conecte-se conosco

Destaques

Termo de Cooperação vai impulsionar o turismo e preservação ambiental

Publicado

em

O projeto do Governo de Rondônia é promover o desenvolvimento sustentável de todas suas Unidades de Conservação com um projeto de governança dirigido, com foco na preservação.

O projeto do Governo de Rondônia é promover o desenvolvimento sustentável de todas suas Unidades de Conservação com um projeto de governança dirigido, com foco na preservação

Envolvida num importante projeto de governança pública para a gerência de seus parques e unidade de conservação, a Superintendência Estadual de Turismo (Setur) está ampliando suas ações e renovando esforços para o desenvolvimento dessas estruturas turísticas, com uma exploração racional e sustentável dos recursos, conforme disse nessa quarta-feira (6) Gilvan José Pereira Júnior, titular da Superintendência rondoniense.

Segundo ele, o modelo dessas ações segue a orientação do Termo de Cooperação firmado entre o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Fundação Getúlio Vargas (FGV), por meio do qual está guiando a elaboração e execução dos projetos de sua alçada, visando a realização de uma gestão austera e de resultado, conjugando preservação ambiental e desenvolvimento sustentável, como modelo fundamental dentro de uma visão de governança pública moderna para temas tão essências à vida.

O projeto da Setur tem a orientação do TCE, que tem dados apurados em suas auditorias para o setor turístico e de preservação e, ainda, da FGV, que apresenta uma estratégia completa para este novo modelo de gestão, com meios inovadores e recursos tecnológicos, que facilitam o planejamento e dirigem as ações para elaboração de projetos para todas as áreas. 

A sugestão desse modelo, com o incentivo à formalização do Termo, foi proposta pelo conselheiro Bendito Antonio Alves, do TCE, que fez uma apresentação às autoridades do Estado presentes ao ato, entre elas, o secretário-chefe da Casa Civil, Júnior Gonçalves, e o governador Marcos Rocha, onde demonstrou o conjunto dos recursos naturais e a potencialidade turística e econômica do Estado de Rondônia, a depender de uma gestão dirigida que leve em consideração um modelo de governança que mire desenvolvimento com sustentabilidade.

RECURSOS E UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

Nesta reunião o conselheiro apresentou o resultado de um trabalho completo de auditoria realizado pelo Tribunal, demonstrando ponto a ponto cada segmento que compõe o conjunto desses recursos. Ele citou as 40 Unidades de Conservação do Estado (UC), das quais, excetuando as sete que integram o grupo de Unidades de Proteção Integral, restam nada menos de 33 UC que se enquadram no grupo de Unidades de Uso Sustentável – 10 Florestas, 21 Reservas Extrativistas e duas Áreas de Proteção Ambiental.

Segundo ele, toda essa riqueza (bruta) exige a presença do Estado, não só como fiscal, mas como gerente de preservação e de desenvolvimento, a depender da elaboração e execução de projetos que gerem recursos para investimentos em seu próprio desenvolvimento, capazes de gerar divisas suficientes para o Estado garantir seu custeio e realizar as melhorias de suas estruturas para atrair visitantes e desenvolver seu potencial turístico, dentro desse projeto de governança sustentável.

Presente à reunião, o superintendente de Turismo de Rondônia (Setur), Gilvan José Pereira Júnior revelou-se entusiasmado com a formalização do Termo de Cooperação, destacando os benefícios que ele reserva para o Estado, que passa utilizar toda estrutura e recursos tecnológicos da FGV, de forma gratuita, sem custo para o Estado, a menos que seja firmado algum contrato, conforme prevê o §1º da Cláusula Primeira, relativa ao Objeto do Termo.

FLORESTAS DE RENDIMENTO SUSTENTADO, RESERVAS EXTRATIVISTAS E PARQUES

Importa destacar, por oportuno, que além dessa riqueza que as UC representam, Rondônia ainda conta com nada menos de 20 Florestas Estaduais de Rendimento Sustentado, sendo seis em Cujubim, e as outras espalhadas pela região do Vale do Jamari e Município de Porto Velho, que tem sete unidades de florestas à espera de investimentos em projetos de desenvolvimento que levem em consideração aspectos de uso sustentável de suas riquezas, conservando e preservando seus biomas – fauna, flora, recursos naturais e minerais – como condição essencial.

Da mesma forma o projeto de uso dos benefícios previstos no Termo de Cooperação terá um olhar especial dirigido às 23 Reservas Extrativistas do Estado – Rio Cautário, Rio Pacaás Novos, Pedras Negras e Curralinho, no Vale do Guaporé -, e as 16 com predomínio no Município de Machadinho do Oeste, e outras no Município de Porto Velho, que segundo informações da Setur integram o conjunto de áreas com destinação de políticas públicas dirigidas.

Por fim, a uma parada no caminho dos Parques Estaduais de Serra dos Reis, Corumbiara e Guajará Mirim, todos no Vale do Guaporé, região riquíssima em recursos naturais e minerais e de rara beleza, que precisa ser explorada de forma sustentável com projetos de ecoturismo, visitação e preservação, com a presença do Estado, de modo a evitar as especulações e invasões por grileiros.

Além de todo esse conjunto de beleza e riqueza natural pronto para ser explorado racionalmente, no âmbito de um projeto do governança dirigida, que tenha foco no binômio desenvolvimento e preservação, há que se falar também das Áreas de Proteção Ambiental (APA) – Rio Madeira e Rio Pardo -, nos municípios de Porto Velho e Buritis, e ainda, das Estações Ecológicas de três Irmãos e Samuel, ambas no Município de Porto Velho, que também merecem e estão a exigir medidas de caráter gerencial que incentivem sua promoção e cuidado, tudo nos termos de uma governança pública de resultado que tenha foco especial na preservação ambiental, conforme explicou Gilvan Júnior, superintendente de Turismo de Rondônia.

Fonte
Texto: Cleuber Rodrigues Pereira
Fotos: Rosinaldo Machado
Secom – Governo de Rondônia

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe seu comentário

Destaques

Urgente: Itália tem toque de recolher por coronavírus e cresce alerta global

Publicado

em

Por

O país decretou toque de recolher em 11 municípios em que casos de coronavírus foram confirmados

Foto: AFP

Os alertas mundiais sobre coronavírus entraram em um novo patamar nas últimas 48 horas, com mais relatos fora da China, toques de recolher e fechamento de fronteira. “O Covid-19 (nome técnico do novo coronavírus) já põe em risco a economia mundial”, disse no domingo Kristalina Georgieva, chefe do Fundo Monetário Internacional, na reunião do G-20.

O presidente chinês, Xi Jinping, admitiu que o país vive sua maior crise sanitária desde 1949, quando se iniciou o regime comunista, e considerou que houve “deficiências” no combate inicial. O vírus, relatado no fim de dezembro em Wuhan, já causou 2.445 mortes e contaminou 78 mil.

No entanto, o ritmo de avanço nos relatos diminuiu na China – e passou a preocupar mais em outros países. A Coreia do Sul, com 602 casos de contágio, é quem mais preocupa. E o presidente, Moon Jae-in, considera que os “próximos dias serão essenciais para o controle”.

Além disso, frente à multiplicação de casos no Irã, que já teve 8 mortes, Turquia, Jordânia, Paquistão e Afeganistão fecharam fronteiras e restringiram suas viagens.

A Itália decretou toque de recolher em 11 municípios em que casos de coronavírus foram confirmados – afetando cerca de 60 mil pessoas.

O famoso carnaval de Veneza foi cancelado na tentativa de impedir a propagação do vírus. O número de diagnosticados com coronavírus no país é de 152 – foram reladas três mortes.

Autoridades da região norte, onde se concentram os casos, decidiram fechar escolas, museus, teatros, cinemas. Até mesmo a catedral de Milão – o célebre Duomo – foi fechada.

França, Suíça e Áustria informaram estar em alerta com a situação no país vizinho. O ministro da Saúde francês, Olivier Veran, considera “muito provável” que surjam mais casos no país.

Futuro

Um estudo do Imperial College de Londres, recém-divulgado, estima que “dois terços dos infectados com o coronavírus na China não foram detectados antes de deixar o país”.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), por sua vez, passou a ver “com cuidado” relatos envolvendo pessoas que não estiveram na China. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Gostou do conteúdo que você acessou? Quer saber mais? Faça parte do nosso grupo de notícias!
Para fazer parte acesse o link para entrar no grupo do WhatsApp:

 Fonte: Isto É

Continue lendo

Destaques

Tempo: Linha 47,5 sentido Gease Já está interditada em Alta Floresta D´Oeste Ro

Publicado

em

Devido a muita chuva que caiu durante toda madrugada em Alta Floresta Varias linhas do município estão enfrentando grandes diculdades, inclusive a linha 47,5 sentido gease já se encontra interditada.

Confira as Imagens enviadas para nossa redação de moradores.

Poço da Espuma gease Alta Floresta

Posted by Floresta Noticias on Saturday, February 22, 2020

Fonte: Florestanoticias.com

Continue lendo

Destaques

Rondônia recebe do governo federal equipamento de alta tecnologia para tratamento oncológico

Publicado

em

Por

Novo equipamento torna Rondônia autossuficiente na demanda de radioterapia e faz estado avançar em tratamento oncológico na Amazônia

Um diagnóstico difícil de aceitar, o câncer, seja de qual tipo for, a doença assusta. Mas em Rondônia, os pacientes estão cada vez mais confiantes na cura desse mal através do investimentos em profissionais especializados e tecnologias. Na manhã desta quinta-feira (20) um acelerador linear usado para radioterapia foi entregue para o tratamento de pacientes no Estado, onde funciona um hospital de primeiro mundo na Amazônia.

O equipamento de alta tecnologia é um investimento do Ministério da Saúde e faz parte do Plano de Expansão da Radioterapia do governo federal. O governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, agradeceu ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e ao presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, pela sensibilidade de destinar o equipamento ao estado de Rondônia e assim contribuir para o tratamento humanizado.

”Quando a gente vê um hospital como esse limpo, tratando as pessoas com respeito, médicos empolgados, onde se tem diagnóstico adequado, então a gente precisa fazer de tudo para dar o atendimento adequado, e como governador do Estado, temos trabalhado em várias áreas, inclusive essa. Vamos fazer tudo que é possível e buscar em Deus, o impossível, e é um sonho ver esse serviço aprimorado, e com um número menor de pessoas que precisem desse atendimento no Estado. Vi aqui pessoas ainda que acometidas por doenças, sorridentes, e é esse ânimo e vontade de viver que nos dar mais vontade de trabalhar com dedicação”, disse Marcos Rocha, que visitou as alas do hospital.

Governador Marcos Rocha, reforça compromisso em garantir que Rondônia seja referência em tratamento oncológico humanizado

O acelerador está instalado no Hospital do Amor da Amazônia, em Porto Velho, e segundo, o presidente da Fundação Pio XII, Henrique Prata, responsável pelo hospital, faz parte da última geração de equipamentos de radioterapia. Ao contrário de outros equipamentos, esse só emite radiação quando está em funcionamento, e fica localizado numa sala com paredes de dois metros de espessura, ou seja, um local de alta blindagem e seguro.
‘‘O Estado tem um hospital que oferece todo o tratamento para oncologia, e agora passa a ter dois aparelhos de alta tecnologia para radioterapia, cada Estado tem no máximo um. Vamos dar a população o mesmo tratamento que é feito nos Estados Unidos e em São Paulo, por exemplo’’, afirma Henrique Prata.

Segundo ele, com um equipamento o hospital atendia 70 pessoas por dia, mas ainda tinha uma demanda de pacientes que precisavam se deslocar para Barretos (SP), e agora a estimativa é que mais 70 pacientes sejam atendidos com o novo equipamento.‘‘Rondônia passa a ser autossuficiente para toda demanda de paciente em tratamento de radioterapia. Com a chegada desse novo equipamento, atende não só todo o Estado, mas também está absorvendo cerca de 80% da demanda do Acre, 90% da demanda de Roraima, e 90% do Amapá’’, afirma Henrique Prata.

O Hospital do Amor oferece gratuitamente atendimento à população, e se mantém de portas abertas através de repasses de recurso do governo federal e governo de Rondônia. ‘‘Agradeço ao governador Marcos Rocha, essa ação permite que pacientes de todos os Estados se tratem aqui, apesar do recurso sair apenas do governo de Rondônia, pois metade é da União, outra metade do governo do Estado. O governador está sendo um herói de abraçar o cuidado da Amazônia inteira no seu Estado’’, destacou Henrique Prata.

Na solenidade de inauguração da nova sala de radioterapia, governador Marcos Rocha, destacou que mais R$ 4 milhões serão investidos no Hospital do Amor, com recurso exclusivo da economia feita pela Assembleia Legislativa e agradeceu o trabalho alinhado

O governo de Rondônia com complementação do governo federal já investiu quase R$ 47 milhões em repasses para o Hospital do Amor, nesta gestão. ‘‘Nós temos a oportunidade de fazer o melhor que podemos para todos, e temos que permitir a vinda de pacientes de outros Estados, porque no passado Rondônia encaminhava para outros Estados. Mas hoje estamos trabalhando para fortalecer essa área e para que tenhamos todo suporte necessário para fazer o atendimento no Estado’’, garante o governador.

”Nós só temos que agradecer essa parceria com o Hospital do Amor porque nosso objetivo comum é atender bem a nossa população, dar um atendimento digno, humanizado, de primeira qualidade. Nós reconhecemos como o recurso repassado pelo governo é bem investido aqui. São cirurgias de primeira, radioterapia de primeira, e a Secretaria de Saúde quer estreitar mais essa parceria porque quem ganha é a população com esse hospital que vários estados do país gostariam de ter, devido a qualidade”, afirma o secretário de Saúde, Fenando Máximo.

O Executivo também repassará R$ 4 milhões ao hospital, recurso exclusivo da economia feita pela Assembleia Legislativa (ALE). Esse montante faz parte de um valor total de R$ 30 milhões que a ALE devolverá para o governo, e este, investirá em políticas públicas para a sociedade rondoniense. ”Nós temos a missão de não deixar esse hospital deixar de funcionar”, considerou o presidente da ALE, deputado estadual Laerte Gomes. A solenidade também contou com a presença de parlamentares, a exemplo, da deputada federal, Silvia Cristina que anunciou investimentos para avançar na prevenção e tratamento de oncologia em Rondônia.

Fonte
Texto: Vanessa Moura
Fotos: Ésio Mendes
Secom – Governo de Rondônia

Continue lendo

Publicidades

Tendências

%d blogueiros gostam disto: