Conecte-se conosco

Economia

Governo sinaliza revisão sobre reclassificação de municípios na fase 1

Publicado

em

Governo diz que avaliação sobre reclassificação de municípios é técnica

O Governo de Rondônia garante que utilizou apenas critérios técnicos e os dados de ocupação de UTIs para determinar a última reclassificação de 23 municípios na fase 1 do distanciamento social. Mesmo assim há uma sinalização de revisão, que pode ser feito após novos encontros a distância com prefeitos.

Uma reunião nesta quarta-feira (1), coordenada pela Associação Rondoniense dos Municípios (Arom) com representantes do Governo, Tribunal de Justiça (TJ), Ministério Público, Tribunal de Contas do Estado e deputados estaduais, serviu para boa parte dos prefeitos demonstrar insatisfação. A própria entidade defende a revisão, mas enquanto não acontecer, que a norma seja cumprida pelos gestores e população.

Alguns prefeitos, como Thiago Flores (Ariquemes), Eduardo Japonês (Vilhena), Claudionor Lene (Nova Mamoré) e Arismar Araújo (Pimenta Bueno), solicitaram que fosse revista a classificação e elevados os municípios para a fase II do decreto estadual. A presidente da Arom, Gislaine Lebrinha, destacou que todos foram pegos de surpresa e pediu mais diálogo entre o Governo do Estado e as prefeituras. Os deputados Cirone Deiró, Alex Redano e Jair Montes solicitaram a participação da Assembleia Legislativa nessas decisões e que fossem observados casos específicos de cada cidade.

O secretário de saúde Fernando Máximo defendeu a classificação atual e explicou que é realizado levantamento sobre a ocupação de leitos de UTI e quantitativo de casos dos últimos 7 dias. No entanto, ao final, a equipe estadual sinalizou necessidade de uma revisão.

Os prefeitos também pediram ao Governo que aumente a fiscalização em relação a festas.

Fonte: Rondoniagora

Clique para comentar

Deixe seu comentário

Economia

Caixa vai abrir 770 agências neste sábado (8) para saques do Auxílio Emergencial e do FGTS Emergencial

Publicado

em

Por

Para atender beneficiários do Auxílio Emergencial e  do Saque Emergencial do FGTS, a Caixa Econômica vai manter abertas 770 agências neste sábado (8), das 8h às 12h. O atendimento é voltado para que pessoas nascidas de janeiro a abril possam fazer o saque em espécie do Auxílio Emergencial. Já o saque do FGTS Emergencial é para trabalhadores nascidos em janeiro e fevereiro.

A lista de agências que estarão abertas pode ser conferida no site do banco. 

Serão atendidos mais de 300 mil beneficiários do Auxílio Emergencial nascidos antes de abril e 3,8 milhões de nascidos em abril. O saque pode ser feito caixas eletrônicos, lotéricas e correspondentes Caixa Aqui. O beneficiário também pode transferir valores para contas da Caixa ou de outros bancos.

Fonte: Brasil 61

Continue lendo

Economia

Governo de Rondônia economiza mais de R$ 3 milhões em gastos administrativos durante pandemia

Publicado

em

Por

Água, luz, manutenção da frota única, combustível e passagens resultaram na economia de mais de R$ 3 milhões

No fechamento do Relatório de Redução de Gastos do Primeiro semestre de 2020, a Superintendência de Gestão dos Gastos Públicos Administrativos (Sugesp) constatou uma economia de mais de R$ 3 milhões, em comparação ao mesmo período de 2019, com as despesas de água, luz, manutenção da frota única, combustível e passagens.

De acordo com o superintendente da Sugesp, coronel Carlos Lopes, já no primeiro trimestre deste ano, houve uma redução de 20% em relação ao mesmo período do ano anterior, chegando ao montante que supera a economia feita em 2019, resultado de um controle aplicado, ainda mais rígido desde o início de 2020.

Lopes ainda destaca que a chegada do Decreto N° 25.108, de 02 de Junho de 2020, que Instituiu o Plano de Contingenciamento de Gastos para o Enfrentamento da Pandemia de Covid-19, no âmbito do Poder Executivo do Estado de Rondônia, veio ao encontro do trabalho que já vinha sendo executado pela Sugesp. “A finalidade da Sugesp é gerir os gastos públicos, e gerir bem. Por isso, logo no início de 2020, aprimoramos a mesma política de controle que implantamos em 2019 e que trouxe ótimos resultados, a exemplo da redução que obtivemos com diárias, onde houve uma diminuição de 30% se comparado ao ano de 2018”, disse.

Lopes concluiu esclarecendo que essa foi uma das determinações do governador Marcos Rocha, quando lhes foi dada a missão de estar à frente da Sugesp. “A premissa é reduzir para entregar mais, de forma eficiente”.

O valor da economia será destinado a ações prioritárias estabelecida pelo governo.

Fonte
Texto: Marina Espíndola e Marcela Alves
Fotos: Ésio Mendes
Secom – Governo de Rondônia

Continue lendo

Destaques

Investimentos no combate ao Covid-19 podem resultar em rombo de R$ 812 bi aos cofres do gov. Saiba Mais

Publicado

em

Por

O secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues Júnior, afirmou que os gastos do setor público para o enfrentamento da pandemia podem resultar em um déficit primário de R$ 812,2 bilhões neste ano. O valor, segundo ele, corresponde a 11,3% do Produto Interno Bruto (PIB). O resultado é considerado o mais alto já registrado pela série histórica de acompanhamento do índice. 

De acordo com o Ministério da Economia, as projeções levam em conta uma queda de 4,7% do PIB em 2020. Pelo balanço, apenas o governo central terá uma dívida bruta correspondente a 94,7% da soma das riquezas do País. Em 2019, a taxa chegou a 75,8%. Waldery, no entanto, acredita que o impacto na economia seja contido até o final do ano. 

Os detalhamentos sobre os gastos relacionados à pandemia foram repassados por integrantes da equipe econômica do governo aos parlamentares da comissão mista que avalia os impactos financeiros da Covid-19. As despesas devem atingir a marca de R$ 505 bilhões. 

Auxílio Emergencial ajuda a baixar pobreza extrema no Brasil

TCU faz análise do impacto da pandemia sobre os direitos previdenciários

Entre ações que envolvem esses gastos, o secretário especial de Fazenda destacou a ajuda financeira a estados e municípios, que deve somar R$ 60, 2 bilhões até o fim de 2020. Até o momento, metade do dinheiro já foi repassado. Também foi feita uma complementação de R$ 16 bilhões para os fundos de participação dos estados e dos municípios (FPE e FPM).

Fonte: Brasil 61

Continue lendo
--Publicidade--
--Publicidade--

Publicidades

--Publicidade--
--Publicidade--

Tendências

%d blogueiros gostam disto: