fbpx
Conecte-se conosco

Educação

Tecnologia é aliada de professores de RO em tempos de pandemia

Publicado

em

Professores percebem que o ensino remoto foi a melhor forma de unir estudos com uma pandemia

Durante o estado de calamidade pública foi determinado através do Governo estadual, o decreto que institui o ensino remoto em Rondônia. Aulas online em escolas estaduais acontecem desde março, a fim de obedecer normas sanitárias do distanciamento social. Com isso, professores e alunos precisaram se adaptar com o novo momento. As aulas remotas foram elaboradas por cada professor que se reinventou, lousas e carteiras deram espaço para mini estúdios improvisados, e o celular que antes era considerado inimigo da concentração dos discentes, virou aliado, um meio de ligação entre aluno e professor para a troca de conteúdos diários.

Mas nem todos estavam preparados para esta drástica realidade. Nascida no interior do Piauí, Francisca Souza escolheu o Estado de Rondônia, para estudar e realizar o sonho de ser professora. Há quase 30 anos lecionando e lotada atualmente na Escola Estadual São Luiz, viu a necessidade de evoluir tecnologicamente com o ensino à distância, e confessa que fugia do assunto.

“Digo ‘bom dia, estudos regionais, vou mandar uma atividade’, e eles ficam esperando”, conta a professora Francisca

“Eu me senti analfabeta de novo, foi muito difícil, tive que pedir ajuda de outros colegas, para aprender a fazer vídeos, que foi uma orientação da diretora da escola, as videoaulas. Como eu já entendia como mandar mensagens por um aplicativo no celular, achei melhor adaptar e enviar perguntas e conteúdo para meus alunos por mensagens e organizei eles por grupos, aí eu aperto aqui (demostra ela com celular na mão), digo ‘bom dia, estudos regionais, vou mandar uma atividade’, e eles ficam esperando”.

Ela conta ainda, que perdeu muitos entes queridos por causa da Covid-19, e lecionar isolada em casa se tornou um fato marcante, pois emocionada lembra quando precisou atender alunos durante o luto. “De vez em quando, eu enviava áudio sem querer para todos os grupos dizendo ‘meu Deus, Maria Helena morreu, ou fulana’, aí depois saia pedindo desculpas, e os alunos com dúvidas de conteúdos ao mesmo tempo, então foi bem difícil, eu choro”, lacrimejando conta a professora.

Apesar disso, percebeu que esta foi a melhor forma de unir estudos com uma pandemia. “Eu vejo que os pais se envolvem muito mais com seus filhos, revisam as tarefas antes de enviar pra mim, vejo que há interatividade, e a consciência deles né, para não perder o ano”, diz a professora.

Professora Aline afirma que além de elaborar conteúdos em diversos formatos, como o PDF, também optou por aulas ao vivo online

Por outro lado, há também quem aproveite das habilidades tecnológicas, como a professora de literatura da Escola Major Guapindaia, Aline Castro, que criou personalidade nas redes sociais para ministrar aulas didáticas e atrativas durante a pandemia. A elaboração de conteúdo não ficou apenas em envios de videoaulas, ela mergulhou na era digital, e transferiu conhecimentos em diversos tipos de plataformas digitais. “É difícil a gente dar aula por uma tela, você instiga, instiga e o menino não dá resposta, ai eu continuo, porque eu aprendi a editar as aulas, então no inicio eles estavam meio dispersos, de 400 alunos só 30 ou 40 assistiam, depois do recesso, eu sinto que tenho acesso maior de alunos”, explica a professora.

Ela afirma ainda que além de elaborar conteúdos em diversos formatos, como o PDF,  também optou por aulas ao vivo online. “A gente tem que se reinventar, procurar diversas formas, inclusive tenho visto vídeos de outros professores e baixei um aplicativo que coloca uns filtros divertidos, tem de coraçãozinho, borboletinhas voando, caras engraçadas, então é só habilitar a câmera, e nem precisa estar maquiada, se você quiser dar aula com cara de cachorro você consegue”, se diverte contando a servidora.


Fonte
Texto: Marina Espíndola
Fotos: Daiane Mendonça
Secom – Governo de Rondônia

Clique para comentar

Deixe seu comentário

Educação

Estudantes devem se atentar a locais e horários de realização das provas do Enem 2020 em Rondônia

Publicado

em

Os candidatos do Enem 2020 devem se atentar às regras e informações do exame.

Os estudantes da Rede Pública Estadual de Rondônia que farão o Enem 2020, devem se atentar aos locais e horários de realização das provas. O exame terá duas versões de provas impressas que serão aplicadas nos dias 17 e 24 de janeiro de 2021. A versão digital será aplicada nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro, conforme anunciou o Ministério da Educação (MEC). Os participantes podem verificar o local da realização do exame através do cartão de confirmação na Página do Participante no site do Inep, ou através do aplicativo do Enem para celular, disponível nas plataformas Apple Store e Google Play.

A pandemia do novo coronavírus implicou também em novas regras para o Enem. Não serão permitidos candidatos sem máscara no local da prova. Os participantes diagnosticados com doenças infecciosas, como a Covid-19, não devem comparecer para a realização da prova. Os mesmos devem informar o diagnóstico ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Por conta tempo de duração das provas, será permitida a entrada de alimentos. Os candidatos poderão retirar a máscara no momento do consumo.

ABERTURA DOS PORTÕES:

• Abertura dos portões: 11h30 (horário de Brasília), 10h30 horário local.
• Fechamento dos portões: 13h (horário de Brasília), 12h horário local.
• Início das provas: 13h30 (horário de Brasília), 12h30 horário local.
• Término das provas 1º dia: 19h (horário de Brasília), 18h horário local.
• Término das provas 2º dia: 18h30 (horário de Brasília), 17h30 horário local.

O QUE LEVAR NO DIA DA PROVA:

• Documento oficial de identificação com foto;
• Caneta esferográfica transparente de tinta preta;
• Máscara de proteção;

REGRAS QUE LEVAM A DESCLASSIFICAÇÃO:

• Portar fora do envelope de objetos fornecido pelo aplicador itens como: folhas ou bloco para rascunho, artigos de chapelaria, fones de ouvido, chaves, materiais escolares como lápis, lapiseira, borracha, caneta com material não transparente, dispositivos eletrônicos, relógios de qualquer tipo, livros e manuais;

• Portar arma de qualquer espécie;

• Recusar-se injustificadamente a ter cadastro biométrico coletado e ser vistoriado pelo coordenador, assim como seus objetos e alimentos;

• Ausentar-se da sala de aplicação, exceto para ir ao banheiro acompanhado por um fiscal;

• Descumprir as orientações da equipe de aplicação e as regras contidas no edital, durante a realização do exame;


Fonte
Texto: Valéria Rodrigues
Fotos: Daiane Mendonça
Secom – Governo de Rondônia

Continue lendo

Educação

Atenção: Confira o Aulão Seduc Rondônia, preparatório para o Enem 2021

Publicado

em

Continue lendo

Educação

Escolas da região Central de Rondônia estão preparadas para o retorno do ano letivo de 2021

Publicado

em

As escolas estão com as estruturas prontas para o iniciar ano letivo

O Governo de Rondônia, através da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), está reorganizando 53 escolas estaduais, sendo 10 delas indígenas, para o início do ano letivo, ainda indefinido devido a pandemia do Coronavírus. Os estabelecimentos de ensino estão localizados nos municípios de Ji-Paraná, Presidente Médici e Alvorada do Oeste.

O plano de retorno dos alunos para o exercício de 2021 envolve melhorias nas instalações, aquisição de equipamentos e laboratórios científicos, mobiliários, computadores, bebedouros, liquidificadores industriais, armários, estruturas de som, reformas e ampliações, limpeza e dedetizações. Cerca de 90% das escolas já estão prontas.

Em dezembro do ano passado, as escolas foram contempladas com nova estrutura em atendimento à determinação do governador, coronel Marcos Rocha, para maior comodidade, conforto e segurança à comunidade escolar.

“Não sabemos se vamos oferecer aulas presenciais neste ano, mas estamos em fase final de preparação das unidades escolares para receber os alunos, caso seja autorizado”, disse a professora Rosangela Marum, chefe da Coordenadoria Regional de Educação em Ji-Paraná (Cre-Ji-Paraná), reforçando que “a pandemia de Covid-19 ainda é uma incógnita para o mundo”.


Fonte
Texto: Paulo Sérgio
Fotos: Paulo Sérgio
Secom – Governo de Rondônia

Continue lendo
--Publicidade--
--Publicidade--

Publicidades

--Publicidade--
--Publicidade--
--Publicidade--

Tendências

Copyright © 2020 Portal de Notícias Floresta Notícias. Todos Direitos Reservados.

%d blogueiros gostam disto: