semana Nacional do Trânsito, Rondônia acumula conquistas e reage bem ao promover campanhas educativas de resultado na maioria das escolas estaduais e, agora, também, nas escolas municipais.

Mesmo assim, conforme analisou hoje (25) o diretor de educação do Detran, Solano Ferreira, é preciso o esforço geral para consolidar ações.

“A cada dia nos deparamos até com 25 acidentados com motos, alguns resultando em mortes”, comparou.

Segundo ele, os hospitais regionais de Cacoal e Ji-Paraná recebem vítimas até de pequenos municípios.

Durante oficinas de pilotagem em parceria com o Detran, a concessionária Master Motos criou multiplicadores entre os 30 participantes em duas turmas que aprenderam direção segura.

Ferreira lembrou a redução em 42% da quantidade de acidentes em relação ao ano de 2016. “Isso é importante para nós: Rondônia ficou em 1º lugar no ranking nacional de diminuição de acidentes e poderá reduzi-los ainda mais. A França conseguiu redução de 60%”, comparou.

Elogiou a Lei Seca, “onde se tira de circulação pessoas que colocam em risco a própria vida e a vida de pessoas sadias”. Polícia Militar e Detran constatam que as blitzes “afugentam a marginalidade” na região onde são realizadas. É significativa a quantidade de motos e veículos roubados, apreendidos nessas operações.

CRIANÇAS “MULTAM” OS PAIS

Talão de mini multas a tiracolo, a criançada vive um momento especial no combate aos acidentes de trânsito.

Ao aprenderem as regras e mesmo as leis, meninos corrigem os pais, aplicando métodos criados pelo Detran em parcerias. Surgiram os agentes mirins.

O sorvete (grave), o chocolate (leve e médio) e o presente (gravíssimo) formam o trio que pune os pais. Eles os pagam aos filhos por infringirem a lei enquanto dirigem.

“Falar ao telefone, ao volante, é tão grave quanto dirigir embriagado. O problema do trânsito não é mais de segurança pública, como há tempos foi apregoado, mas de desvio de conduta”, constatou Ferreira.

Infrações constantes na mini multa:

► Estacionar em cima da calçada (grave, 5 pontos na carteira)
► Não usar o cinto de segurança (5)
► Avançar o sinal vermelho (7, gravíssima))
► Falar ao telefone celular enquanto dirige (4, média)
► Jogar lixo na rua (4)
► Parar em cima da faixa de pedestre (leve, 3)
► Não usar capacete para andar de moto (7)
► Levar criança no banco da frente (7)

Solano Ferreira, diretor de educação do Detran

UM ACIDENTADO “VALE” POR 5 DOENTES

Um acidentado ocupa o lugar de cinco doentes que aguardam cirurgias eletivas em hospitais, alertou o diretor de educação.

“Essa pessoa cria problemas para o Samu, bombeiros, exige cirurgias ortopédicas, próteses, fisioterapia e, consequentemente, acompanhamento psicossocial; às vezes ela é quem supre a família, e se morrer, acarreta problemas aos seus entes”, disse.

São parceiros do Detran: a Secretaria Estadual de Educação (Seduc), o Corpo de Bombeiros Militar, a Secretaria Municipal de Trânsito e as penitenciárias. Todos eles contribuirão com o governador Confúcio Moura na elaboração do Programa Rondônia Segura.

“Ele tem um profundo olhar para a saúde, cidadania e o seu comprometimento maior com a educação possibilitou a elevação da antiga coordenadoria em diretoria de educação, o que soma com a fiscalização da Lei Seca”, comentou.

Faculdades, Seguradora Porto Seguro e grandes empresas  aderiram ao movimento. “As empresas, por causa das baixas sofridas em consequência de sucessivas licenças de seus colaboradores”, observou Ferreira.

UM VASTO TERRITÓRIO

O instrutor Roniclei Paz comemorou: “Visitamos até creches”.

Em Rondônia, 72 unidades do trânsito em 52 municípios participam de ações. Elas se estendem aos distritos, entre os quais, Extrema (Ponta do Abunã), que dista 365 quilômetros de Porto Velho, quase a mesma entre a capital e o município de Ji-Paraná.

Além dos cinco distritos do Baixo Madeira e dos sete na região oeste do estado, essas ações chegam ainda a escolas de povoados e vilas.

No contexto de suas palestras, o diretor de educação utiliza aspectos pedagógicos e de legislação. Assim, por exemplo, ele chama atenção para impactos psicossociais. Ferreira elogiou o empenho da Seduc por facilitar a inclusão do trânsito na formação da cidadania.

“Quatro anos de parceria nos deram experiência para ampliar ações na rede pública estadual e abriram caminho para o ingresso na rede municipal de ensino”, assinalou.

Fonte
Texto: Montezuma Cruz
Fotos: Arquivo Detran e Jeferson Mota
Secom – Governo de Rondônia

Comments

comments

Sobre floresta

Verifique também

Câmara Municipal realizou reunião especial com representantes Municipais

A Câmara Municipal através da Comissão Permanente de Educação Saúde Assistência Social, composta pelos Vereadores …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: