Conecte-se conosco

Educação

Os desafios da alfabetização durante o isolamento social

Publicado

em

É preciso enxergar o aprendizado de maneira mais ampla, incluindo o processo longo que envolve aprender a compreender e interpretar

É na primeira infância que a criança começa a registrar e a desenvolver diversas perspectivas da vida, como comportamental social, evolução cognitiva e até mesmo em aspectos físicos. Lições assimiladas neste período de crescimento serão levadas para vida inteira, por isso este é considerado um momento crucial no desenvolvimento de uma pessoa.

De acordo com Bruna Duarte Vitorino, pedagoga com mais de 15 anos de atuação na área de educação e atualmente coordenadora pedagógica do Kumon, “É importante que os pais olhem para o processo de alfabetização com carinho. Não é apenas aprender a ler e escrever. Trata-se de um caminho longo e cheio de etapas que não podem atrapalhar ou interromper a aprendizagem da criança”, diz.
Praticar atividades físicas e inserir na rotina jogos didáticos, de coordenação motora e que estimulem as funções executivas, são fundamentais para facilitar o processo de alfabetização infantil.

As atividades didáticas promovem uma interação social que as crianças precisam desenvolver para que elas possam crescer aprendendo a lidar com o seu semelhante. É com esses tipos de jogos que ela aprende a trabalhar a tolerância, parceria e a amizade, por exemplo.

Jogos para estimular as funções executivas e as atividades físicas são essenciais para potencializar o processo da alfabetização, pois, além de promover a coordenação motora, ainda trabalha o autocontrole, a socialização e proporciona maior qualidade de vida para criança.

Com o início da pandemia, muitas escolas passaram a oferecer aulas online e milhões de famílias tiveram que acompanhar o estudo das crianças em casa. A preocupação com o futuro das crianças é comum para todos.

A pequena Isabela Dantas Martins, de 5 anos, também teve as aulas presenciais interrompidas. De acordo com o pai, Everton, o receio da família era prejudicar a menina nesta fase de alfabetização. “A solução encontrada foi matricular a Isabela no Kumon, para não pausar ou atrapalhar seu desenvolvimento. Ela está aproveitando bastante, pois o método valoriza o autodidatismo e ajuda a desenvolver a capacidade de concentração e autonomia nos estudos”, diz.

Confira cinco dicas da pedagoga para ajudar as crianças nessa importante fase da vida:

• Ler histórias é a principal forma das crianças se familiarizarem com a linguagem escrita, além de ser um momento para estimular a imaginação, memória e criatividade.

• Use cartolinas para criar cartões em que em um lado esteja a imagem e no outro a palavra. As figuras podem ser retiradas de revistas, desenhadas ou impressas da internet. Com isso, aos poucos a criança passa associar a palavra com a imagem.

• Antes de começar a parte escrita é importante desenvolver a coordenação motora fina. A dica é brincar de pintar desenhos sem ultrapassar as margens estipuladas e depois podem evoluir para o traçado de linhas e curvas. Essas atividades podem ser encontradas em revistas de passatempo ou impressas da internet.

• Para a parte escrita comece escrevendo palavras pequenas e fáceis como pé, mão, boca.

• Outra dica é escrever palavras no papel e grudar no objeto correspondente. Isso ajuda a estimular a parte visual do aprendizado.

Assessoria de Imprensa do Kumon

Clique para comentar

Deixe seu comentário

Educação

Aulas continuam suspensas e os hotéis prestarão serviços individualizados em Rondônia

Publicado

em

Por

Aulas presenciais continuam suspensa em Rondônia

Adotando medidas pontuais de combate à Covid-19, que se adequam ao tempo, o Governo de Rondônia baixou no último dia 30, por meio do Decreto nº 25.263/2020, novas regras para o funcionamento de hotéis e hospedarias, para as atividades esportivas e também para o setor educacional, prevendo que as escolas permanecerão fechadas até 1º de setembro.

Estão liberadas as atividades esportivas em vias públicas e condomínios, desde que não impliquem em aglomeração com mais e cinco pessoas

As novas medidas legais apenas alteram pontos do Decreto nº 25.049/2020, acompanhando a evolução dos casos e efeitos da pandemia do novo coronavírus no Estado, que nas duas últimas semanas vem demonstrando estabilidade no número de ocorrências da Covid-19, fato que levou o governador Marcos Rocha a reiterar seu pedido à população, para intensificar, no âmbito de suas residências, as medidas de proteção contra a doença, mantendo os protocolos convencionais de prevenção, como uso de máscara e álcool em gel, e de manter-se em casa, só saindo em caso de extrema necessidade.

Como se trata da alteração de algumas disposições legais, o novo Decreto mantém o texto central e basilar da legislação anterior, ratificando o estado de calamidade pública, e por consequência renovando a manutenção das medidas de combate à doença, como a prática do distanciamento social (não aglomeração) e a rotina do protocolo de uso de máscara e álcool em gel, entre outras. Neste contexto estão liberadas as atividades esportivas em vias públicas e condomínios, desde que não impliquem em aglomeração com mais e cinco pessoas.

AULAS CONTINUAM SUSPENSAS

Nos hotéis e hospedarias, o serviço de café da manhã, almoço, jantar e afins deverão ser servidos na própria acomodação do hóspede

Da mesma forma continuam suspensas preliminarmente até 1º de setembro as atividades educacionais presenciais regulares na rede estadual, municipal e privada de ensino, medida que pode ser prorrogada ou antecipada, conforme ressalva prevista no art. 4º do Decreto que prescreve “ressalvada a existência de estudos apontando à viabilidade de retomada em prazo anterior ou por decisão local dos seus respectivos prefeitos”.

Outras alterações sutis, mas essenciais para o momento rondoniense no combate à pandemia, diz respeito ao atendimento nos hotéis e hospedarias.  De acordo com as novas disposições, para evitar as aglomerações e a consequente disseminação da doença, o serviço de café da manhã, almoço, jantar e afins deverão ser servidos de forma individualizada na própria acomodação do hóspede, prevê o §3º do art. 4º do Decreto 25.263/2020, entre outras medidas não menos importantes, que constam do pleno teor do novo decreto.

Fonte
Texto: Cleuber Rodrigues Pereira
Fotos: Daiane Mendonça
Secom – Governo de Rondônia

Continue lendo

Educação

Sebrae e Sesi levam educação empreendedora a alunos do ensino médio

Publicado

em

Por

Conteúdos on line começaram a ser ministrados esta semana

Neste tempo de pandemia o Sebrae em Rondônia mantém sua missão de continuar espalhando conhecimento empreendedor e preparando a nova geração para os desafios inerentes da sociedade. Através do projeto Empreendedor do Futuro, capacitando professores e alunos de escolas públicas ou privadas nos vários níveis, dentro de uma metodologia que provoque mudanças na comunidade escolar. Este ano, o projeto, que será totalmente on line, conta novamente com a parceria com o Serviço Social da Indústria de Rondônia (Sesi/RO) e as escolas públicas Marechal Rondon, ambos de Vilhena e o Colégio Militar de Jaci Paraná. Em Vilhena, a parceira foi celebrada através da coordenação da Educação Empreendedora do município de Vilhena.

O projeto contempla diversas fases e vai contar com as seguintes oficinas: Mundo do Empreendedorismo; Laboratório de Ideias; Plano de Vida! Você tem um?; Relações Humanas – Por que isto é importante?; Empreendedorismo Digital e Profissões do Futuro e Comunicação e Marketing, cada uma com 4h de duração. A capacitação é toda feita através webinar (palestras e oficinas on line) com colaboradores do Sebrae Nacional. Todos os conteúdos são apropriados para que os alunos internalizem conceitos e despertem suas habilidades e capacidades empreendedoras.

“Estamos contando com a nossa rede de relacionamento, fazendo networking, capacitando professores por meio de webinars, mostrando a importância da educação empreendedora para preparar estes jovens para a vida”, afirma Rita de Cássia Costa, analista técnica  e gestora da Educação Empreendedora do Sebrae em Rondônia.

A parceria Sebrae/Sesi existe desde 2015, quando o Sesi foi a primeira escola privada a aderir à iniciativa, iniciando em Vilhena, com a aplicação do JEPP e nos anos posteriores com as metodologias Crescendo e Empreendendo e Despertar para estudantes do Ensino Médio e Profissionalizante do Senai.

Este ano, o projeto visa atender 5 mil professores e 3.300 estudantes. O investimento para a execução é de R$ 565.000,00 (quinhentos e sessenta e cinco mil reais), todo investimento do Sebrae (não há custos para as escolas). As oficinas começaram nessa quinta-feira (23) com as escolas do Sesi e continuam em seguida na escola estadual e, posteriormente a escola de Jaci Paraná.

Importante mencionar a sensibilidade dos parceiros em entender que, por meio do empreendedorismo, também será possível alcançarmos uma educação com mais qualidade e, consequentemente, construirmos cidadãos mais preparados para contribuir uma sociedade mais justa e cidadã.

Quer saber mais sobre a atuação do Sebrae? Acesse sebrae.ro ou ligue gratuitamente para 0800 570 0800. Você também pode interagir com o Sebrae pelo WhatsApp, (69) 98130-5656, Instagram, Facebook, Twitter, LinkedIn e YouTube nos canais Sebrae/RO.

Continue lendo

Educação

Lei que obriga instituições de ensino a conceder desconto mensalidades

Publicado

em

Por

Defesa do Rocha Filho Advogados assegura inconstitucionalidade na decisão

Desde o mês de março de 2020, com o avanço da pandemia de COVID-19 em Rondônia, os estabelecimentos de ensino particular seguiram as recomendações das autoridades competentes e suspenderam as aulas presenciais, mas mantiveram o ano letivo de forma remota para que não houvesse prejuízo educacional aos alunos.

O Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino de Rondônia (Sinepe-RO), preocupado com a situação dos alunos e também dos profissionais das instituições de ensino, se colocou à disposição para dialogar com representantes do poder público estadual e encontrar alternativas viáveis dentro da realidade de cada segmento.

Em nota e em reuniões, deixou claro o investimento realizado pelas empresas para que o ano letivo fosse mantido em curso, sem prejuízo ou atraso aos estudantes.

Em junho deste ano a Assembleia Legislativa de Rondônia (ALE-RO) promulgou a lei nº 4.793, que define a redução proporcional das mensalidades, de 10 a 30%, de escolas e faculdades da rede privada de ensino durante o estado de calamidade pública causada pela pandemia do coronavírus.

O Rocha Filho Advogados, em defesa do Sinepe-RO, ajuizou ação judicial contra o Estado, obtendo decisão favorável para afastar a penalidade estabelecida na lei. O juiz titular da 1ª Vara de Fazenda Pública de Porto Velho, Dr. Edenir Sebastião, ao analisar o pedido de liminar, determinou que o Estado de Rondônia se abstenha de aplicar a sanção de multa prevista em lei até o resultado final do processo. 

Para Rochilmer Rocha Filho, advogado responsável pela defesa da ação, a decisão respeita os princípios da Constituição Federal. 

“Vivemos em uma federação onde existem competências que são exclusivas da União Federal, não cabendo interferência do Estado de Rondônia ou dos municípios. Essa é uma decisão que dá à sociedade segurança jurídica, o que efetivamente não exclui a possibilidade das instituições particulares fazerem as composições necessárias, respeitando as particularidades de cada caso, assim como defende o Sinepe.”

Em nota, o Sinepe-RO comenta que que a referida lei desconsidera tanto a realidade específica de cada instituição em relação aos seus custos, bem como não se verifica a viabilidade dessa concessão sem ocasionar a própria paralisação ou cessação das atividades, comprometendo, inclusive o cenário concorrencial das instituições de ensino e, com isso, prejudicando os próprios alunos.

Desconto

O presidente do Sinepe, Augusto Pellucio, ressalta que as instituições já praticam políticas de desconto nas mensalidades que contemplam alunos matriculados com bolsas de estudo de até 100%. 

“Existem instituições de ensino grandes e pequenas e um desconto linear, sob a mesma régua para todos, não é possível para todos. Alguns estabelecimentos já fecharam suas portas, quebraram”, afirma.

Augusto destaca que as instituições afiliadas ao sindicato estão oferecendo alternativas financeiras para seus alunos, sobretudo àqueles que dependem de condições especiais para dar continuidade aos estudos.

photo
Tais Botelho de Carvalho
Assessora de Comunicação | Rocha Filho Advogados

Continue lendo
--Publicidade--
--Publicidade--

Publicidades

--Publicidade--
--Publicidade--

Tendências

Copyright © 2020 Portal de Notícias Floresta Notícias. Todos Direitos Reservados.

%d blogueiros gostam disto: