conecte-se conosco

Geral

PF desarticula esquema que movimentou mais de 230 milhões em ouro.

Publicado

em

Boa Vista/RR – A Polícia Federal deflagrou hoje (06/12) a Operação Hespérides*, que tem o objetivo de desarticular organização criminosa que seria responsável pelo comércio ilegal de ao menos 1,2 tonelada de ouro.

Mais de 150 policiais cumprem 85 mandados nos estados do Amazonas, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima e São Paulo. Os mandados foram expedidos pela 4ª Vara Federal de Roraima após representação da Autoridade Policial pelas medidas e manifestação favorável do MPF, e determinam o bloqueio de até 102 milhões de reais dos envolvidos.

As investigações tiveram início em setembro de 2017, após apreensão de aproximadamente 130 gramas de ouro no Aeroporto de Boa Vista/RR, destinados a uma empresa em São Paulo. Uma nota fiscal de compra de “sucata de ouro” acompanhava o metal, sendo verificado pela PF que se trataria de um documento falso.

Os indícios constantes Inquérito Policial apontam que o grupo criminoso seria composto por venezuelanos e brasileiros que, residindo em Roraima, comprariam ilegalmente ouro extraído de garimpos da Venezuela e de garimpos clandestinos do estado. Com o auxílio de alguns servidores públicos que integrariam a organização criminosa e receberiam propinas, tentariam dar um aspecto de legalidade ao metal por meio da emissão de documentos falsos por empresas de fachada. O ouro, então, seria comercializado para uma empresa especializada na recuperação de minérios, localizada no interior de São Paulo. Mesmo com os latentes indícios de irregularidades acerca da origem do minério, a empresa o receberia e venderia para o exterior.

A partir de cruzamentos realizados pela Receita Federal, que contribuiu com as investigações, suspeita-se que o grupo tenha movimentado ao menos 1,2 tonelada de ouro entre os anos de 2017 e 2019. Em cotação atual, o montante representa mais de 230 milhões de reais. Se o procedimento regular de importação houvesse ocorrido, a Receita estima que seriam devidos aproximadamente 26 milhões de reais apenas em tributos federais, desconsiderando juros e multa. Apenas no ano de 2018 a empresa que recebia o ouro em São Paulo teria exportado mais de 1 bilhão de reais em ouro, e mais que triplicado seu faturamento nos últimos 3 anos.

A empresa suspeita também compraria o metal precioso de um outro grupo, baseado no Amapá, alvo da operação Ouro Perdido da PF, contra a comercialização de ouro extraído ilegalmente e que foi deflagrada em junho deste ano.

Um dos alvos da operação Hespérides possui ordem de prisão em aberto expedida pela justiça da República Dominicana por tráfico de drogas e lavagem de capitais e consta em lista de difusão vermelha da Interpol.

As investigações identificaram que os servidores públicos envolvidos ajudariam o grupo com “consultorias” para o resgate de ouro apreendido, elaboração de pareceres favoráveis aos interesses dos suspeitos e com a facilitação de desembaraços legais diversos, como o atesto de remessas de ouro à empresa em São Paulo. Há suspeitas de participarem do grupo um analista da Receita Federal, uma Auditora Fiscal de Tributos do Estado de Roraima, um Procurador do Estado de Roraima e uma servidora comissionada também da Procuradoria Estadual.

Os principais crimes investigados são participação em organização criminosa, contrabando, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, receptação e os crimes de falsidade ideológica e de documento público. Se condenados, os líderes do esquema podem ter penas que ultrapassam 50 anos de prisão.
São cumpridos 17 mandados de prisão preventiva, 5 de prisão temporária, 48 buscas e apreensões e 15 sequestros/bloqueios de bens.

*O nome da operação faz referência as Hespérides que, segundo a mitologia grega, seriam as responsáveis por cuidar do pomar onde a deusa Hera cultivava macieiras que davam frutos de ouro. Entretanto, elas passaram a consumir os frutos que deveriam guardar, sendo necessário que Hera adicionasse à guarda um dragão eterno que nunca dormia.

Assessoria de Comunicação em Roraima
[email protected]
(95)3261-1500.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe seu comentário

Destaques

Raio cai em prédio da Seduc e assusta comerciantes em Alta Floresta Ro

Publicado

em

Por

Na tarde desta segunda feira dia 20 de janeiro em alta floresta, um forte raio cai e danifica a coluna do prédio da Coordenadoria Regional de Educação -Seduc, e assusta comerciantes.

Com a queda do raio queimou vários equipamentos e computadores no centro de Alta Floresta.

Fonte: Florestanoticias.com

Continue lendo

Destaques

Veículos estacionados de forma irregular causam transtornos em Alta Floresta Ro

Publicado

em

Por

A falta de estacionamentos no entorno da Praça Castelo Branco, no centro de Alta Floresta D’Oeste nos dias e horários de movimentação nas agências bancárias, como as segundas e sextas-feiras, é uma realidade. Para muitos motoristas, está cada vez mais complicado encontrar uma vaga para os veículos.

Além da falta de espaço, um fator que vem contribuindo para a falta de estacionamento é a maneira com que alguns motoristas estacionam seus veículos.

É comum ver motocicletas estacionadas em locais reservados para automóveis, e veículos de grande porte ocupando duas vagas.
O problema atinge outros pontos da cidade ao longo da Avenida Brasil e Avenida Rondônia.

Nos pontos onde existem sinalização indicando quais veículos devem estacionar, é normal ver um veículo ocupando duas vagas.
Estacionar errado é infração média, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Além de multa, para quem for flagrado é aplicado mais quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

O Segundo Tenente Marcelo Lourenço, comandante da segunda da 2ª Companhia de Policiamento Ostensivo da Polícia Militar de Alta Floresta D’oeste, relatou que a Polícia Militar vem fiscalizando tal prática, notificando os motoristas que agem de forma irregular no trânsito.

Para amenizar situação, servidores da 17ª Ciretran realizam constantemente as chamadas blitz educativas. Os trabalhos visam contribuir por um trânsito mais seguro e organizado.

O Poder Executivo Municipal informou que aguarda a chegada de um recurso do Departamento de Trânsito de Rondônia, o Detran, para iniciar os trabalhos de sinalização de trânsito. Com o recapeamento de várias ruas e avenidas, a sinalização ficou comprometida.

O Executivo também pretende reforçar a sinalização dos estacionamentos e construir novos espaços para atender a demanda de veículos que circulam pelo centro da cidade.

Enquanto isto não acontece, o comandante da Polícia Militar passa algumas orientações a população para que os estacionamentos sejam utilizados de forma correta.

Fonte: Florestnaotícias.com

Continue lendo

Educação

Colégio Priscila em Rolim é transformado oficialmente em Colégio Militar pelo governo de Ro

Publicado

em

Por

A Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Priscila Rodrigues Chagas, em Rolim de Moura, foi transformada em colégio militar através de decreto assinado pelo vice-governador, José Jodan, nesta quinta-feira (16).

‘‘Essa escola faz parte de uma demanda da população e é projeto de governo para melhoria do ensino, pois, onde esse modelo é implantado, temos alunos com notas melhores e queda no índice de criminalidade’’, garante.

Com essa medida, a escola passa a ser a oitava unidade de colégio militar de Rondônia. A transformação da escola em unidade VIII do Colégio Tiradentes da Polícia Militar (CTPM) é considerada um grande avanço no eixo das ações estratégicas de educação. ‘‘É uma grande alegria assinar esse decreto da militarização da escola Priscila Rodrigues Chagas, em Rolim de Moura, e na medida do possível o governador coronel Marcos Rocha dará sequência a esta missão de criar novas unidades militares’’, disse Jodan.

O vice-governador, que está como governador em exercício, ainda agradeceu ao secretário chefe da Casa Civil, Júnior Gonçalves, o secretário da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), José Hélio Cysneiros Pachá, e ao secretário de Estado da Educação (Seduc), Suamy Vivecananda, pelo esforço conjunto no avanço do desenvolvimento de Rondônia por meio do investimento em educação.

A Seduc e Sesdec proverá o colégio militar de recursos financeiros, patrimoniais e humanos, tanto o corpo docente quanto técnicos, auxiliares e demais profissionais. Assim também como serão transferidos recursos provenientes de programas federais destinados para colégios deste modelo de ensino.

Fonte: Secom – Governo de Rondônia

Continue lendo

Publicidades

Tendências

%d blogueiros gostam disto: