Conecte-se conosco

Destaques

Agevisa alerta para vacinação contra tétano em Rondônia

Publicado

em

A vacina é a melhor prevenção contra a doença

Focado em diminuir a letalidade por tétano, o Governo de Rondônia trabalha com a promoção das informações a respeito da doença e apelo à imunização por esquema vacinal. A presença do cidadão na unidade de saúde, imediatamente após o ferimento, pode combater o desenvolvimento da doença que acomete, em maioria, pessoas do sexo masculino e pode resultar em óbito.

Segundo a Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), o tétano é uma doença infecciosa não contagiosa, causada pela ação de exotoxinas produzidas pela bactéria Clostridium tetani, encontrada na natureza, podendo atingir qualquer pessoa, de qualquer sexo e idade, e em qualquer lugar do mundo. A imunidade permanente acontece por meio de vacinação. Como uma doença rara, apresenta alta letalidade, onde de cada 100 pessoas que adoecem, 30% morrem.

Com duas formas de apresentação, o tétano neonatal, em recém-nascido, não acontece desde 1984, quando foi registrado o último caso. Desde então, ocorre apenas o tétano acidental, em pessoas com mais de 28 anos, onde a maioria dos casos se dá em pessoas com mais de 50 anos (estudos atuais relatam a redução da imunidade e diminuição do reflexo, pela idade, como indicadores de maior risco de infecção, além da falta de imunização).

“Com o tempo, o título de anticorpos vai caindo, se a pessoa não mantiver o esquema vacinal. É tendência das pessoas vacinar uma vez, pensado que nunca mais precisam. Todos tem a célula de memória e a qualquer momento que tomar uma dose de reforço, estimula o sistema e acontece uma produção rápida e alta de anticorpos, que dura 10 anos. Mas, a pessoa com o tempo, relaxa. Se identifica muita dificuldade em manter o esquema vacinal completo em adultos”, explicou Arlete Baldez, gerente técnica de Vigilância Epidemiológica.

Como uma das principais metas da Agevisa é diminuir a letalidade por tétano, a coordenadoria da doença, trabalha com o acompanhamento de cada caso, capacitações aos profissionais de saúde e análise de indicadores.

Pela série histórica levantada e acompanhada pela Coordenação de Tétano, nos últimos três anos os casos notificados aumentaram, sendo que em 2016, de quatro casos notificados, dois foram confirmados e estes resultaram óbito. Em 2017, sete casos, todos confirmados e quatro óbitos. Em 2018, nove casos notificados, sendo que sete foram confirmados e destes, quatro óbitos, onde a particularidade foi de todos os casos em sexo masculino, sendo um acima de 40 anos e os demais com mais de 60 anos. Já, os últimos registros de 2019, confirmaram cinco casos e nenhum óbito.

“A incidência das notificações nos dá um espelho da doença, vemos que a incidência é baixa, porque temos boa cobertura vacinal no Estado. A mulher gestante, ou não, toma vacina contra o tétano. O homem já é mais difícil, por isso temos um grupo de risco que gostaríamos de reforçar a vacinação, como o mecânico e catador de lixo”, acrescentou a coordenadora Edite Lucena.

Com os números levantados, trabalha-se a capacitação aos profissionais de saúde para o diagnóstico. De suma importância para identificar clinicamente o tétano, auxiliando com celeridade o processo para tratamento e cura do paciente, bem como registro de indicadores.

A doença não é transmitida de pessoa para pessoa. Como uma infecção aguda, resulta a partir de um ferimento na pele, como arranhão, furo por prego, corte com faca ou ferro enferrujado, problemas dentários, acidentes de trânsito, mordida de animais, entre outros. Após o ferimento, o paciente tem seis horas para tomar o soro e a imunoglobulina.

“Temos que ser rápidos, porque a toxicina já fixada, não tem jeito, temos que usar antibiótico pra matar a bactéria e o soro para neutralizar aquela toxicina que ainda está circulando. Por isso a rapidez que temos que ter. Não temos muito tempo para trabalhar com suspeita, é imediato (o tratamento)”, explicou Arlete Baldez.

A incidência da doença é baixa, segundo os registros, mas quem adoece tem grande risco de ir à óbito, porque a bactéria ataca o sistema nervoso central. Por isso, o principal meio de prevenção é a vacina. Ainda assim, existem os cuidados básicos em casos de ferimentos, como lavar com água e sabão a ferida e proteger adequadamente, porque o bacilo vive em diversos ambientes e possui muita resistência.

Acidentes de trânsito também podem ocasionar infecção por tétano.

A Agevisa trabalha com a comunicação e acompanhamento de cada caso junto às regionais de saúde, que são o suporte para os municípios de abrangência. O Estado conta com profissionais capacitados, medicamentos e estrutura para atendimento e tratamento, porém o apelo fica ao paciente, que deve procurar a unidade assim que sofrer um ferimento, para identificação da doença, prevenção com profilaxia e/ou encaminhamento ao Cemetron (Centro de Medicina Tropical).

Quanto mais cedo o cidadão procurar a unidade de saúde, mais chance de não manifestar os sintomas da doença, que demonstram o agravante, por atingir o sistema nervoso central, onde há dificuldade para deglutição com mandíbula travada, impossibilitando a alimentação, espasmos musculares, hiperreflexia e boa orientação (não perde a noção de tempo e espaço).

Um dos casos confirmados foi de um rapaz que sofreu acidente com motocicleta. O ferimento teve contato com a terra e resultou na infecção por tétano, onde uma das causas pode ter sido por falta de imunização.

O esquema básico de vacinação compreende três doses de vacina e um reforço para menores de sete anos e reforço a cada dez anos ou a cada gestação. A vacina está disponível em todas as unidades básicas de saúde do Estado de Rondônia.

Fonte
Texto: Gaia Bentes
Fotos: Frank Nery e arquivo Secom
Secom – Governo de Rondônia

Clique para comentar

Deixe seu comentário

Coronavirus

Após 10 dias de luta, ex-comandante do Corpo de Bombeiros em Vilhena sai de intubação e vence a Covid-19

Publicado

em

Por

Continue lendo

Coronavirus

Cai o numero de casos de covid-19 nesta terça-feira em Alta Floresta, seguem 75 em tratamento

Publicado

em

Por

A Secretaria Municipal de Saúde (SEMSAU) divulgou o boletim referente a esta terça-feira (04), da Covid-19 em Alta FLORESTA D’ Oeste, onde mais 04 casos são confirmados como positivos.

Veja os números:
Notificados até o momento: 1239
Casos confirmados: 349
Casos curados: 271
Casos em tratamento: 75
Suspeitos: 46
Descartados: 844
Suspeitos internados: 02
Confirmados internados: 07
Hospitalar: 04
Em UTI: 03
Óbitos: 03

Fonte: Decom

Continue lendo

Coronavirus

Rondônia cai para 6.330 casos ativos de coronavirus, confira a Edição 139

Publicado

em

Por

Dos 41.239 casos confirmados de Covid-19 em Rondônia, 22.747 são em Porto Velho

O Governo de Rondônia, por meio da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), divulga os dados referentes ao coronavírus (Covid-19) no Estado.

Na terça-feira (4) foram consolidados os seguintes resultados para Covid-19 em Rondônia:

Casos confirmados – 41.239
Pacientes recuperados – 34.011
Casos ativos – 6.330
Óbitos – 898
Pacientes internados na Rede Estadual de Saúde – 271
Pacientes internados na Rede Privada – 84
Pacientes internados na Rede Municipal de Saúde – 46
Total de pacientes internados – 401
Testes Realizados – 129.502
Aguardando resultados do Lacen – 702

No Estado, os números de casos confirmados, recuperados e de óbitos, desde o primeiro registro em 20 de março até hoje (4 de agosto), por Covid-19 são:

TOTAL DE CASOS EM RONDÔNIA – 04/08/2020
MUNICÍPIOS CASOS CONFIRMADOS RECUPERADOS ÓBITOS
Porto Velho 22.747 19.152 567
Ariquemes 2.826 2.376 42
Guajará-Mirim 2.321 2.047 69
Vilhena 1.571 1125 21
Jaru 1.238 1001 17
Ji-Paraná 1172 1060 21
Candeias do Jamari 968 857 20
São Miguel do Guaporé 775 746 13
Rolim de Moura 871 681 11
Cacoal 926 675 16
Nova Mamoré 573 426 6
Pimenta Bueno 383 328 7
Ouro Preto do Oeste 433 246 15
Machadinho D’Oeste 417 251 4
Itapuã do Oeste 304 247 4
Alta Floresta D’Oeste 346 236 2
Buritis 290 241 5
Espigão D’Oeste 298 244 6
Cujubim 176 147 5
Alto Paraíso 183 147 4
Presidente Médici 218 145 3
Pimenteiras do Oeste 120 109 3
Monte Negro 128 100 2
Cerejeiras 122 96 5
São Francisco do Guaporé 98 86 2
Campo Novo de Rondônia 84 73 4
Alto Alegre dos Parecis 120 70 4
Seringueiras 82 74 0
Colorado do Oeste 87 73 0
Vale do Anari 79 67 1
Chupinguaia 168 41 1
Nova União 81 62 1
Nova Brasilândia D’Oeste 127 73 0
Theobroma 79 72 0
Mirante da Serra 67 57 2
Costa Marques 95 70 1
Rio Crespo 72 64 0
Santa Luzia D’Oeste 72 59 0
São Felipe D’Oeste 66 51 1
Governador Jorge Teixeira 51 47 0
Vale do Paraíso 55 43 1
Alvorada D’Oeste 62 44 3
Urupá 57 38 1
Cabixi 51 40 3
Novo Horizonte do Oeste 34 28 2
Castanheiras 39 21 0
Cacaulândia 44 25 0
Corumbiara 22 14 1
Parecis 11 9 1
Teixeirópolis 11 11 0
Primavera de Rondônia 10 10 0
Ministro Andreazza 9 6 1
Rondônia 41.239 34.011 898

ÚLTIMAS ATUALIZAÇÕES

Em Rondônia, nas últimas 24 horas, foram registrados os seguintes resultados para Covid-19:

24 HORAS
MUNICÍPIOS CASOS CONFIRMADOS ÓBITOS
Porto Velho 366 4
Ariquemes 68 0
Guajará-Mirim 53 0
Vilhena 132 -1
Jaru 20 0
Ji-Paraná 46 1
Candeias do Jamari 29 2
São Miguel do Guaporé 2 0
Rolim de Moura 31 -1
Cacoal 138 4
Nova Mamoré 24 0
Pimenta Bueno 21 0
Ouro Preto do Oeste 48 1
Machadinho D’Oeste 6 0
Itapuã do Oeste 17 1
Alta Floresta D’Oeste 24 0
Buritis 19 1
Espigão D’Oeste 16 1
Cujubim 4 0
Alto Paraíso 13 0
Presidente Médici 14 0
Pimenteiras do Oeste 5 0
Monte Negro 9 0
Cerejeiras 8 0
São Francisco do Guaporé 7 0
Campo Novo de Rondônia 1 0
Alto Alegre dos Parecis 5 0
Seringueiras 3 0
Colorado do Oeste 7 0
Vale do Anari 2 0
Chupinguaia 0 0
Nova União 6 0
Nova Brasilândia D’Oeste 4 0
Theobroma 3 0
Mirante da Serra 0 0
Costa Marques 10 0
Rio Crespo 7 0
Santa Luzia D’Oeste 5 0
São Felipe D’Oeste 5 0
Governador Jorge Teixeira 2 0
Vale do Paraíso 4 0
Alvorada D’Oeste 6 0
Urupá 8 1
Cabixi 6 0
Novo Horizonte do Oeste 0 0
Castanheiras 7 0
Cacaulândia 9 0
Corumbiara 3 0
Parecis 0 0
Teixeirópolis 0 0
Primavera de Rondônia 0 0
Ministro Andreazza 0 0
Rondônia 1.223 15

Hoje (4) foram registrados 15 óbitos por Covid-19 em Rondônia: quatro em Porto Velho, sendo uma mulher de 73 anos e três homens (45, 53 e 72 anos), quatro em Cacoal, sendo uma mulher de 90 anos e três homens (61,75 e 76); uma mulher de 71 anos e um homem 65 anos em Candeias do Jamari; um homem de 74 anos em Buritis; um homem de 64 anos em Espigão do Oeste; uma mulher de 79 anos em Ji-Paraná; uma mulher de 89 anos em Ouro Preto do Oeste; e um homem de 71 anos em Urupá.

  • Houve quatro óbitos em Porto Velho hoje, mas foram retirados três duplicidades, por isso da edição de ontem (566) para esta edição (567) só aumenta um caso nos dados gerais de óbitos do município.
  • Tem um óbito a menos em Rolim de Moura, pois conforme investigação epidemiológica, pertence ao município de Itapuã do Oeste.
  • Em Espigão foi excluído um óbito por instabilidade no sistema. O mesmo ocorreu com Vilhena, provavelmente pelo mesmo motivo.

OBSERVAÇÕES

  1. Os dados diários podem sofrer alterações;
  2. Os casos e óbitos notificados/ocorridos após meio dia serão divulgados no boletim do dia seguinte.
  3. Os óbitos precisam ser investigados, ficando portanto, as informações, passíveis de alteração para mais ou para menos, bem como o provável local de infecção.

A Agevisa  reforça ainda que os dados são analisados diariamente pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), que acompanha também a investigação epidemiológica feitas pelas equipes de saúde nos municípios para checagem de dados.

Para informações sobre internados por unidades de saúde e municípios, assim como os demais detalhes, acesse o Painel Interativo da Covid-19 em Rondônia, através do endereço: covid19.sesau.ro.gov.br.

Fonte
Texto: Secom
Fotos: Pedro Adilon
Secom – Governo de Rondônia

Continue lendo
--Publicidade--
--Publicidade--

Publicidades

--Publicidade--
--Publicidade--

Tendências

Copyright © 2020 Portal de Notícias Floresta Notícias. Todos Direitos Reservados.

%d blogueiros gostam disto: