fbpx
Conecte-se conosco

Geral

Pesquisador e jornalista da Embrapa recebem prêmio Fapero Ciência e Tecnologia

Publicado

em

Pesquisador Alexsandro Teixeira e jornalista Renata Silva recebem Prêmio Fapero

Esta foi a primeira edição do Prêmio “Prof. Dr. Luiz Hildebrando Pereira da Silva”, da Fundação Rondônia de Amparo ao Desenvolvimento das Ações Científicas e Tecnológicas e a Pesquisa – Fapero. O objetivo é incentivar a produção científica, tecnológica e de inovação no estado, por meio do reconhecimento de ações de pesquisadores e jornalistas com atuação de destaque. A Embrapa Rondônia conquistou duas premiações: o 2º lugar na categoria Pesquisador Inovador, com Alexsandro Teixeira; e o 1º lugar na categoria Profissional de Comunicação, com a jornalista Renata Silva.

Para Teixeira, é o reconhecimento do trabalho que a Embrapa vem fazendo em prol do desenvolvimento da agropecuária em Rondônia e ajudando na melhoria da qualidade de vida dos produtores e da sociedade. “Temos atuado em equipe e com dedicação para desenvolver novas cultivares clonais de café para Rondônia e região Amazônica. Também estamos fazendo com que elas cheguem aos produtores. São materiais com alta produtividade por área e qualidade que podem promover a transformação no campo e na vida das famílias”, afirma o pesquisador. 

A jornalista Renata Silva destaca o importante papel da comunicação na divulgação científica e no processo de adoção de tecnologias no campo. “A transformação ocorre com a apropriação do conhecimento e com as trocas de saberes. Acredito que a comunicação é fundamental neste processo, pois atua de maneira transversal e como um elo importante que conecta pesquisadores, produtores e sociedade”, aponta Renata, que compartilha a premiação com toda a equipe envolvida no trabalho. A reportagem premiada traz como foco a produção de cafés Robustas Amazônicos Especiais em Rondônia e a inclusão social, por meio da produção de um documentário com recursos de acessibilidade. Acesse aqui: bit.ly/3iViqkD

O presidente da Fapero, Paulo Haddad, ressalta que o prêmio é, além de um incentivo, o reconhecimento da qualidade da produção científica e inovação em Rondônia. “Que esta premiação represente nosso esforço em promover a ciência e valorizar os cientistas e profissionais que atuam na difusão do conhecimento científico em Rondônia”, destaca Haddad. 

O diretor científico da Fapero, Andreimar Soares, aponta a missão da instituição em consolidar o sistema de ciência e tecnologia e reconhecer os profissionais que atuam neste processo é fundamental. “Ciência para mim é transformação social. Como pesquisador há 28 anos, vivencio esse processo e vejo pessoas que, por meio da ciência, saíram da pobreza e hoje são doutores, estão no mercado de trabalho como pesquisadores. Precisamos valorizar a ciência!”, afirma Andreimar.

Premiados

O Prêmio FAPERO 2021 foi entregue a sete profissionais de destaque pela realização cientifica, tecnológica e inovadora de reconhecido valor para o progresso da Ciência em Rondônia. Eles foram divididos em três categorias:

– Pesquisador(a) Destaque: 1º lugar Juliana Pavan Zuliani; 2º lugar Deusilene Souza Vieira Dallacqua; e 3º Lugar Najla Benevides Matos, todas pesquisadoras da Fiocruz Rondônia.

– Pesquisador(a) Inovador(a): 1º lugar Leonardo de Azevedo Calderón, da Fiocruz Rondônia; 2º lugar Alexsandro Lara Teixeira, da Embrapa Rondônia.

– Profissional de Comunicação: 1º lugar Renata Kelly da Silva, da Embrapa Rondônia; 2º lugar José Gadelha da Silva Junior, da Fiocruz Rondônia.
 

Prêmio Luiz Hildebrando Pereira da Silva

Esta premiação é uma homenagem in memoriam ao pesquisador que deixou um legado para a saúde pública no Brasil (1928 – 2014). O professor Hildebrando integrou o grupo de pesquisadores do Instituto Pasteur, em Paris, e se mudou para Rondônia no fim da década de 90, atraído, principalmente, pelo desejo de fazer pesquisa. Influenciou uma nova geração de pesquisadores e o seu legado pode ser visto no entendimento de doenças tropicais e negligenciadas como a malária, além das hepatites virais e arboviroses. Acesse mais informações sobre o professor Hildebrando na Fiocruz: https://bit.ly/3BDzdjO 

Núcleo de Comunicação Organizacional (NCO)

Embrapa Rondônia

Clique para comentar

Deixe seu comentário

Geral

Pulgas e carrapatos: pesadelos para cães e tutores. Mas é possível resolver

Publicado

em

Coceira, perda de pelo e até feridas. Esses são alguns dos problemas nos cães acometidos por ectoparasitas. Pulgas, carrapatos, piolhos e ácaros representam um verdadeiro pesadelo para os pets e seus tutores. Segundo a médica veterinária Patricia Guimarães, responsável pelo departamento técnico de marketing da Syntec do Brasil, prevenir o aparecimento de pulgas e carrapatos é a forma mais efetiva de combater os ectoparasitas. “Cuidados podem ser tomados por meio da utilização frequente de produtos tópicos ou sistêmicos, que auxiliam na proteção contra pulgas e carrapatos, na forma de pipetas, comprimidos orais ou coleiras especiais. Dar banhos regularmente e a manter os pelos curtos, principalmente nas estações de calor, quando a proliferação é mais intensa, também são medidas importantes”, explica a especialista.

A contaminação dos pets acontece no ambiente ou pelo contato direto ou indireto com animais com algum nível de infestação. “Estima-se que mais de 80% dos cães possuem alguma espécie de ectoparasita. Para saber se o seu cão está com pulgas ou carrapatos, é necessário realizar um minucioso exame físico, além da observação de sintomas, como queda de pelo, coceira em excesso, vermelhidão, descamação, hiperpigmentação, espessamento da pele e outras lesões e alterações, além da própria visualização do ectoparasita na fase adulta e suas fezes (no caso de pulgas) no corpo cão”, explica a veterinária.

As principais doenças causadas são erliquiose, babesiose, anaplasmose, hepatozoonose, febre maculosa, rangeliose, dermatite alérgica à picada de pulgas (DAPP) e a ectoparasitas (DAPE), demodiciose e a Doença de Lyme, onde muitas delas podem levar o cão a óbito. “Se o cão estiver com nível elevado de infestação por ectoparasitas e não receber o correto tratamento, tanto o de suporte quanto o de combate direto, ele pode sofrer consequências muito sérias devido ao agravamento das doenças”, relata Patricia Guimarães.

Ela destaca que raças com grande quantidade de pelo e/ou pelo longo, demandam maior atenção e cuidados por parte dos tutores, pois essas características facilitam a infestação e dificultam a visualização das pulgas e dos carrapatos presentes no corpo do animal.

Segundo a veterinária da Syntec, o principal tratamento contra pulgas e carrapatos exige o uso de ectoparasiticidas tópicos ou orais, como K-Spot, produto tópico que combate as formas ovais, larvais e adultas de pulgas, carrapatos e piolhos. “Em associação, podemos utilizar shampoos específicos e limpar frequentemente os locais onde o cão normalmente habita, além dos demais objetos como caminhas, roupinhas, brinquedos e comedouros. Em alguns casos, se faz necessário encaminhar o animal para o médico veterinário por conta do nível elevado de infestação, onde um tratamento suporte é empregado junto a cuidados intensivos”, recomenda.

K-Spot é indicado apenas para cães e pode ser utilizado em animais adultos, idosos, fêmeas gestantes e lactantes e filhotes acima de 6 semanas de idade. O produto é eficaz no tratamento de ectoparasitoses causadas por pulgas e carrapatos. Também é indicado para tratamento e controle da Dermatite Alérgica a Picadas de Pulgas (DAPP) e controle das infestações dos cães por cestódeos.

Sobre a Syntec

A Syntec é uma indústria de produtos para saúde animal 100% brasileira, com foco em medicamentos e suplementos veterinários de alta complexidade. Seu portfólio é amplo, incluindo terapêuticos, especialidades, produtos para higiene e saúde, suplementos e, agora, vacinas animais. Mais informações: www.syntec.com.br

Fonte: Fernanda Souza/Texto Assessoria

Continue lendo

Geral

Como retornar ao trabalho sem culpas após a licença maternidade

Publicado

em

Atualmente, muitas mães de primeira viagem quando tem o seu primeiro filho ficam com muitas dúvidas e questões para pensar em aberto, e uma delas normalmente é a de como retornar ao trabalho sem culpas após a licença maternidade.

As mulheres da sociedade moderna não são mais donas de apenas um papel ou de uma única função, elas trabalham, se casam, cuidam da casa e também têm filhos.

O sonho da maternidade está presente na maioria das mulheres, mesmo nos dias atuais, que mesmo possuindo uma vida corrida, desejam poder ter os seus filhos e continuar conquistando o mundo do trabalho.

Mas a verdade é uma só, com mais responsabilidades, mais desafios acometem essas mulheres, que irão enfrentar muitos dilemas e guerras internas, analisando questões como a de como retornar ao trabalho sem culpas após a licença maternidade.

Qual é o tempo da licença maternidade para a mulher?

A futura mãe tem direito a 4 ou 6 meses de licença maternidade, segurada pelo INSS, sem nenhum prejuízo em seu salário ou no seu emprego.

Porque algumas mulheres têm direito a 6 meses de licença maternidade?

A possibilidade de prorrogação da licença maternidade de 4 para 6 meses se dá para as mulheres que trabalham em empresas que participam do Programa da Empresa Cidadã. As mulheres com cargos de deputadas e senadoras também podem ter 6 meses de licença maternidade.

Mas então, como retornar ao trabalho sem culpas após a licença maternidade?

Mesmo que o tempo da licença maternidade seja de 4 ou 6 meses, uma coisa é certa, esse tempo é muito curto para aproveitar realmente o pequeno e proporcionar todos os cuidados para ele! E muitas mães sentem muita culpa e até mesmo uma vontade de largar o emprego para poderem cuidar dos seus filhos por mais alguns meses.

Mas o ato de largar o emprego em um momento de nervosismo e culpa não é recomendado por especialistas, dado que algumas medidas podem ser tomadas para a mãe entender como retornar ao trabalho sem culpas após a licença maternidade. Vamos agora mesmo analisar essas dicas nos tópicos a seguir:

O primeiro e principal ponto: com quem o bebê será deixado?

Quando a mãe souber com quem deixar a criança depois da licença maternidade, certamente as suas noites serão mais tranquilas e melhores dormidas (ou não, porque o bebê ainda é pequeno).

A verdade é que não existe a resposta ideal de qual pessoa deve ser confiada para se deixar o bebê.

As opções variam, e devem ser consideradas de acordo com a realidade da pessoa, da sua família e da sua situação financeira. Essa escolha deve ser feita de uma forma muito consciente, e pode variar entre algum parente, uma babá, uma creche ou até mesmo o pai da criança, dado que muitos pais nos dias de hoje assumem essa missão.

Essa decisão deve ser tomada o quanto antes para a mãe não ficar angustiada, prejudicando a sua vida pessoal e mesmo profissional.

Entenda essa culpa e se perdoe

Lembre-se que de maneira alguma você está abandonando o pequeno, mas sim saindo para trabalhar e proporcionar um bom futuro para ele. Uma criança envolve muitos gastos, dado que a mãe irá querer dar do bom e do melhor para o pequeno, esses gastos envolvem deliciosas compras na loja Pama Kids, gastos com fraldas, fórmulas, sapatinhos e diversas outras delícias do mundo da maternidade.

Mas todas essas coisas envolvem dinheiro, e é para garantir o melhor para o filho que a mãe está voltando para trabalhar.

Dê valor ao trabalho e seja produtiva

A mãe deve se lembrar que o seu trabalho irá garantir para a criança um bom futuro e que sejam atendidas todas as suas necessidades básicas. Além do mais, a mãe deve se lembrar do quanto lutou por aquele emprego e focar em como retornar ao trabalho sem culpas após a licença maternidade.

Ela deve evitar expor as dificuldades que está enfrentando no ambiente de trabalho, se tiver alguma observação ou alinhamento que deve ser feito, ela deve comunicar a sua gestão imediatamente, para que não haja espaço para conversas sem necessidade.

É importante que essa mãe também efetue da melhor forma às suas atividades e não fique se lamentando, sabendo que está agindo da melhor forma em prol da criança.

Como última dica – fora do trabalho, seja inteiramente da criança!

Isso mesmo, a mãe deve dar o seu melhor no ambiente de trabalho, mas fora dele, deve esquecê-lo e se ocupar de cuidar da sua família recém-formada e do seu bebê, que certamente está com muita saudade de passar muito tempo com a sua mãe.

Dar toda a atenção e amor para a criança no tempo livre certamente é a melhor dica de como retornar ao trabalho sem culpas após a licença maternidade.

Fonte: Lucas FBS

Continue lendo

Geral

Caminhoneiros prometem greve total em 1° de novembro

Publicado

em

Categoria pretende ‘pressionar’ o governo, sobretudo pela alta do diesel

Continue lendo
--Publicidade--

Ultimas Notícias

--Publicidade--

Publicidades

Agronegócio

Policial

Internacional

Tendências

%d blogueiros gostam disto: