Conecte-se conosco

Agronegócio

Dólar alto e verão amazônico disparam o preço da carne em Ro

Publicado

em

Foto: Divulgação

O preço do quilo da carne nos açougues de Porto Velho vem assustando a comunidade e fazendo com que muitos consumidores busquem outros alimentos para substituir a carne, tão tradicional no prato diário do brasileiro médio.
De acordo com, Eric de Oliveira do Carmo, representante do setor, o principal fator desse aumento é a alta do dólar que está cotado acima dos R$ 5,30 fazendo com que os produtores do Estado prefiram negociar seus bois com quem paga na moeda dos EUA.
Mesmo com o Estado alcançando ótimos índices na pecuária, com o Dólar nessa cotação fica muito difícil que o preço da carne volte a baixar ainda esse ano em Rondônia. Para o produtor é bem mais vantajoso mandar a carne para fora do país”, afirmou Eric.
Além da questão comercial que interfere diretamente no preço da carne, o valor do boi tende a aumentar nessa época do ano em Rondônia por conta da questão climática.
Seca e queimadas deixam o boi mais magro e encarecem os meios de produção, fazendo com que esse valor seja colocado na venda final ao consumidor”, explicou Eric.
Entre os cortes de carne que mais aumentaram estão o patinho, músculo e acém, que são bastante consumidas pelas famílias no dia a dia. Cortes mais nobres como picanha e filé, mantiveram o preço e até diminuíram seu valor.
Confira a tabela comparativa dos preços dos cortes de carnes entre o mês de janeiro e outubro de 2020, lembrando que esses valores são correspondentes ao que sai da distribuidora, sendo que aumenta ainda mais nos mercados e açougues.
Veja os números:
Rondoniaovivo – João Paulo Prudêncio

--Publicidade--
Clique para comentar

Deixe seu comentário

Agronegócio

Festival Tambaqui da Amazônia acontece em 10 municípios de Rondônia

Publicado

em

Por

Ao todo serão assadas 4.600 bandas de tambaqui sem espinhas

O Festival Tambaqui da Amazônia de 2020, evento tradicionalmente realizado em Ariquemes, desde 2017, ocorrerá em 10 municípios de Rondônia, simultaneamente, no dia 27 de setembro. Ao todo serão assadas 4.600 bandas de tambaqui sem espinhas, mais de seis mil quilos do pescado doado pelos piscicultores e processado pelas indústrias. Os rondonienses terão a oportunidade de adquirir e saborear do peixe mais consumido e produzido no Estado por um custo acessível.

O festival é uma iniciativa da Associação de Criadores de Peixe do Estado de Rondônia (Acripar) e do Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) e Entidade de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), em parceria com Zaltana Pescados e Rações, Pescado do Vale, Agroindústria Rodrigues, Piscicultura Agrofish, Hospital do Amor, Lions Clube e Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR).

Os municípios realizadores do festival são: Ariquemes, Pimenta Bueno, Rolim de Moura, Cacoal, Monte Negro, Porto Velho, Triunfo, Itapuã, Ouro Preto d’Oeste e Vilhena. Em decorrência do avanço do coronavírus (Covid-19), o maior churrasco de tambaqui da Amazônia ocorrerá na versão drive-thru, com o intuito de prevenir e evitar a disseminação da doença. A população vai poder fazer a retirada do pescado assado dentro do carro, evitando fila e o contato físico.

A banda será vendida no valor de R$ 15 e todo o valor arrecadado com as vendas será repassado paras as instituições: Lions Clube e Hospital de Amor da Amazônia. Os tickets serão vendidos antecipadamente para a retirada no dia do festival, e os interessados em adquirir uma banda, devem procurar os comitês organizadores de cada município.

Em Porto Velho, serão assadas 300 bandas de tambaqui. Os tickets já estão disponíveis e podem ser comprados na sede da Seagri, localizada no prédio Jamari do Palácio Rio Madeira e na Emater. A população poderá fazer a retirada do pescado na feirinha da Emater, localizada na avenida Imigrantes, 1313, próximo à avenida Farquar, na zona norte da capital.

De acordo com o secretário da Seagri, Evandro Padovani, o objetivo do festival é promover e divulgar o tambaqui no Estado para sensibilizar os rondonienses a consumirem mais o peixe. “Rondônia é o maior produtor de peixe nativo de cativeiro do Brasil, mas o consumo per capta de peixe pelos rondonienses ainda é muito baixo perto de outros estados do país. Queremos incentivar o consumo do pescado dentro do Estado. O tambaqui é um peixe muito saboroso, de qualidade e com alto potencial para ganhar novos mercados”, disse.

O intuito do Governo de Rondônia e parceiros é ampliar o número de municípios participantes nos próximos anos. De acordo com o anuário Peixe BR 2019, a produção de peixes em cativeiro em Rondônia foi de aproximadamente 90 mil toneladas.


Fonte
Texto: Sara Cicera
Fotos: Daiane Mendonça
Secom – Governo de Rondônia

Continue lendo

Agronegócio

CNA projeta novo recorde para agropecuária e alta de 13,7% em 2020

Publicado

em

Por

De acordo com o órgão, a previsão é de que um novo recorde seja alcançado neste ano, com alta de 13,7% em relação a 2019.

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) divulgou a nova projeção do Valor Bruto da Produção (VBP) da agropecuária para 2020. De acordo com o órgão, a previsão é de que um novo recorde seja alcançado neste ano, com alta de 13,7% em relação a 2019.

A expectativa, realizada em cima de dados de preços e produção disponíveis até agosto deste ano, é de que a receita ultrapasse R$ 823 bilhões no período. VBP agrícola deve crescer 18%, avisa CNA

Ao dividirmos o Valor Bruto da Produção entre agrícola e pecuária, temos a seguinte situação:

Em relação ao VBP agrícola, a projeção da entidade é de uma alta aproximada de 18% em 2020, com receita bruta de R$ 531,6 bilhões.

O “carro-chefe” da produção agrícola, mais uma vez deverá ser pilotado pela soja, que tem produção recorde prevista, com receita estimada em R$ 218 bilhões, 23,8% acima do alcançado em 2019.

Na cola da soja aparecem arroz, café arábica e trigo, com altas de receita projetadas de 33,9%, 51% e 59%, e com crescimento de produção estimado, pela ordem, em 6,7%, 30% e 32%.

Alta da pecuária será menor

O VBP da pecuária pode ter alta de 6,6% e atingir receita de R$ 291,7 bilhões, conforme os cálculos divulgados pela CNA.

A entidade avaliou que o acréscimo de cerca de R$ 17,9 bilhões no faturamento da atividade está atrelado ao aumento nos preços da carne bovina e às maiores cotações e produção de ovos e suínos.

Ao falar especificamente sobre a carne bovina, o relatório citou a oferta restrita de animais para o abate como o fator que levará a uma retração de cerca de 3,6% na produção em 2020.

“Apesar do bom resultado da pecuária, o faturamento bruto das atividades de frango e de leite deve apresentar queda de 3,7% e 4,3%, respectivamente”, informou a CNA, complementando o comunicado à imprensa.

Por Paulo Amaral  

Fonte: Rondrural

Continue lendo

Agronegócio

Rondônia colhe quase 1 milhão de toneladas de milho na safra 2020, diz governo

Publicado

em

Por

Produção cresceu 25% de 2018 para 2019. Em comparação com levantamento da Conab, passa de um milhão de toneladas do grão coletados na safra 2019/2020.

Rondônia colhe 954,2 mil toneladas de milho na safra 2020. — Foto: Aprosoja-MS/Divulgação

Rondônia colheu 954,2 mil toneladas de milho na safra 2019/2020, o que o classifica como o segundo maior produtor do Norte. O governo do Estado revela que o grão para a região é o segundo produto agrícola que tem o maior Valor Bruto de Produção (VBP), com estimativa de R$ 855 milhões. A produção do milho no estado cresceu 25% de 2018 para 2019, ainda conforme o executivo.

Continue lendo
--Publicidade--

Publicidades

--Publicidade--
--Publicidade--

Tendências

Copyright © 2020 Portal de Notícias Floresta Notícias. Todos Direitos Reservados.

%d blogueiros gostam disto: