Conecte-se conosco

Agronegócio

Embrapa disponibiliza análise de dados agropecuários de Rondônia do primeiro semestre de 2020

Publicado

em

O Informativo Agropecuário de Rondônia, produzido pela Embrapa, traz dados e análises dos últimos cinco anos sobre a produção de grãos, café, mandioca e banana, preços pagos ao produtor, Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) e as exportações de carne bovina e grãos.

Por meio desta publicação, a Embrapa Rondônia disponibiliza à sociedade o acompanhamento periódico da produção agropecuária no estado, com análises do comportamento do setor como um todo.  Esta e as demais edições do Boletim estão disponíveis no portal da Embrapa Rondônia, diretamente no link: www.embrapa.br/rondonia/boletim-agropecuario.

As edições deste periódico reúnem um conjunto de informações sobre a agropecuária do estado que está disperso em diversas fontes de dados oficiais, permitindo ao leitor acessar dados de maneira agregada e com análises. Além disso, a citação das fontes consultadas possibilita ao leitor se aprofundar no assunto, consultando-as diretamente. 

Os dados apresentados são obtidos de fontes secundárias, como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Emater-RO, entre outros.

Produção de grãos – A área plantada com os principais grãos produzidos no estado – arroz, caroço de algodão, feijão, milho e soja – na safra 2019/2020, deve apresentar variação positiva de 3,3%. Destaque para o aumento da área plantada de soja nos últimos cinco anos, que foi de 37,9%, enquanto a produção e produtividade cresceram 48,8% e 7,9%, respectivamente. A expansão da área plantada se deu, sobretudo, pela ocupação de áreas de pastagens degradadas, com o plantio avançando para as regiões central e norte do estado.

Destaque também para o algodão, que teve um aumento de 88,5% da área plantada no estado, após a liberação, em 2018, pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), do plantio de algodão transgênico. Cabixi, Pimenteiras do Oeste e Vilhena são os principais municípios produtores de algodão no estado.

Café – Houve redução de 26% da área de café em produção em Rondônia, da safra de 2016 a 2020. Mas, com aumento de 37,3% da produção e 85,5% na produtividade neste período. Isso se deve, principalmente, ao uso de tecnologias e condições climáticas favoráveis. A maior parte da produção de café no estado está concentrada nos municípios de Alto Alegre dos Parecis, Alta Floresta d’Oeste, Cacoal, Ministro Andreazza, Nova Brasilândia d’Oeste e São Miguel do Guaporé.

Mandioca – A produção estimada de mandioca na safra 2020 é de 536,5 mil toneladas, 7,2% menor da que foi obtida na safra 2019, enquanto a área colhida deve apresentar aumento de 0,2%, com perda de produtividade de 7,3%.

Banana – Embora a área colhida estimada tenha aumentado 5,4% nesta safra, em relação à de 2019, a quantidade produzida apresenta queda de 7,4%, devido à redução na produtividade, de 12,2%.

Preços agrícolas – O café apresentou a maior queda de preços em relação aos produtos analisados – arroz, feijão, milho, soja, mandioca, de mesa, farinha de mandioca – teve seu desempenho financeiro afetado pelo excesso de oferta do produto no mercado mundial.

Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) – Em 2019 foi 5,7% maior do que o obtido em 2018. Os produtos agrícolas de melhor desempenho foram o milho, o arroz e a soja. As informações do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – Mapa não incluem a piscicultura, que em Rondônia possui importância significativa em termos de geração de valor.

Exportações – O valor exportado de carne em 2019 foi 8,4% superior ao de 2018, devido a maiores volume e preço, especialmente influenciado por maior demanda da China. Apenas três países (Hong Kong, Egito e Chile) foram responsáveis por 62,5% da receita gerada em 2019. O volume de milho e soja exportado pelo rio Madeira em 2019 foi 14,7% e 0,8% superior ao embarcado no ano de 2018, respectivamente. Essa produção movimentada, tanto o milho quanto a soja, é originária de regiões produtoras do oeste de Mato Grosso e de Rondônia.

Fonte: Renata Silva (MTb 12361/MG)
Embrapa Rondônia

INFORMATIVO-AGROPECUARIO-02-RO-2020-abril-versao-final3 (1)

Clique para comentar

Deixe seu comentário

Agronegócio

Estimativa de junho prevê safra recorde de 247,4 milhões de toneladas

Publicado

em

Por

Produção se mantém em patamar recorde com 2,5% acima da safra de 2019

Foto: © Reuters/Paulo Whitaker/DR – Agência Brasil

A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas para 2020 foi estimada agora em junho em 247,4 milhões de toneladas. Com isso, se manteve em patamar recorde com 2,5% acima da safra de 2019, o que representa mais 6 milhões de toneladas. 

O resultado é também 0,6% maior que a estimativa de maio em mais 1,5 milhão de toneladas. Os dados fazem parte do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, referente a junho, divulgado hoje (8), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Rio de Janeiro.

A área a ser colhida é 2,2% acima da registrada em 2019, que, com o acréscimo de mais 1,4 milhão de hectares, atingirá 64,6 milhões de hectares. Os três principais produtos deste grupo são o arroz, milho e a soja. Somados, representaram 92,3% da estimativa da produção e responderam por 87,2% da área a ser colhida. 

Conforme o levantamento, em relação a 2019, houve alta de 1,7% na área do milho, com os aumentos de 4,7% no milho de primeira safra e de 0,6% no milho de segunda safra; de 2,9% na área da soja e quedas de 2,0% na área do arroz e de 0,1% na do algodão herbáceo.

Alta em relação a 2019

Na comparação com o ano passado, há previsão de mais 119,9 milhões de toneladas na soja, o que significa elevação de 5,6%. No arroz, com o crescimento de 5,3%, são mais 10,8 milhões de toneladas, e de 0,4% para o algodão herbáceo com mais 6,9 milhões de toneladas. 

O IBGE informou também que, com uma produção de 97,5 milhões de toneladas, sendo 26,7 milhões de toneladas de milho na primeira safra e 70,8 milhões de toneladas de milho na segunda, espera-se recuo de 3% para o milho, após crescimento de 2,8% na primeira safra e decréscimo de 5,1% na segunda.

A região Centro-Oeste responde por 115,8 milhões de toneladas na distribuição da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas. As demais regiões: Sul (73,6 milhões de toneladas), Sudeste (25,6 milhões) Nordeste (21,9 milhões) e o Norte (10,5 milhões). 

A pesquisa indica, ainda, que há aumento em quase todas as regiões: Nordeste (14,3%), Sudeste (7,8%), Norte (7,0%) e Centro-Oeste (3,8%). O único que apresentou declínio foi o Sul do país (4,7%).

Estados

Na distribuição da produção pelos estados, Mato Grosso lidera como maior produtor nacional de grãos, com uma participação de 28,4%, seguido pelo Paraná (16,4%), Rio Grande do Sul (10,7%), Goiás (10,1%), Mato Grosso do Sul (7,9%) e Minas Gerais (6,1%), que, somados, representam 79,6% do total nacional. Com relação à participação das regiões brasileiras, tem-se a seguinte distribuição: Centro-Oeste (46,8%), Sul (29,8%), Sudeste (10,3%), Nordeste (8,9%) e Norte (4,2%).

Junho e maio

Na relação de junho a maio deste ano, os destaques são as variações nas estimativas de produção do café arábica (4,8%), cana-de-açúcar (1,8%), mandioca (1,4%), trigo (1,2%), sorgo (1,2%), aveia (1,0%), milho 2ª safra (0,9%),  milho 1ª safra (0,6%) e  soja (0,5%). 

Houve redução na produção da batata 3ª safra (26,2%),  feijão 1ª safra (3%), cevada (2,4%), café canephora (1,9%), batata 2ª safra (1,6%), feijão 2ª safra (1%) e batata 1ª safra (0,5%).

Já em números absolutos, as variações em destaque ficam por conta da cana-de-açúcar (11,9 milhões de toneladas),  milho 2ª safra (647,7 mil toneladas), soja (547,3 mil toneladas), mandioca (266,6 mil toneladas), milho 1ª safra (160,8 mil toneladas), café arábica (121,7 mil toneladas),  trigo (82,7 mil toneladas), sorgo (31,7 mil toneladas), aveia (10,5 mil toneladas), batata 3ª safra (-239,3 mil toneladas),  feijão 1ª safra(-42,3 mil toneladas), cevada (-10,5 toneladas), café canephora (-16,6 toneladas), batata 2ª safra (-17,6 mil toneladas), feijão 2ª safra (-11,0 mil toneladas) e batata 1ª safra (-8,8 mil toneladas).

Fonte: Agência Brasil

Continue lendo

Agronegócio

Governo lança edital para aquisição de três milhões de mudas de café

Publicado

em

Por

As mudas vão beneficiar aproximadamente 900 famílias da agricultura familiar

O governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), divulgou o edital de procedimento licitatório de Registro de Preços para aquisição de três milhões de mudas clonais de café do Grupo Robusta, cultivar Conilon, que se dará por meio de licitação na modalidade Pregão, na forma Presencial, do tipo menor preço por lote, tendo por finalidade a qualificação de empresas e a seleção da proposta mais vantajosa.

Os empresários, viveiristas e produtores de mudas de café interessados em participar da licitação, devem comparecer no dia 16 de julho de 2020, no Centro de Treinamento da Emater (Centrer), situado à BR 364, Km 25, lote 12, Gleba 07, no município de Ouro Preto do Oeste.

De acordo com o edital, poderão participar desta licitação os empresários e produtores rurais que apresentarem toda a documentação exigida para habilitação, em original ou por qualquer processo de cópia autenticada por Cartório de Notas e Ofício competente, ou por Servidor da Superintendência de Licitações (Supel) de Rondônia; empresas que estiverem regularmente estabelecidas no país, cuja finalidade e ramo de atividade seja compatível com o objeto desta licitação; cooperativas e outras formas de associativismo, desde que, dependendo da natureza do serviço, não haja, quando da execução contratual, a caracterização do vínculo empregatício entre os executores diretos dos serviços (cooperados) e a pessoa jurídica da cooperativa ou a própria Administração Pública.

As empresas licitantes, após o credenciamento aceito pelo pregoeiro, deverão entregar as Propostas de Preços (Envelope I) e os Documentos de Habilitação (Envelope II), em envelopes lacrados, rubricados, distintos e não transparentes, com as identificações na parte externa.

A aquisição de três milhões de mudas clonais de café do grupo robusta, culvar conilon, será dividido em 10 lotes, para distribuição aos pequenos produtores rurais, beneficiando aproximadamente 900 famílias da agricultura familiar, integrantes de Organizações Sociais Rurais nos municípios de Rondônia.

“A Aquisição de três milhões de mudas clonais de café divididas em 10 lotes serão distribuídas por região e município. A subdivisão dos lotes por grupo de municípios facilitará a logística de transporte das mudas diminuindo o custo para os requerentes do benefício. Cada região deverá receber 300 mil mudas. Nosso maior objetivo é promover ações para desenvolver ainda mais a cafeicultura de Rondônia, e o fornecimento de mudas clonais de café aos produtores rurais tem contribuído muito para alavancar o setor”, explicou o secretário da Seagri, Evandro Padovani.

O Estado de Rondônia se apresenta como o 5º maior produtor de café do Brasil, mas se for considerado apenas a produção de café da cultivar conilon, Rondônia é o 2º maior produtor (Safra 2019/2020). O Brasil produz 24 milhões das 150 milhões de sacas consumidas atualmente no mundo, com esmavas de crescimento do consumo mundial em torno de 2,5% ao ano até 2030.

Rondônia possui atualmente mais de 110 mil propriedades da agricultura familiar, porém apenas 22 mil cultivam a lavoura cafeeira, sendo que a maioria, no modelo tradicional conta com baixíssima tecnologia. Pode-se deduzir que há um grande espaço de crescimento para aumento da produção e por isso o Governo do Estado continuará apoiando as ações de modernização da cadeia produtiva do café, como também adquirindo e distribuindo mudas clonais café para os agricultores familiares até que estes, por meio de outros de incentivos de créditos, possam adquirir suas mudas com recursos próprios.

O edital e todos os documentos exigidos encontram-se disponíveis para consulta e retirada na sede da Superintendência Estadual de Licitações (Supel), podendo ser retirado de segunda-feira a sexta-feira, das 07h30 às 13h30; e, ainda, pelos endereços eletrônicos: www.comprasnet.gov.br e www.rondonia.ro.gov.br/supel.

Segue em anexo o edital de procedimento licitatório de Registro de Preços para aquisição de três milhões de mudas clonais de café.

Fonte
Texto: Sara Cicera
Fotos: Arquivo Secom e Emater-RO
Secom – Governo de Rondônia


 Categorias

Continue lendo

Agronegócio

OVOS: Cotações encerram junho em queda

Publicado

em

Por

Foto: Meramente Ilustrativa de Couleur por Pixabay

Em junho, os preços dos ovos caíram para o segundo menor patamar do ano, atrás somente do registrado em janeiro, quando, geralmente, a liquidez é menor e os preços recuam. Segundo colaboradores do Cepea, as menores vendas da proteína refletem a crise provocada pelo novo coronavírus – com a proibição de grandes eventos, festas juninas foram canceladas, e, com isso, a procura por ovos foi menor em junho.

Além disso, a concorrência com o produto de origem caipira em algumas regiões também pressionou as cotações dos ovos convencionais. No entanto, mesmo com as desvalorizações de junho, os preços ainda são superiores aos registrados no mesmo período de 2019, em termos reais (deflacionados pelo IPCA de maio/20). Em Bastos (SP), o preço do ovo branco tipo extra teve média de R$ 94,44/caixa com 30 dúzias em junho, 6,2% abaixo da média de maio, mas 17,3% acima da de junho/19.

Para os ovos vermelhos, o recuo mensal foi de 3,9%, para R$ 115,07/cx em junho, mas ainda 24,5% acima dos valores observados no mesmo mês de 2019. Apesar da retração nas vendas e, consequentemente, nos preços, a expectativa de agentes do setor é de que os descartes que estão sendo realizados, bem como as temperaturas mais baixas, reduzam a produção, contribuindo para a valorização do produto nas próximas semanas

Fonte: Cepea

Continue lendo

Publicidade

--Publicidade--
--Publicidade--

Publicidades

--Publicidade--
--Publicidade--

Tendências

%d blogueiros gostam disto: