Conecte-se conosco

Geral

Vereador Valvique está preocupado com obras inacabadas em Alta Floresta

Publicado

em

Clique para comentar

Deixe seu comentário

Entretenimento

6 sinais de traição online: Aprenda a identificar as pistas de que está sendo traído virtualmente

Publicado

em

Por

Em uma reviravolta irônica, a tecnologia – destinada a nos manter mais conectados – tornou nossos relacionamentos amorosos mais complicados do que nunca. Traições online – ter casos virtuais que incluem sexo, trocas atrevidas de fotos ou e-mails e flertes nas redes sociais sem necessariamente passar para um caso físico – é outra maneira de os parceiros se traírem.

Então, agora, você provavelmente está se perguntando se seu parceiro pode se envolver em um caso online (ou mais de um). Aqui está uma lista de sinais de alerta que podem indicar que o seu parceiro está cruzando a linha e cometendo traição online.

Muitos infiéis se asseguram que não vão ser abandonados pelos seus parceiros por conta do suporte financeiro que oferecem: “mesmo que ela/ele descubra, duvido que renuncie ao meu patrocínio financeiro”. Se você tem dúvidas e não quer aceitar isso, observe os sinais a seguir:

1. Dispositivos digitais protegidos por senha

Alguém que tenha relações online ou procure alguém por sexo cibernético manterá o e-mail e os telefones celulares protegidos com senhas e números de identificação pessoal. Você, mesmo como parceiro, não terá acesso a essas senhas. Ele ou ela também podem ser sigilosos quando estão online, alternando rapidamente as páginas da Web ou fechando o email assim que outra pessoa entra na sala. Se o seu parceiro mantiver em segredo a atividade online ou o telefone celular, ele poderá estar tendo um caso virtual.

2. Contas secretas de mídia social

Se você não é amigo do seu parceiro no Facebook ou no Twitter, ele pode estar escondendo algo de você. Se você é amigo, conhece todos os contatos de seu parceiro? Mesmo que você não os conheça pessoalmente, você sabe como seu parceiro os conhece? Descobrir as pessoas nas várias redes sociais do seu parceiro e como ele usa sites de redes sociais nunca é uma má ideia. E seu parceiro deve saber o mesmo sobre você.

3. Obsessão em responder a contatos online

A obsessão em responder imediatamente a mensagens de texto, e-mails e mensagens do Facebook ou Twitter é outro sinal de que algo suspeito está acontecendo. No entanto, este sinal de aviso deve ser considerado, entre outros. Na verdade, muitos de nós são viciados em nossos telefones e computadores, e alguns estão usando-os mais para o trabalho e menos para o prazer ou de maneiras inocentes (para obter nossas receitas favoritas, conversar com nossa família e amigos – não com benefícios) – e fique de olho nos eventos atuais).

4. Deixando uma trilha de papel (ou digital)

Veja as suas contas mensais de telefone celular e o histórico do navegador no seu computador. Esses sinais indicam se seu parceiro está envolvido em traição online ou pornografia na Internet. Você pode ver se está gastando mais em mensagens de texto e se há números estrangeiros na fatura. O histórico da Internet pode dizer algo sobre as páginas que seu parceiro – e qualquer outra pessoa que tenha usado o computador – esteve visitando.

5. Comportamento estranho

Um sinal revelador de um caso é uma mudança no comportamento do seu parceiro. Um parceiro que é repentinamente mais gentil ou mais malvado pode estar compensando um caso. Alguém pode ser super doce por culpa ou super malvado na esperança de justificar seu comportamento.

6. Vida dupla

Descobrir identidades duplas online – endereços de e-mail secretos ou páginas de redes sociais ou toda uma outra identidade em um mundo virtual – é uma traição por si só. É uma questão que precisa ser abordada tanto como parte de uma conversa mais ampla sobre traições online quanto como uma conversa separada sobre o que é preciso divulgar.

Fonte: RK

Continue lendo

Destaques

Governador Marcos Rocha diz que contaminação por Covid-19 não ocorre no comércio

Publicado

em

Por

Ao final da reunião, foi solicitada uma possível revisão quanto ao enquadramento das fases em determinados municípios.

O estado de Rondônia tem se destacado na questão do enfrentamento ao coronavírus, atingindo a terceira posição no Brasil em realização de testes rápidos, bem como mantendo-se entre os estados com menores índices de taxa de mortalidade pela Covid-19 e, inclusive, ter aplicado medidas que estão evitando um grande colapso na saúde.

Esses foram alguns pontos amplamente debatidos na noite de quarta-feira (1º), durante videoconferência com a participação do governador do Estado, coronel Marcos Rocha, de deputados estaduais e secretários estaduais, quando também foi pontuado as medidas dos municípios nas fases estabelecidas no Plano de Ação Todos por Rondônia.

Ao iniciar a videoconferência, o governador chamou a atenção para o momento considerado por ele como conturbado e destacou que há a preocupação de se fazer um balanceamento entre a saúde e a economia, trazendo novamente à tona o fato de se fazer a conciliação entre a abertura do comércio e, ao mesmo tempo, a não contaminação da população.

Durante sua explanação, o chefe do Executivo Estadual voltou a afirmar veemente ser contrário ao fechamento de comércio. “Eu não gostaria de fechar nenhum comércio, ou seja, não concordo com a questão de lockdown. Para ser mais sincero, não acredito que sejam os comércios que estão causando contaminação. O que se tem percebido é o desrespeito de pessoas que vão para balneários, churrascos, festas. Estamos fazendo todas as atitudes possíveis, mas estamos enfrentando algo muito difícil”, disse o governador momento em que pontuou a elaboração de uma série de medidas para conter o avanço da Covid-19 e ouviu dos deputados presentes à videoconferência a manifestação também contraria ao lockdown.

Fenando Máximo fez um resumo desde o início do atual governo, lembrando que o setor da saúde encontrava-se com grande problema e vivia em colapso com pacientes, sendo atendidos nos corredores dos hospitais. “Conseguimos, com apoio incondicional do governador Marcos Rocha, desenvolver medidas que serviram para desafogar principalmente o Hospital João Paulo II, onde tiramos todos os pacientes do chão e dos corredores e alocamos esses pacientes em alguns hospitais privados, e isso foi resolvido. Este ano, surgiu a pandemia do coronavírus e alguns diziam que a Saúde de Rondônia seria a primeira a entrar em colapso. Antes mesmo da pandemia chegar ao Brasil, já estávamos mobilizados para aquisição de ventiladores pulmonares mecânicos, monitores multiparamétricos, bombas de infusão e equipamentos de proteção individual”, salientou o secretário reforçando que o Estado tem se destacado na questão transparência no combate ao coronavírus e entre os primeiros em número de testes realizados.

O secretário também lembrou que o Governo de Rondônia se antecipou e tem atuado com compromisso na questão da saúde, comprovando tudo através de gráficos exibidos durante a videoconferência onde pontuou a evolução das medidas adotadas com a instalação de novas UTIs.

Ao final, foi solicitada uma possível revisão quanto ao enquadramento das fases em determinados municípios. Os deputados alegaram que alguns conseguiram fazer o “dever de casa” no cumprimento às determinações.

Fonte: Governo de RO – Em Geral

Continue lendo

Geral

Adolescente ganha pit bull e tem braço dilacerado pelo animal após 30 dias; mãe também foi atacada

Publicado

em

Por

Antigo dono deu o animal porque já tinha sido atacado por ele; vítimas foram socorridas pelo Samu e encaminhados para atendimento médico em Juína

Foto: Reprodução/Juína News

Um pit bull atacou o dono, um adolescente de 17 anos, que ficou com o braço dilacerado, e ainda a mãe do menor, de 40 anos, que teve lesões no rosto causadas pelas mordidas do animal. O caso foi registrado na tarde de terça-feira (30), dentro da casa da família, no bairro módulo 6, em Juína (734 km da Capital).

Vizinhos acionaram o resgate do Corpo de Bombeiros para prestar socorro à mulher e ao filho. Devido à gravidade dos ferimentos, os bombeiros pediram apoio a uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que prestou os primeiros socorros e encaminhou os pacientes à Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Enquanto os bombeiros trabalhavam na imobilização do cachorro, os paramédicos do Samu atendiam as vítimas.

De acordo com o relato das vítimas, o adolescente ganhou o cachorro a cerca de 30 dias. O ex-dono entregou o pit bull justamente por que o cachorro tinha atacado ele uma vez. De acordo com a avó do menor, durante a tarde o cão atacou primeiramente a sua filha e depois avançou sobre o neto, que teria tentado segurar o animal para não morder a mãe.

O pit bull mordeu o braço do dono, num acesso de raiva, e rasgou o membro, que ficou dilacerado.

Quando os bombeiros chegaram à residência, as vítimas estavam presas dentro de casa, para se protegerem do cachorro, que foi distraído por vizinhos para soltar os donos. Os militares encontraram ainda muito sangue pela casa.

O Corpo de Bombeiros ressaltou os cuidados que as pessoas devem tomar ao adotar animais já grandes, procurando conhecer o histórico com o antigo dono ou com a pessoa que está colocando para a adoção.

Fonte: Repórter MT

Continue lendo

Publicidade

--Publicidade--
--Publicidade--

Publicidades

--Publicidade--
--Publicidade--

Tendências

%d blogueiros gostam disto: