fbpx
Conecte-se conosco

Saúde

Porto Velho reduz intervalo entre doses da vacina Pfizer para 50 dias

Publicado

em

Doses da Pfizer — Foto: Heudes Regis/SEI-PE

A prefeitura de Porto Velho decidiu reduzir o intervalo de aplicação entre a 1ª e a 2ª dose da vacina Pfizer. Agora, os moradores da capital poderão tomar as duas doses do imunizante em um intervalo de 50 dias.

Segundo o Painel Vacinômetro da prefeitura, mais de 100 mil pessoas precisam tomar a 2ª dose da Pfizer.

De acordo com a administração municipal, a mudança tem como intuito “acelerar a imunização, considerando que já foram detectadas ocorrências da variante delta no município”.

Além disso, a prefeitura informou que 70 mil moradores não tomaram a 1ª dose do imunizante e por isso, houve “acúmulo [do imunizante] na rede de frios do município”.

O que diz a bula?

A bula da farmacêutica, disponibilizada no site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), orienta um intervalo maior ou igual a 21 dias (de preferência 3 semanas) entre a primeira e a segunda dose.

O documento alerta que a pessoa vacinada “pode não estar protegida até pelo menos 7 dias após a segunda dose da vacina”.

Intervalos

Dentre as vacinas disponíveis, a segunda poderá ser aplicada nos seguintes prazos:

  • CoronaVac – 28 dias
  • AstraZeneca – 90 dias
  • Pfizer – 50 dias

Pontos de imunização

A prefeitura informou que a mudança no intervalo de aplicação entre as doses já está em vigor nos pontos de vacinação. Atualmente, dois pontos de imunização atendem a população, durante a manhã, tarde e noite. Veja pontos:

Sexta-feira (8)

  • Local: Porto Velho Shopping e Escola do Legislativo
  • Horário: das 14h às 19h (shopping) e 9h às 16h (escola)

Sábado (9)

  • Local: Porto Velho Shopping
  • Horário: das 14h às 19h

Vacinação

Até quinta-feira (7), 341.108 pessoas tomaram a 1ª dose da vacina em Porto Velho, segundo dados do Portal Vacinômetro da prefeitura. Desse total, 178.400 tomaram a 2ª dose.

Fonte: G1/Ro

Clique para comentar

Deixe seu comentário

Saúde

EUA autorizam mix de vacinas e reforço para quem tomou Janssen

Publicado

em

No Brasil, o mix de vacinas já é adotado. Entretanto, a dose de reforço da Janssen ainda não foi definida.

A agência reguladora norte-americana (FDA, sigla em inglês) autorizou o “mix de vacinas” para a aplicação de doses de reforço contra a Covid-19. A prática é conhecida ainda como “intercambialidade” ou “vacinação heteróloga”.

A FDA também autorizou uma nova dose para as pessoas vacinadas com o imunizante da Janssen contra a Covid-19. A vacina, desenvolvida pelo braço de vacinas da farmacêutica americana Johnson & Johnson, é aplicada em regime de dose única.

As orientações foram divulgadas nesta quarta-feira (20) e confirmam as recomendações divulgadas por um comitê independente na sexta-feira. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), órgão de saúde dos Estados Unidos, ainda deve oficializar as diretrizes no próximos dias.

No Brasil, o mix de vacinas já é adotado. Entretanto, a dose de reforço da Janssen ainda não foi definida. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) diz ter solicitado à fabricante estudos sobre o tema.

Regra vale para vacinas aprovadas

Em seu comunicado, a FDA esclareceu que “qualquer uma das vacinas contra a Covid-19 disponíveis [e aprovadas] pode ser administrada como dose de reforço heteróloga após a conclusão da vacinação primária”.

Além disso, apontou que “as pessoas elegíveis e os intervalos para que seja administrada a dose de reforço heteróloga são iguais aos autorizados para a dose de reforço da vacina utilizada para a vacinação primária”.

No caso da Janssen, como já tinha sido sugerido pelo comitê, o intervalo será de dois meses.

“Por exemplo, pessoas com 18 anos de idade ou mais imunizadas com a vacina da Janssen podem receber uma dose única de reforço do mesmo imunizante, da vacina Moderna (meia dose) ou da vacina Pfizer-BioNTech após um intervalo mínimo de dois meses”, detalhou a FDA.

Fonte: G1

Continue lendo

Coronavirus

Rondônia registra 191 novos casos e uma morte nesta quarta-feira (20)

Publicado

em

Teste clínico Covid-19 — Foto: Reprodução/TV Globo

Rondônia teve 191 novos casos registrados de Covid-19 e uma morte contabilizadas nesta quarta-feira (20).

Desde o início da pandemia, o estado tem 6.559 vítimas fatais da doença. No total, 268.187 pessoas já tiveram, ou ainda estão com a doença, desde março de 2020.

Os dados são do boletim das Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), Superintendência Estadual de Tecnologia da Informação e Comunicação (Setic) e Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

*Os dados de casos e mortes por Covid não foram divulgados entre os dias 1º e 5 de outubro.

Também foi informado que o estado tem:

  • Pacientes recuperados – 260.326
  • Casos ativos – 1.302
  • Pacientes internados – 67
  • Testes aguardando resultado do Lacen – 52

Vacinados

O boletim aponta que 1.151.379 pessoas tomaram a primeira dose de vacina contra Covid-19 em Rondônia e 690.817 se imunizaram com a segunda.

Fonte: G1/RO

Continue lendo

Coronavirus

Alta Floresta tem 51 pessoas com covid-19 e registra 07 novos casos nesta quarta feira

Publicado

em

O boletim epidemiológico nesta quarta-feira 20 de outubro, divulgado pela SEMSAU (Secretaria Municipal de Saúde), confirmou mais 07 casos de COVID-19 no município.

Confira os dados:

Casos notificados: 12.377

Casos confirmados: 4.208, sendo 4.091 curados, 51 em tratamento e 66 óbitos.

Casos suspeitos: 06

Casos descartados: 8.163

Suspeitos internados em tratamento hospitalar: 00

Suspeitos internados em UTI: 00

Confirmados internados em tratamento hospitalar: 00

Confirmados internados em UTI: 00

Fonte: Decom

Continue lendo
--Publicidade--

Ultimas Notícias

--Publicidade--

Publicidades

Agronegócio

Policial

Internacional

Tendências

%d blogueiros gostam disto: