conecte-se conosco

Agronegócio

Agronegócio: Soja lidera a produção agrícola em Rondônia

Publicado

em

Segundo o IBGE, 48% da produção agrícola estão centralizados nas propriedades rurais que cultivam a soja.

 

Foto: Agronews

A soja continua liderando a produção agrícola em Rondônia, totalizando 48,4% da área plantada em todo o estado, com predominância no cone sul (região de Vilhena). Nesta semana, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apresentou em Cacoal uma série de dados referentes aos resultados do Censo Agropecuário de 2017. Ao todo, 91.400 propriedades rurais foram visitadas em todo o estado de Rondônia. “O censo agropecuário é de extrema importância porque fornece dados que nos ajudam a direcionar as ações do governo, por meio de políticas públicas, para alavancar ainda mais a economia de Rondônia”, destacou Ihagor Moura, assessor técnico da Sepog em Cacoal.

O último censo agropecuário apresentado pelo IBGE indica que a soja lidera a produção agro em Rondônia. Ao todo, 48,4% da produção é baseada na soja; já o milho corresponde a 29,8%; o café a 8,3%; e o arroz 5,6%. Em relação aos rebanhos em Rondônia, em primeiro lugar, disparado, está o rebanho bovino que corresponde a 58,7%; em segundo lugar aparecem os galináceos, com 37,4%; os suínos com 1,7% e os equinos, com 0,8%. Em relação à piscicultura, em 2017 foram produzidas 31.000 toneladas de peixes no estado.

De acordo com técnico da Sepog, além de facilitar o direcionamento das ações do governo, o resultado das pesquisas também é imprescindível para nortear novos empreendedores. “Pessoas que buscam investir no estado de Rondônia querem ter uma noção real das potencialidades”, Elvan Gomes, assessor técnico da Sepog.

Nas regiões de Cacoal e Rolim de Moura, conhecidas como Região Rio Machado e Zona da Mata, entre as principais culturas temporárias estão a cana-de-açucar, representando 39% da produção; a soja, com 26%; o milho em grãos, 23%; milho forrageiro, com 6%; a mandioca representa 2% da produção e o feijão, 1%. Outras culturas representam 3% da produção na região.

Já entre as lavouras permanentes, o café segue na liderança nas regiões de Cacoal e Rolim de Moura, com uma produção de 21.700 toneladas em 2017. A banana aparece em segundo lugar, com 4.147 toneladas; 2.196 toneladas de mamão. Na sequencia aparecem 2.013 toneladas de laranja;  1.102 toneladas de limão; 1.061 toneladas de maracujá; 612 toneladas de tangerina; 607 toneladas de cupuaçu; 195 toneladas de acerola. Outras produções, em lavouras permanentes, gerou 518 toneladas de produtos diversos.

Fonte: Secom

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe seu comentário

Agronegócio

Agrônomo morre depois de ser picado por abelhas ao tentar pegar manga em sítio de MT

Publicado

em

Por

O agrônomo Manoel Ribeiro dos Santos, de 78 anos , morreu, após ser picado por abelhas ao tentar pegar uma manga, em um sítio na zona rural de Confresa, a 1.160 km de Cuiabá. Ele sofreu um choque anafilático e não resistiu. O caso foi registrado no domingo (19).

A vítima foi levada para a Unidade de Saúde da comunidade Novo Planalto, mas o óbito foi confirmado ao dar entrada. Segundo informações do Hospital Municipal, ele era muito conhecido na cidade e foi candidato a vereador nas últimas eleições.

Manoel se formou em agronomia e fez parte da primeira turma do Instituto Federal de Mato Grosso, Campus de Confresa.

Fonte: G1/Mt

Continue lendo

Agronegócio

Cafeicultores da região fizeram manifestações no trevo da BR-364 entrada para Rolim

Publicado

em

Por

Estiveram presente na BR-364 trevo para Rolim de Moura, os cafeicultores na qual se reuniram afim de reivindicar seus direitos voltado ao ramo da Cafeicultura .

Algumas reivindicações como Preço mínino do café conforme o Art° 187 da Constituição Federal e Lei 5.404 do Estatuto da Terra, no Artigo 73 e 85 . O segundo ponto de reivindicação é a questão do
ENDIVIDAMENTO- os cafeicultores padecem do endividamento e faz se necessário URGENTE a rapactuação dessas dívidas com juros civilizados, carência de 03 anos e no mínimo 10 anos de prazo.

O outro ponto de reivindicação é o apoio a Criação da OCAFÉ ( organização dos países produtores de café) , que visa apoiar os Cafeicultores na luta por um preço justo do café, mantendo assim o custeio de produção e gerando sustentabilidade e renda econômica para todos.

Fonte: Rolnews

Outras Imagens

Zona da Mata: Cafeicultores da região fizeram manifestações no trevo da BR-364 entrada para Rolim
Zona da Mata: Cafeicultores da região fizeram manifestações no trevo da BR-364 entrada para Rolim
Zona da Mata: Cafeicultores da região fizeram manifestações no trevo da BR-364 entrada para Rolim
Zona da Mata: Cafeicultores da região fizeram manifestações no trevo da BR-364 entrada para Rolim
Zona da Mata: Cafeicultores da região fizeram manifestações no trevo da BR-364 entrada para Rolim
Zona da Mata: Cafeicultores da região fizeram manifestações no trevo da BR-364 entrada para Rolim
Zona da Mata: Cafeicultores da região fizeram manifestações no trevo da BR-364 entrada para Rolim
Zona da Mata: Cafeicultores da região fizeram manifestações no trevo da BR-364 entrada para Rolim
Zona da Mata: Cafeicultores da região fizeram manifestações no trevo da BR-364 entrada para Rolim
Zona da Mata: Cafeicultores da região fizeram manifestações no trevo da BR-364 entrada para Rolim
Zona da Mata: Cafeicultores da região fizeram manifestações no trevo da BR-364 entrada para Rolim
Zona da Mata: Cafeicultores da região fizeram manifestações no trevo da BR-364 entrada para Rolim
Zona da Mata: Cafeicultores da região fizeram manifestações no trevo da BR-364 entrada para Rolim
Zona da Mata: Cafeicultores da região fizeram manifestações no trevo da BR-364 entrada para Rolim
Continue lendo

Agronegócio

Governo firma convênio de mais de R$ 2,8 milhões para desenvolvimento do setor agropecuário

Publicado

em

Por

Mais de 200 equipamentos serão adquiridos e entregues aos produtores rurais do Estado

Um convênio de mais de R$ 2,8 milhões foi firmado pelo governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para aquisição de equipamentos agrícolas e de processamento agroindustrial para fortalecer e desenvolver o setor agropecuário do Estado.

O convênio de transferência voluntária entre Seagri e o Mapa pretende promover a geração de renda, superação da pobreza, possibilitando condições para melhoria da qualidade de vida das famílias rondonienses. O projeto vai atender a população dos municípios de Rondônia que possuem perfil agropecuário e pequenas propriedades rurais que desenvolvam atividades agrícolas, responsáveis pela produção de alimentos e geração de renda.

O foco principal da aquisição dos equipamentos é dar condições adequadas para aumentar a produção da região e possibilitar que as comunidades rurais tenham melhorem suas condições de vida, viabilizando e incentivando a geração de emprego e aumento de renda no campo.

Mais de 200 equipamentos serão adquiridos e entregues aos produtores rurais do Estado, entre eles, distribuidor de calcário e adubo, ensiladeira para acoplar em tratores, perfurador de solo, sulcador de disco hidráulico, triturador e desintegrador com motor elétrico e plantadeira adubadeira.

Segundo o secretário da Seagri, Evandro Padovani, os equipamentos vão ajudar principalmente na recuperação de áreas degradadas, no plantio de forrageiras para fazer silagem e na produção de uma alimentação de boa qualidade.

No processamento agroindustrial os equipamentos vão auxiliar na execução de produtos derivados do leite, como por exemplo, na produção de queijos, pastorização de leite, achocolatados, iogurtes entre outros. De acordo com os dados da Seagri, Rondônia possui atualmente 77 agroindústrias que atuam no processamento do leite e derivados.

“Com esses recursos vamos poder investir na compra de equipamentos para ajudar o pequeno produtor a usar as novas tecnologias na melhoria da produção bovina, seja na produção de leite, na bovinocultura de corte, mas principalmente na bovinocultura leiteira. O governo do Estado oportuniza a maior renda ao produtor rural para que ele possa dar condições melhores de qualidade de vida para seus familiares”, salientou Padovani.

Fonte
Texto: Sara Cicera
Fotos: Daiane Mendonça e arquivo Secom
Secom – Governo de Rondônia

Continue lendo

Publicidades

Tendências

%d blogueiros gostam disto: