conecte-se conosco

Agronegócio

Robusta Amazônico CAMPEÃO é arrematado em leilão da ABIC por R$1.600 a saca!

Publicado

em

Cafeicultor de Alto Alegre dos Parecis vence concurso nacional de café

A 16° edição do Concurso Nacional da Associação Brasileira das Indústrias de Café (Abic) reuniu produtores de café de todo o País. Rondônia também marcou presença no concurso e não ficou de fora de concorrer e conquistar mais um título. Atualmente o Estado tem cerca de 22 mil produtores de café.

Dois cafeicultores de Rondônia participaram do concurso. Alex Marques de Lima, do município de Alto Alegre dos Parecis, ganhou o prêmio de primeiro lugar na categoria robusta/conilon.

“Foi uma emoção grande quando recebi a notícia que tinha vencido o prêmio. Minha vida inteira trabalhei na roça com o meu pai plantando café, tenho 30 anos de idade e é muito bom representar Rondônia nesse concurso, que já é realizado há 15 anos”, destacou Alex Lima. “Eu concorria apenas com o café arábica e pela primeira vez concorri com o robusta/conilon e fomos vencedores. Minha família já participou de outros concursos importantes como o Concafé de Rondônia e o Cofee Of The Yer, que aconteceu em Belo Horizonte e ficamos entre os 10 melhores e agora chegamos ao primeiro colocado de um concurso muito importante no País”, continuou. cafeicultor.

De acordo com a Abic, a novidade desse ano foi a ampliação do certame: a premiação e o reconhecimento de todo o café produzido no Brasil foi acrescentado desta vez o Origens do Brasil, ao nome do concurso que divulgou a diversidade de aromas e sabores dos cafés do Brasil, em duas categorias, arábica e robusta-conilon.

PARTICIPAÇÃO

Participaram produtores de café da safra 2019 por microlotes de duas sacas de 60 Kg de cafés beneficiados, cada região poderia inscrever até três microlotes de cafés característicos da região.

As amostras de café foram avaliadas entre os dias 04 e 05 de fevereiro, por um júri técnico de especialistas em analise sensorial, o método utilizado foi o do Programa de Qualidade do Café (PQC) da Abic.

vencedor do premio da Abic, na colheita do café robusta/conilon

De acordo com engenheiro agrônomo e Q Robusta Grader (especialista em degustação de café robusta), Janderson Dalazen, a Família Lima do município de Alto Alegre dos Parecis é exemplo para o Estado na produção de café de qualidade, é uma das pioneiras nessa linha, desde o início das ações de promoção da qualidade do café eles são parceiros e estiveram ela é parceira e esteve entre as melhores em várias edições no concurso Concafé.

“Esse é o resultado de um trabalho feito com qualidade. Rondônia fica muito feliz com essa conquista, vai dá ainda mais visibilidade para o nosso produtor e mostrar a qualidade do nosso café”, destacou Janderson Dalazen.

O especialista Janderson ainda disse que a Abic está de parabéns com a inovação inserindo essa categoria Conilon/Robusta, no concurso nacional. “Foi um diferencial que por muitos anos apenas o arábica foi visto como um café com qualidade que se destacava nesse concurso”, disse.

Segundo o secretário da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), Evandro Padovani, este concurso é muito conhecido e conceituado no Brasil. “Rondônia mais uma vez se destaca em primeiro lugar com seu produto de qualidade. Parabenizo a família Lima por levar o nome do nosso estado no ranking de primeiro colocado. Rondônia é o terceiro maior produtor de café robusta do Brasil e o maior da região Norte, já somos conhecidos neste setor, trabalhamos firmes para aumentar ainda mais esse crescimento”, comentou Padovani.

LEILÃO

O concurso de Café da Abic é realizado através de leilão online, com o objetivo de facilitar a compra e venda do café dando mais oportunidade para os produtores comercializarem seus produtos.

No final do leilão o café robusta de Rondônia foi arrematado por R$ 1.

Fonte
Texto: Antonia Lima
Fotos: Renata Silva, Daiane Mendonça e assessoria Seagri
Secom – Governo de Rondônia

Robusta Amazônico

Confira o que ele falou sobre esse resultado.

☕🌳🏆 Robusta Amazônico CAMPEÃO é arrematado em leilão da ABIC por R$1.600 a saca!

☕🌳🏆 Robusta Amazônico CAMPEÃO é arrematado em leilão da ABIC por R$1.600 a saca! 💰💰👉🏼 Um dos cafés mais cobiçados do leilão deixou os rondonienses muito felizes. Confira o depoimento do Alex Lima, campeão do 16° Concurso Nacional ABIC de Qualidade do café – Origens do Brasil, categoria robusta/conilon. Ele representou a região MATAS DE RONDÔNIA 🌳☕👇🏼 O jovem vencedor, Alex Lima, cuida com dedicação, juntamente com seu pai e família da lavoura, em Alto Alegre dos Parecis – Rondônia. Confira o que ele falou sobre esse resultado.

Posted by Robusta Amazônico on Wednesday, February 12, 2020

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe seu comentário

Agronegócio

Abate de Bovinos cai e o de Suínos e Frangos sobem no último Trimestre de 2019

Publicado

em

Por

Foram 8,04 milhões de bovinos abatidos no quarto trimestre do ano passado

O abate de bovinos caiu 1,8% e o de suínos e frangos subiu 6,1% e 2,8%, respectivamente, no último trimestre de 2019, em comparação com o mesmo período do ano anterior, de acordo com os resultados preliminares da Estatística da Produção Pecuária, divulgado pelo IBGE. Já em relação ao terceiro trimestre de 2019, o abate de bovinos reduziu 5,4%, o de frangos caiu 1% e o de suínos subiu 1,5%.

Os dados completos da pesquisa, incluindo o fechamento do ano e os resultados regionais, serão apresentados em 19 de março.

No último trimestre do ano passado, foram abatidas 8,04 milhões de cabeças de bovinos, com uma produção total de 2,08 milhões de toneladas de carcaças, uma alta de 5,1% em relação ao trimestre anterior e de 0,5% em comparação com o quarto trimestre de 2018.

O abate de suínos alcançou 11,87 milhões de cabeças, chegando ao peso acumulado das carcaças de 1,06 milhão toneladas, com altas de 7,8% em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior e de 0,4% em relação ao 3° trimestre de 2019.

Já o abate de frangos chegou a 1,46 bilhão de cabeças, com peso acumulado de 3,36 milhões de toneladas. Na comparação trimestral, o número representou queda de 2,6% e, frente ao último trimestre de 2018, o acréscimo foi de 0,8%.

A aquisição de leite cru feita pelos estabelecimentos que atuam sob inspeção sanitária municipal, estadual ou federal foi de 6,64 bilhões de litros no último trimestre de 2019, uma queda de 0,9% em relação ao mesmo período do ano anterior, mas um aumento de 5,5% com o terceiro trimestre do ano.

Já a produção de ovos de galinha bateu outro recorde ao alcançar 981,54 milhões de dúzias, um crescimento de 1,7% na comparação trimestral e de 4,3% na anual.

A pesquisa mostra ainda que os curtumes que trabalham com, pelo menos, cinco mil unidades inteiras de couro por ano receberam 7,88 milhões de peças no quarto trimestre do ano passado. Essa quantidade foi 12,4% menor na comparação com o mesmo período de 2018 e 8,2% menor do que a registrada no terceiro trimestre do ano passado.

Fonte: Agro Rondônia

Continue lendo

Agronegócio

Governo encaminha projeto de fábrica de gelo para piscicultura

Publicado

em

Por

Fábrica de gelo em escama deve atender o setor de piscicultura em Rondônia

Em reunião na sexta-feira (14) com o secretário de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Jorge Seif Junior, em Brasília, o governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, encaminhou pedido para aquisição de uma fábrica de gelo em benefício da piscicultura estadual.

A crescente produção de pescado no estado amazônico foi objeto da demanda, para que seja construída uma unidade de fabricação de gelo em escamas em um município rondoniense. Inicialmente, a ideia é que a fábrica de gelo seja em um município no centro da produção para atender a produtores locais e de regiões vizinhas.

O coronel Marcos Rocha explicou que, desta forma, mais peixes podem ser comercializados e vai estimular incremento de produção.

“A piscicultura é uma bandeira de Rondônia há anos, e todos podem ver o quanto este negócio é importante para o pequeno, médio ou grande produtor, para o nosso Estado e para o Brasil”, disse.

Seif apoiou o projeto e explicou que há alguns anos o MAPA está evitando fomentar as fábricas, pois diversos projetos não foram implementados corretamente. “Vimos vários projetos fora da realidade local e os custos de energia elétrica e água inviabilizaram o uso. Além disso, é necessário avaliar o valor de manutenção que também pode ser suficiente para o produtor não usar o empreendimento”, afirmou. Para o secretário a maioria das fábricas virou um elefante branco que não tem mais utilidade.

O governador propôs que a Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) possa concluir o estudo de viabilidade da fábrica alinhada com a real necessidade da produção. “A Seagri tem estimulado há muito tempo a produção de pescados e vai ser extremamente precisa nos números”, definiu.

O secretário Jorge Seif orientou que, junto a estes dados, o governo esteja atento ao período no qual será aberto o cadastro de projetos do Sistema de Convênios do Governo Federal (Siconv). Seif ainda pediu para que, simultaneamente, o governador verifique a possibilidade de que parlamentares indiquem emendas para a construção da fábrica, pois os recursos do Ministério foram diminuídos em 2020.

Ainda no encontro, o secretário de Aquicultura do Mapa afirmou que no mês de setembro será realizada mais uma edição do evento de distribuição de tambaqui rondoniense na esplanada.

Rondônia tem área superior a 15.800 hectares de espelhos de água com produção superior a 95 mil toneladas por ano.

Também participaram da reunião o secretário-chefe da Casa Militar, Coronel Valdemir Góes, e a assessora da Secretaria de Aquicultura e Pesca, Danielle Blanc.

Fonte
Texto: Alex Nunes
Fotos: Alex Nunes
Secom – Governo de Rondônia

Continue lendo

Agronegócio

Raio mata 5 cabeças de gado em Ministro Andreazza, RO

Publicado

em

Por

Proprietário diz que bois estavam tentando se proteger da chuva; prejuízo estimado é de R$ 8 mil. Sipam diz que é comum na Amazônia.

Foto: Reprodução/Admilson José da Costa

Cinco bois morreram após serem atingidos por um raio na tarde de domingo (16), em Ministro Andreazza (RO), a 476 quilômetros de Porto Velho. O proprietário dos animais, Admilson José da Costa, conta que os bois estavam se protegendo da chuva quando foram atingidos.

“Os bois estavam debaixo de um pé de manga quando o raio caiu. Perdemos cinco cabeças”, diz o produtor. Segundo ele, o prejuízo financeiro foi de de R$ 8 mil, em média.

Admilson diz que não é a primeira vez que bois dele morrem após serem atingidos por raio. “Há 14 anos perdemos 24 cabeças de gados. Mas dessa vez eles não estavam de baixo da árvore, mas na beira da cerca”, relembra.

Ao G1, o meteorologista Marcelo Gama, do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), informou ser comum nesta época do ano ter um número maior de raios, mas não são contabilizados.

“Não temos sensores para contabilizar o número de raios na região, mas nesse período de chuva é muito comum essas descargas elétricas. É uma situação comum em toda a Amazônia”

Fonte: G1 RO

Continue lendo

Publicidades

Tendências

%d blogueiros gostam disto: