conecte-se conosco

Saúde

Campanha de vacinação contra sarampo, caxumba e rubéola é intensificada em crianças e jovens

Publicado

em

Rondônia recebeu no final do ano passado cerca de 100 mil doses de vacinas tríplice viral para combater o sarampo, caxumba e rubéola. A campanha nacional de vacinação iniciou na última segunda-feira (10) e segue até o dia 13 de março com foco em crianças e adolescentes entre 5 e 19 anos de idade.

A expectativa, segundo a Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), é manter a população protegida pelo terceiro ano consecutivo, um destaque em comparação a outros estados que apresentaram casos confirmados da doença.

“Nós estamos cumprindo a meta estipulada pelo Ministério da Saúde em manter a cobertura de vacinação acima dos 95%. O sarampo, embora seja uma doença contagiosa, está sob controle em Rondônia. Não tivemos nenhuma confirmação de casos nos últimos três anos”, enfatizou o coordenador estadual de imunização da Agevisa, Ivo Barbosa.

CONTÁGIO

Ele explica que o ar é o principal meio de contaminação do sarampo. Através de espirros, tosses ou pela fala, a pessoa infectada contamina outras pessoas, e a vacinação é a única forma de prevenção eficaz. Crianças e adultos de 1 a 29 anos de idade tomam duas doses da vacina, e de 30 a 49 anos tomam apenas uma dose.

“A faixa etária que estamos vacinando agora, nesta etapa, de 5 a 19 anos, é uma das mais difíceis, pois se trata da população adolescente, e muitos não costumam se vacinar. Por isso, pedimos a todos os pais ou responsáveis que incentivem os filhos, e parentes nessa faixa etária, a procurarem as Unidades Básicas de Saúde neste sábado (15) ou até o encerramento da campanha”, alertou o coordenador.

DIA D

A mobilização nacional de vacinação (Dia D) inicia neste sábado dia (15) a partir das 8h. Segundo o coordenador, todas as Unidades Básicas de Saúde de Rondônia foram abastecidas com doses da vacina. “As unidades de saúde abrem as portas a partir das 8h da manhã no sábado, com encerramento às 17h.

“Para a vacinação basta apenas levar o cartão de vacina ou documento de identificação. Vale ressaltar ainda que a população pode atualizar o cartão de vacina no dia, se protegendo destas e de outras doenças”, avaliou o coordenador.

Fonte
Texto: Anayr Celina
Fotos: Frank Nery,
Secom – Governo de Rondônia

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe seu comentário

Saúde

Complexo Hospitalar de Cacoal realizou mais de 250 mil atendimentos em 2019

Publicado

em

Por

Em 2019 seis mil cirurgias foram realizadas no Complexo Hospitalar em Cacoal

Referência para mais de 35 municípios que compõem a 2ª Macro Região de Saúde de Rondônia, a cidade de Cacoal conta com duas unidades estaduais de saúde que, juntas, somaram 263.310 atendimentos realizados no ano de 2019. Além dos municípios da região do Café, o Hospital Regional (HRC) e o Hospital de Urgência e Emergência Regional de Cacoal (Heuro) atendem pacientes de diversas regiões do Estado, entre elas Zona da Mata, Sul, Vale do Guaporé e de todos os municípios da região central de Rondônia, entre eles Ji-Paraná, Ouro Preto, Jaru e Presidente Médice, sendo referência em saúde para uma população de mais de 800 mil habitantes.

Entre os atendimentos oferecidos pelo Complexo Hospitalar de Cacoal estão consultas médicas e especializadas em áreas da saúde como neurologia, pediatria, neurocirurgia, nefrologia, ortopedia, oncologia, oftalmologia, pneumologia, psicologia, nutrição, fisioterapia, entre outras.

De acordo com o Núcleo de Estatísticas e a direção de Práticas Assistenciais do Complexo Hospitalar, apenas em um ano (2019) foram realizadas 190.564 consultas médicas e também por profissionais formados em áreas como psicologia, nutrição e fisioterapia. No Hospital Regional foram registradas 123.267 consultas e no Hospital de Urgência e Emergência foram 67.296 atendimentos. A população de Cacoal foi a mais atendida dentro dos dois hospitais do governo, sendo realizadas no HRC e no Heuro 62.585 consultas aos pacientes da “Capital do Café”.

CIRURGIAS

Já em relação as cirurgias realizadas nos dois hospitais, foram registrados um total de 4.643 procedimentos cirúrgicos no HRC e 1.357 no Heuro, totalizando seis mil cirurgias em 2019.

Mais de 50 mil exames foram realizados na unidade

Em primeiro lugar aparecem as cirurgias ortopédicas, foram 2.674 procedimentos em 2019, seguido pelas cirurgias gerais, 1.863 procedimentos. Outro dado que chama a atenção é o número de neurocirurgias registradas. Ao longo de 2019, foram realizadas 299 neurocirurgias em Cacoal, sendo 168 no HRC e 131 no Heuro.

Novamente os pacientes de Cacoal lideram o ranking de cirurgia, por procedência.  Ao todo, 1.608 pacientes da “Capital do Café” passaram por cirurgias no Complexo Hospitalar de Cacoal em 2019, seguido por Rolim de Moura (529), Ji-Paraná (518), Pimenta Bueno (412), Espigão D’Oeste (284) e Vilhena (254).

Na lista também entram pacientes de dezenas de outros municípios de Rondônia, e até de outros estados.

INTERNAÇÕES E EXAMES

Em 2019, os dois hospitais registraram 14.210 internações. Ao longo de todo o ano, 7.966 pacientes foram internados no Heuro e 6.244 pacientes no Hospital Regional.

Além disso, durante todo o ano, foram realizados mais de 50 mil exames, entre eles eletrocardiogramas, eletroencefalogramas, tomografias, ressonâncias, ultrassonografias, exames de radiologia, colonoscopias, entre outros.

REGULAÇÃO

“Cacoal é uma referência para uma Macro Região que engloba quase 40 municípios. Trata-se de uma população de 800 mil pessoas que são direcionadas para o Complexo Hospitalar de Cacoal. É um compromisso assumido juntos às diversas regiões do Estado, por isso a regulação se faz necessária. Ressaltando que o Heuro é um Hospital de Urgência e Emergência, o primeiro atendimento é direcionado às unidades básicas de saúde e aos hospitais municipais. Nestas unidades de saúde é avaliada a gravidade do caso e, quando necessário, o paciente é encaminhado para um atendimento mais específico, seja no Hospital Regional, ou no Heuro”, destacou o diretor do Complexo Hospitalar Regional de Cacoal, João Henrique Paulo Gomes.

Governo de Rondônia mantém o Complexo Hospitalar Regional como uma referência em Saúde no interior do estado

Conforme explica a diretora de Práticas Assistenciais do Complexo Hospitalar de Cacoal, Ângela Antunes de Morais Lima, todos os atendimentos realizados devem passara pelo processo de regulação. “Existe um processo que deve ser seguido e que na verdade é muito simples. Para atendimento no HRC, o usuário primeiro deve consultar o serviço médico municipal, que emite o encaminhamento para especialidades que existem no Estado, pelo Sistema Único de Saúde (SUS), através do Sisreg, o Sistema de Regulação Estadual, que realiza o agendamento da consulta. No momento que surge a vaga, com a especialidade que o usuário requer, é comunicado à secretaria de saúde do município de origem, que agenda a consulta junto ao paciente”.

Já em relação ao Heuro, Ângela explicou que o serviço de emergência é regulado pela Crue, Central de Urgência e Emergência. “Os serviços de saúde dos municípios ligam diretamente para o Crue, que regula o atendimento de emergência, como acidentes de trânsito, trauma, atropelamento, acidente vascular cerebral, entre outros. Já para usuários de Cacoal, nestes atendimentos de Urgência e Emergência, o paciente é direcionado diretamente para o Heuro. Lembrando que Complexo Hospitalar de Cacoal atende as emergências que se enquadram em três linhas: cerebrovascular, trauma e cardiovascular”, detalhou.

Fonte
Texto: Giliane Perin
Fotos: Arquivo Secom
Secom – Governo de Rondônia

Continue lendo

Destaques

Floresta Noticias Alerta População sobre cuidados para evitar Dengue

Publicado

em

Por

Alerta toda população sobre cuidados para evitar o mosquito Aegypti transmissor da dengue, zika e Chikungunya, doenças que podem gerar outras enfermidades, como microcefalia e Guillain-Barré.

Nesse período chuvoso, favorece à proliferação do mosquito Aedes aegypti, é a época de maior risco dessas doenças, e nosso apelo é para que todos os moradores mantenham a contribuição na luta para combater a proliferação do mosquito.

A população não deve descuidar do quintal, mantenha caixa da água fechada, encha de areia até as bordas os vasos das plantas, coloque o lixo em saco plástico e mantenha a lixeira bem fechada, mantenha as calhas limpas, fossas tampadas, para  evitar água parada, essa é a melhor forma de combater o mosquito.

Orientamos a toda população que se o foco do mosquito Aedes Aegypti for encontrado e não puder ser eliminado pelos moradores ou pela população, como em terrenos baldios ou lixos acumulados na rua, procurar o setor de endemia, para remover os possíveis focos/criadouros.

Fonte: Florestanoticias.com

Continue lendo

Destaques

Urgente: Rondônia deve ter mais de 3 mil novos casos de câncer em 2020, estima Inca

Publicado

em

Mais de 900 casos novos devem aparecer só em Porto Velho, diz Inca.

Câncer mais comum em homens é o de próstata — Foto: Jheniffer Núbia/G1Rondônia

O Instituto Nacional de Câncer (Inca), órgão ligado ao Ministério da Saúde, estima que Rondônia terá mais de 3 mil novos casos de câncer em 2020. Deste total, ao menos 940 casos devem aparecer só em Porto Velho.

(CORREÇÃO: o G1 errou ao publicar que Rondônia registrou 3 mil novos casos de câncer no início de 2020. Na verdade, o número representa uma estimativa do Inca para todo o ano de 2020. A informação foi corrigida às 10h53 de 14/02/2020).

O câncer que mais deve aparecer em homens, conforme estima o Inca, é o de próstata: 310 casos. Já com o público feminino, o câncer com maior incidência será o de mama, com 220 casos.

Veja a estimativa de novos casos de câncer por sexo e localização da doença

De acordo com a Sesau, os pacientes acometidos com câncer são encaminhados via Central de Regulação aos hospitais da rede, como:

  • Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro (HB) – Porto Velho
  • Fundação Pio XII – Porto Velho
  • Instituto São Peregrino – Porto Velho
  • Hospital Daniel Comboni – Cacoal

Que hábitos ajudam no desenvolvimento do câncer?

  • Tabagismo
  • Obesidade
  • Alimentação inadequada
  • Exposição a algum tipo de irradiação
  • Exposição ao sol sem proteção

Fonte: G1/Ro

Continue lendo

Publicidades

Tendências

%d blogueiros gostam disto: